outubro 21, 2006

Dica – Limpeza (equipamentos e produtos)

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

Matéria publicada na edição 21 | outubro 2006 – ver na edição online 

  Por uma escola brilhante

Somar produtos e equipamentos adequados para limpeza a técnicas apropriadas é a melhor equação para se obter uma escola limpa. Produtos de uso doméstico ou do tipo vendidos a granel no sistema porta a porta não são indicados. Produtos concentrados, que devem ser diluídos para uso, oferecem mais eficiência e economia, além de facilitarem o armazenamento. Em sanitários, deve-se optar por desinfetantes, que reduzem a níveis seguros a quantidade de microorganismos de um ambiente. Fique atento à procedência do desinfetante, já que apenas o perfume não é garantia de desinfecção. Já para a remoção de sujeira, são utilizados os detergentes. Há três tipos: ácidos, alcalinos e neutros. Prefira os neutros, que não agridem pisos nem revestimentos. Detergentes ácidos, como os limpa-pedras, desgastam mais rapidamente o piso, facilitando a entrada de sujeira. Mais sujeira induz a maior uso de limpa-pedras, num círculo vicioso que só acarreta custos e péssimos resultados na limpeza. São mais indicados os produtos impermeabilizantes, que protegem as pedras contra água, sujeira e raios ultra-violeta. Tapetes de vinil também são ótimos aliados da limpeza, funcionando como uma barreira de contenção da sujeira.

Já em relação aos equipamentos, as enceradeiras são essenciais para limpeza de pisos frios, pois lavam e dão brilho, explica Osmar Viviani, consultor na área de higiene e limpeza profissional. Há diversos tipos de discos adaptáveis às enceradeiras, para limpeza pesada ou leve, remoção de ceras, manutenção periódica e polimento. No lugar de pano de chão e rodo, o sistema mop é a alternativa profissional. O mop pó é confeccionado em fibras de algodão e remove partículas soltas depositadas sobre o piso. O mop água é composto por cabeleira de algodão e deve ser utilizado com o balde-espremedor, acabando com o problema de lavagem de panos de chão e de torcê-los com as mãos. O balde costuma ser acoplado ao carro funcional, que possui bandejas para o transporte de produtos de limpeza e acessórios.

O especialista Viviani constata que muitos servidores do setor de limpeza desconhecem um princípio básico: o emprego da técnica dos dois baldes. “Usando só um balde com o produto de limpeza, o funcionário molha o pano, torce e passa no chão sucessivas vezes, o que acaba por transferir a sujeira de um local para outro”, explica. O correto é colocar o produto a ser usado na limpeza num balde, por exemplo de cor azul. Em outro, vermelho, o mop será limpo e torcido. “Quando empregamos estes procedimentos, temos a segurança que apenas o líquido de um balde, no caso o vermelho, estará contaminado. Nunca os dois baldes irão conter produtos em utilização. Ou seja, o balde azul sempre portará líquido limpo e isento de qualquer tipo de contaminação”, assegura.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.