agosto 15, 2007

Fique de Olho — Móveis Escolares

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

Matéria publicada na edição 30 | Agosto 2007 – ver edição online 

Móveis de madeira, plástico ou aço. Não importa o material. A escola deve investir em produtos de qualidade, que agreguem valor ao espaço.

Móveis de aço, de escritório, carteiras, cadeiras universitárias. Quando se trata de móveis escolares, a variedade é imensa. Seja para equipar os escritórios, salas de aula, de professores e outros espaços do colégio, o mercado dispõe de produtos dos mais diversos materiais e estilos. Em meio a tanta oferta, a escola deve focar principalmente na qualidade dos móveis escolhidos, para garantir um bom retorno do investimento realizado.

Patrícia Alves, da área de marketing e comunicação da Basemetal, especializada na produção de mobiliário em aço, afirma que os clientes da empresa recebem o Atestado de Capacidade Técnica do Produto. “A qualidade do material utilizado, dos processos de produção e acabamento tornam-se ponto de partida importante na hora da escolha”, acredita Patrícia, completando que o cliente deve verificar a idoneidade da empresa da qual está comprando, checar sua carteira de clientes, e se a empresa segue as normas da ABNT na produção dos móveis. Além disso, Patrícia orienta que deve ser feito um planejamento do ambiente, certificando-se das necessidades e tipo de móveis de aço. Os móveis da Basemetal recebem

tratamento anti-ferruginoso por processo de fosfalização, com pintura eletrostática em pó epóxi-poliester. Além disso, as conexões de estrutura são realizadas em aço carbono com solda mig.

A Metadil, no setor desde 1974, também prima pela busca da qualidade constante. Segundo Marcelo Rodorigo, diretor da empresa, atualmente a Metadil possui os melhores equipamentos para produção de seus móveis, visando a qualidade final dos produtos. Marcelo pondera que os móveis da escola podem inclusive ajudar a instituição a se diferenciar da concorrência. “Os móveis da Metadil, além de suas qualidades técnicas, possuem diferenciais que os alunos valorizam e desta forma ajudam a escola a se destacar”, diz. Um dos diferenciais da Metadil é a resina melamínica aplicada nos móveis. Semelhante aos laminados melamínicos, a resina é uma tinta de grande resistência. “A resina melamínica possui a mesma característica de resistência do laminado melamínico, porém com acabamento melhor”, garante Marcelo. A empresa dá cinco anos de garantia para cadeiras, carteiras, mesas, armários e acessórios. Além da beleza   e das cores diferenciadas, a Metadil busca a segurança dos usuários, utilizando materiais bem acabados: na borda das carteiras, por exemplo, é aplicado um friso em PVC de alto impacto, material exclusivo da empresa.

Quando o assunto são móveis escolares, a escola procura sempre novidades, aliadas a preço e qualidade. José Cortez, proprietário da Cortez Móveis, há 12 anos no setor, sabe dessa necessidade das escolas e está investindo na fábrica, localizada em Sarapuí, interior de São Paulo, para triplicar a produção. A fábrica acaba de receber três novos maquinários: uma lixadeira, uma embaladeira e um centro de usinagem. Além disso, conta também com uma nova máquina para post-forming (borda contínua que evita o uso de perfil de PVC nos móveis). Há também oito novas cores de laminado que revestem cadeiras, mesas e carteiras. A Cortez também dispõe de cadeiras com assento em polipropileno. “A escolha da madeira ou do plástico é apenas uma questão de gosto, todos têm a mesma qualidade”, comenta. A empresa fabrica, ainda, móveis e balcão para recepção, lousas (normais, nas cores verde lisa, quadriculada, branca ou azul, e modelos panorâmicos), armários tipo escaninho (abertos e fechados, em madeira e laminado, com portas com fechaduras), entre outros itens. Os móveis têm garantia de um ano e a empresa dá manutenção.

Outra empresa que está ampliando sua produção é a LBS Móveis Escolares. Segundo Casemiro Albissu Filho, proprietário da empresa, a LBS está migrando para os móveis de plástico e está investindo numa fábrica nova para acomodar essas inovações. “Os móveis de plástico são uma tendência, inclusive mais ecológica. O plástico é reciclável. Quebrou, não se joga fora, mas é transformado em outro. Quanto à madeira, trabalhamos somente com madeiras certificadas, de reflorestamento. Não se derruba uma árvore para fazer uma carteira de escola”, define. Os móveis da LBS são certificados pelo IPT, órgão credenciado pelo Inmetro. A empresa tem produtos que atendem da Educação Infantil à faculdade. Casemiro destaca os berços e camas infantis para creches e os armários tipo colméia. “Nos adaptamos às necessidades do cliente, seja técnica ou financeiramente. Fazemos protótipos dos móveis até que o cliente tenha certeza do que quer”, garante.

A Silton Móveis, há 30 anos no mercado, dispõe da linha completa de móveis para escolas. São móveis de aço, cadeiras universitárias (em madeira, laminado ou estofadas), móveis para refeitórios, carteiras, mesas e cadeiras para professores, armários de madeira, além de conjuntos coletivos (mesas com 4 cadeiras), nos tamanhos infantil e adulto. Jane Mara Caires, da área de vendas da Silton, informa que a estrutura dos móveis recebe pintura eletrostática com tratamento antiferruginoso. Os móveis de aço recebem tratamento antiferruginoso e pintura epóxi a pó. “Os móveis realmente só vão enferrujar se tiverem contato permanente com a água”, sustenta. Entre os móveis de aço, há modelos de armários com até 20 portas com chave ou pitão para cadeado. As portas têm venezianas para garantir a ventilação. Outro destaque são as estantes para bibliotecas, em aço reforçado, com bandejas que suportam peso de até 60 quilos. As estantes duplas, para corredores, têm 10, 12 ou 14 prateleiras. As simples, para serem encostadas na parede, recebem 5, 6 ou 7 prateleiras. As bandejas têm altura regulável. Os móveis de aço da Silton são fabricados nas cores cinza cristal, bege, branca, preta ou azul.

Também a Maqmóveis, há 16 anos no mercado, oferece móveis para toda a escola, como peças em madeira e aço, para diretoria, escritório, biblioteca, laboratórios e salas de aulas. Conforme Fábio Costa, diretor comercial da empresa, toda a linha é composta por móveis que atendem aos padrões do FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), além dos padrões de ergonomia da NR-17. Há a preocupação ainda de produzir móveis ecologicamente corretos. “Não trabalhamos com madeira ilegal, usamos matéria-prima de florestas de reflorestamento. Uma tendência é o uso do polipropileno, de maior durabilidade e fácil de limpar”, informa Fábio. A lousa panorâmica é um produto patenteado pela Maqmóveis e um dos destaques da empresa. Há opção da lousa verde ou branca e também da instalação de um armário na lateral, para guardar giz e apagador. Fábio cita ainda entre os produtos da empresa a cadeira Futura, modelo desenvolvido para a Unicamp e que possui braço com regulagem horizontal e vertical, adaptando-se a alunos de qualquer tipo físico.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.