junho 18, 2015

Dica – Curso de Férias

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Matéria publicada na edição 108 | Maio de 2015- ver na edição online

Novos Caminhos do Conhecimento

Por Rafael Pinheiro

A rotina instaurada em nossa sociedade e os caminhos percorridos diariamente por uma programação pautada em horários pré-estabelecidos diminui, em grande escala, um tesouro valioso: o tempo. Garantir um mecanismo que possa resgatar um fôlego (ou um pequeno espaço) na agenda bimestral ou semestral pode ser uma riqueza indescritível, principalmente quando há o desejo (ou a necessidade) de um estudo específico, curso de atualização ou especialização em algum segmento.

O conhecimento é apresentado, atualmente, em diversas ramificações, plataformas, sistemas, ajustes e, também, disponibilidade. Percebemos um avanço considerável de instituições que ampliaram sua grade curricular em várias áreas do saber para acoplar e sugerir alternativas acadêmicas à alunos que não possuem uma disponibilidade de horário integral, presença física ou até mesmo necessite de estratégias para concluir os estudos.

Os meses de janeiro e julho são representados pelas férias escolares e também profisisonais. Nesse período, muitas opções são oferecidas, tanto para a diversão e lazer, como para os estudos. Especialistas acreditam que os cursos de curta duração são excelentes oportunidades para uma atualização ou conhecer novas áreas, já que as férias propõem um tempo livre significativo.

Ana Kuller, coordenadora da área de educação do Senac São Paulo, afirma que “os cursos de férias têm sua duração mais concentrada, de forma que o profissional consegue finalizar um curso em menos tempo do que levaria, caso fosse realizado em um horário normal, durante o período letivo. Com o cérebro mais descansado e longe da correria do dia a dia de trabalho é mais fácil se dedicar ao estudo e ter um melhor rendimento”.

Segundo a coordenadora, os cursos permitem que as pessoas se qualifiquem ao longo de toda a vida, em uma perspectiva de educação continuada, uma vez que possibilitam a abordagem de temas específicos, que aperfeiçoam conhecimentos ou promovem uma formação inicial em determinada área. “Apesar de não serem cursos regulamentados, permitem que as pessoas mantenham-se e busquem  aperfeiçoar-se em aspectos específicos de interesse e demonstram interesse por atualização profissional, o que é muito bem visto pelo mercado de trabalho”, destaca.

O Senac São Paulo, em 2014, por exemplo, recebeu 210.000 alunos em cursos de curta duração, com maior procura em cursos de idiomas, aplicativos e áreas administrativas. Esse dado identifica dois fatores: a oferta destes módulos de curso se intensificando a cada ano, aumentando, assim, as instituições que oferecem esse tipo de programa em seu curriculo e, consequentemente, a busca acelerada por especializações, destaque no mercado de trabalho ou conhecimento além de sua profissão.

O público-alvo destes cursos, geralmente, são profissionais inseridos no mercado de trabalho, que desejam aprimorar conhecimentos ou buscar novos caminhos que complementem seu perfil profissional. “Os cursos são destinados a pessoas de qualquer idade ou escolaridade, interessadas em alguma área específica e que possuam os pré-requisitos apontados para cada um dos cursos – não há um requisito único, mas ele é definido para cada curso, em função de seu foco de abordagem e de sua complexidade”, ressalta Ana Kuller.

Além das instituições acadêmicas, alguns colégios promovem cursos de férias oferecendo atividades diferenciadas para alunos do ensino infantil. O Colégio Itzhok Leibush Peretz, com uma trajetória de mais de seis décadas de ensino e compromisso com o conhecimento, possui entre suas ações anuais a Colônia de Férias Infantil, que ocorre nas primeiras semanas do mês de julho.

Linda Derviche Blaj, diretora do curso Infantil do Colégio I. L. Peretz, diz que as atividades são direcionadas às crianças de 01 ano e meio aos 06 anos de idade. “A equipe conta com pedagogos e profissionais da área de Educação Física. Cada ambiente é planejado para que as crianças tenham: Atividades recreativas; Atividades esportivas; Literatura; Atividades artísticas; Culinária; Passeios; Filmes e Show de mágica. E as crianças fazem as refeições na escola com a supervisão de uma nutricionista”.

O Colégio Santo Américo, localizado na região sul de São Paulo, disponibiliza, sobretudo nos departamentos de línguas estrangeiras, estímulo para realizar os estudos no período de férias. “No departamento de Espanhol, por exemplo, sugerimos, por meio da agência Experimento,  Barcelona e Valência, durante quatro semanas de julho, para uma imersão em espanhol – língua e cultura. Um curso excelente, certificado pela Enforex, reconhecido internacionalmente, que nos dá a garantia de que nossos alunos estarão em boas mãos”, afirma Irene Reis, professora e supervisora do departamento de Espanhol do Colégio Santo Américo.

ENSINO A DISTÂNCIA

O sistema empresarial, bem como grande parte de nossa sociedade, está em um ciclo efêmero, transformador, observando minuciosamente os novos empregados, suas rotinas, desejos e objetivos de realização. E, nesse ciclo, o ensino a distância instaura sua missão e destaca-se, aos poucos, no mercado de trabalho. “É possível fazer cursos de curta duração a distância. Como destacam aspetos específicos de uma área ou de um fazer profissional, permitem uma abordagem bem focada, que facilita aos interessados buscar um curso bastante alinhado aos seus interesses e necessidades”, destaca Ana Kuller, coordenadora da área de educação do Senac São Paulo.

Além disso, ressalta a coordenadora, a busca constante por novos conhecimentos e por aprimoramento profissional é uma característica necessária no mercado de trabalho atual, uma vez que os processos tecnológicos e de trabalho vem mudando muito rapidamente.

E nesse panorama cíclico, o ensino a distância se faz presente em todos os espaços. Construir o ensino a distância aponta uma circunstância real, deixando de lado uma sutil tendência educacional, mesmo que esteja em processo de evolução. “Há vários cursos de curta duração via web. Porém, muita gente opta por cursos presenciais exatamente pela possibilidade da troca. A troca em ambiente pessoal é diferente da troca em ambiente virtual. Durante o ano, por falta de tempo, opta-se por cursos via web e, nas férias, muita gente prefere cursos presenciais e fora do país, já que o tempo disponível é maior”, diz Irene Reis, professora e supervisora do Colégio Santo Américo.

Acreditar e consolidar um curso de férias é uma maneira de explorar os caminhos do conhecimento em um período propício, já que o rendimento é eficaz devido à ausência de sobrecarga física e psicológica. “Aproveitar a época das férias para um curso, desde que seja bem direcionado, bem escolhido, que além de ensinar conteúdo também valorize o ócio criativo, é perfeito”, finaliza Irene. (RP)

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.