outubro 20, 2015

Editorial – Tecnologia em Alta – Edição 112

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

Comunicação, conexão, facilidade, inovação, tecnologia. Todos nós, de maneira geral, estamos acostumados e ambientados em uma esfera global que produz e diagnostica, de forma singular, as novidades em aplicativos e ferramentas que facilitem o cotidiano – empresarial, social e educacional. Olhar atentamente para as plataformas e ferramentas que começam a ganhar notoriedade no mercado educacional é adentrar, incorporar e compreender os anseios contemporâneos.

O uso crescente de tecnologias e a procura incessante por aparelhos com acesso à internet apontam uma realidade (cada vez mais) conectada. Segundo a pesquisa NetView – especializada em monitoramento do uso da internet em computadores realizada pela Nielsen IBOPE no Brasil desde setembro de 2000, que informa ao mercado brasileiro todos os meses sobre o comportamento dos internautas, desde a audiência de sites e serviços até dados para planejamento publicitário – indica que o acesso à internet pelo computador está acima de 100 milhões.

O número de brasileiros que moram em domicílios com acesso a um computador com internet chegou a 96,1 milhões em julho de 2015. Dessas pessoas com acesso domiciliar, 58,1 milhões usaram a internet no computador de casa pelo menos uma vez no mês. Quando se considera todo o conjunto de pessoas com acesso ao computador com internet em casa ou no local de trabalho, o número é de 103,4 milhões. Dessas pessoas com acesso em domicílios ou no trabalho, 72,3 milhões foram usuárias ativas em julho, ou seja, usaram pelo menos uma vez no mês.

A Nielsen IBOPE, líder mundial em mensuração do comportamento dos usuários da internet realizou, também, no mês de julho, uma pesquisa para identificar quais os aplicativos campeões de uso entre os brasileiros: as redes sociais e os aplicativos para comunicação continuaram predominando entre os apps mais populares. Entre os vinte aplicativos mais usados pelos 72,4 milhões de brasileiros conectados por smartphones, seis são de redes sociais ou de troca de mensagens, quatro são de bancos, três são de e-mail e dois são de mapas e localização.

Reconhecer a tecnologia como uma aliada da educação exige cautela, programação pedagógica e acompanhamento detalhado. As ferramentas digitais utilizadas em salas de aula, por exemplo, instigam e auxiliam o educador em seu planejamento de aula, facilitando a visualização, ligações externas (como áudio, vídeo, apresentação, imagem, etc.) e, acima de tudo, adentrar o cotidiano dos jovens alunos que chegam à escola com um conhecimento expressivo dos ambientes virtuais e suas funcionalidades.

A construção de uma escola modelo – ou a escola dos nossos sonhos – possui, entre seus principais atributos, o protagonismo do aluno em primeiro plano, utilizando como mecanismo ferramentas tecnológicas em práticas pedagógicas. Essa escola está em fase de amadurecimento, conhecimento e planejamento para uma educação que possa administrar, em sala de aula, dispositivos conectados – sem perder o foco e a atenção dos alunos no aprendizado.

Alex Santos & Paula de Pierro
Diretores

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.