novembro 5, 2015

Você se relaciona bem? Tenha um relacionamento sem stress

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Saiba que esta é uma das maiores fontes de stress: o relacionamento interpessoal.

O stress é uma reação natural de nosso organismo, fundamental para nossa sobrevivência. Desenvolvido ao longo do tempo, o mecanismo fisiológico do stress nos prepara para o enfrentamento de situação de perigo e risco de morte iminente, real ou imaginário. Porém, nossa sobrevivência não está mais atrelada a ataques de ursos, de tigres ou de crocodilos e sim nos pequenos e grandes desafios do cotidiano. Nossa fisiologia ainda não se adaptou à sociedade em que vivemos: muito competitiva e agressiva. A associação de grupos de indivíduos se desenvolve mais rapidamente do que possamos nos adaptar e esta é agora nossa maior fonte de stress: o inter-relacionamento pessoal.

Segundo descreveu o médico Dr. Hans Selye, que em 1936 introduziu o conceito de Síndrome de Adaptação Geral, o stress é uma reação natural do organismo que nos prepara para a luta ou fuga. Porém, como o stress induz respostas no sistema nervoso autônomo liberando hormônios, com a repetição desse quadro e com o passar do tempo, essas alterações hormonais podem levar ao aparecimento de uma série de problemas de saúde, como úlceras, hipertensão arterial, arteriosclerose, artrite, doença renal, reações alérgicas, entre outras.

Hoje trocamos “fisiologicamente” o urso pelo nosso chefe, o tigre pelo trânsito caótico, o leão pelo triste cenário político-econômico atual. Nossa sociedade ainda reage de acordo com os velhos padrões de nossos antepassados, porém, frente a estímulos diferentes.

Em 2013 o Centro Psicológico de Controle do Stress (CPCS) realizou pesquisa em uma empresa de São Paulo, com 1.200 funcionários identificados antecipadamente como tendo stress e que manifestavam dificuldades na área social: não tinham vontade de ver amigos, parentes, ir às festas, de socializar.

Outra pesquisa realizada pelo CPCS, ainda em 2013, mostrou que 18,6% das fontes de stress estavam relacionadas aos relacionamentos – percentual maior que aqueles relacionados a problemas financeiros e sobrecarga de trabalho – sendo 7,8% relacionado com a família e 7,0% com relacionamento amoroso.

Segunda a Dra. Marilda Lipp, uma das maiores autoridades brasileiras em stress, em seu livro O stress e a beleza da mulher (Lipp, 2001, São Paulo, Connection Books), dá várias dicas de como melhorar nosso relacionamentos afetivos. Algumas delas estão aqui sumarizadas:

  • Assuma a responsabilidade pela sua própria felicidade: só assim é possível ser feliz a dois;
  • A responsabilidade pela sua vida é indelegável;
  • O amor é contagioso: ame para ser amado;
  • Saiba que cada um só pode dar o que tem;
  • Nem sempre as pessoas vão dar o melhor de si mesmas;
  • Não existe um único modo de atingir as metas;
  • Ninguém pode nos fazer feliz se não deixamos;
  • Uma briga não significa o fim de um relacionamento e pode ser a base para mudanças;
  • Não é preciso manter indefinidamente um compromisso assumido. Você tem o direito de mudar;
  • Você tem o direito de não assumir a responsabilidade dos outros;
  • Evite comparar pessoas, somos todos diferentes.

Sabemos que o stress é contagioso, embora, não seja uma forma de microrganismo, mas acaba sendo transmitido entre pessoas próximas, possivelmente, por meio da atividade de neurônios espelhos, aquelas células cerebrais que nos fazem imitar a ação de outras pessoas, de forma inconsciente. Assim também ocorre no ambiente em que indivíduos se respeitam, se relacionam bem, de forma cordial e verdadeira.

Você já viu filmes no Youtube mostrando o contágio que ocorre no metrô, nas praças públicas, praças de alimentação de shoppings quando um conjunto de atores misturados á multidão começam a cantar e dançar arrastando multidões ao delírio? Se ainda não viu, veja o Flash Mob Mamma Mia – Shopping Vila Olímpia, no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=zfAwWfkVDfw).

O bom relacionamento interpessoal passa a ser mais que uma arte de convivência; deve ser praticado diariamente em todos os lugares que frequentamos. Se não dominarmos essa arte, estamos predispostos a uma série de problemas de saúde, além dos problemas inerentes aos relacionamentos inadequados e fracassos pessoais e profissionais.

Observe-se, peça a opinião de amigos, relaxe e encare a vida de forma mais leve, com mais otimismo. Assim, você poderá contagiar a quem estiver por perto. Para o bem. E livra-se do stress excessivo.

Uma técnica interessante para redução do stress e melhorar os relacionamentos interpessoais é a prática da coerência cardíaca. Trata-se de um treinamento monitorado por computador que indica, por meio de sensores não invasivos ligados na pessoa, como está o equilíbrio do sistema nervoso. Por meio de exercícios de fácil execução, o indivíduo consegue um aumento em sua resiliência, ficando, assim, mais tranquilo e mais acessível aos relacionamentos. Para maiores detalhes consulte www.cardioemotion.com.br.

Portanto, o relacionamento interpessoal está somente em suas mãos: aproveite a oportunidade e use-o a seu favor. Desenvolva suas habilidades de relacionamento socioemocional e profissional, tendo, assim, uma vida mais saudável.

Autor: Prof. Marco Fabio Coghi

Contato com o autor: marco@nptronics.com.br

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.