novembro 23, 2015

Recuperação como Processo Contínuo

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

No Colégio Santa Maria, os estudantes são acompanhados mês a mês por meio de atividades paralelas no contraturno

 

Na reta final do ano letivo, professores e alunos se preparam para uma maratona de avaliações e a tão temida recuperação para quem está com notas baixas e dificuldade de aprendizagem. No Colégio Santa Maria, o processo dura o ano todo.

A recuperação do Ensino Fundamental I ocorre durante o ano inteiro, pois o aluno é avaliado mês a mês, e não somente por meio de uma prova final. A escola propõe atividades de aprendizagem de acordo com o desempenho de cada aluno. “A proposta é recuperar habilidades e não notas. Independente das avaliações no fim de cada etapa, o professor entra com uma recuperação paralela no contraturno. Nós lançamos a boia antes do afogamento”, diz a orientadora pedagógica do 4º ano, Marcia Almirall. Nesse processo, o estudante que está em dificuldade recebe exercícios para fazer na escola e também em casa. Os pais são convidados a estimular a criança para que haja um trabalho de parceria e, ao mesmo tempo, não ocorram surpresas desagradáveis no final do ano.

No Fundamental II, existe a mesma preocupação em proporcionar um acompanhamento paralelo ao aluno que não tenha obtido conceito satisfatório no bimestre anterior. O resultado da recuperação paralela é mencionado no boletim do aluno com a letra R, se ele se recuperou, e NR em caso negativo. Para este resultado insatisfatório, a escola aplica atividades complementares de recuperação.

No Ensino Médio, onde os conteúdos são mais complexos e as cobranças aumentam por conta do ENEM e dos vestibulares, o Santa Maria dispõe de um processo em três etapas: a primeira é a recuperação de aprendizagem de pré-requisitos, que ocorre no início do ano letivo, e tem o objetivo de rever conceitos não aprendidos no ano anterior, que são considerados fundamentais para a aquisição de novos conhecimentos. Para os alunos com dificuldade mais acentuada, existe a recuperação contínua, inserida no dia a dia da sala de aula por meio de atividades diversificadas de acordo com a necessidade dos estudantes. ”Isso requer do professor maior atenção, mais tempo e contato com o conhecimento apresentado”, afirma o diretor do segmento, Silvio Freire.

Assim como no Ensino Fundamental, a recuperação paralela é a terceira etapa proposta no Ensino Médio, destinada aos alunos que apresentam dificuldades de aprendizagem não superadas no cotidiano escolar e que necessitem de um trabalho mais direcionado com aulas no contraturno. Ao final de cada bimestre, o aluno passa por uma prova de avaliação.

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.