março 8, 2016

Dica – Educação Alimentar: Hábitos Saudáveis

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Matéria publicada na edição 116 | Março 2016 – ver na edição online

Por Rafael Pinheiro

A base escolar possui atributos densos e complexos que caminham entre valores e práticas humanitárias, desenvolvimento físico e social, compondo uma base privilegiada que acompanha o aluno em longos anos de conhecimento. Esse entrelaçamento estudantil envolve, também, a saúde e o bem-estar físico dos alunos, temas que podem ser abordados de maneira sadia e proveitosa.

A preocupação com a alimentação saudável, que reúne todas as substâncias que o corpo necessita diariamente, tem sua origem no cotidiano familiar, estendendo, consequentemente, para o ambiente escolar – principalmente nas escolas que disponibilizam aulas em período integral.

A promoção da alimentação saudável nas escolas “exige uma maior conscientização dos operadores das cantinas escolares, diretores das escolas, pais e alunos sobre o assunto, melhorias no cardápio escolar, além de avaliações individual e coletiva de consumo, que ajudam a entender os hábitos alimentares e agir conforme as principais escolhas dos alunos”, diz Henrique Mendes, engenheiro e consultor nutricional escolar.

De acordo com dados mais recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade em crianças menores de cinco anos atingiu taxas preocupantes em países em desenvolvimento. Com base no relatório da OMS, pelo menos 41 milhões de crianças com menos de cinco anos são obesas ou estão acima do peso no mundo. Produzir, então, um cardápio diversificado, com equilíbrio entre carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais é de extrema importância.

“A cantina escolar tem um compromisso social na saúde da comunidade escolar na qual ela insere, pois, os lanches e produtos que comercializa possui um impacto na saúde da comunidade escolar. Uma cantina que se preocupa com a saúde da comunidade escolar, a partir de oferta de alimentos adequados e saudáveis, desenvolve a confiança dos pais e alunos”, ressalta Dirceu Junior, responsável por uma empresa especializada em alimentação.

De acordo com Dirceu, o planejamento para o gestor construir uma cantina com alimentos nutritivos deve seguir, primeiramente, através de um comunicado aos pais, por meio de informativo curto, das mudanças que ocorrerá em sua cantina; montar um mural na cantina para divulgar notícias sobre uma alimentação saudável; incentivar a comunidade escolar sobre fazer escolhas certas na hora da refeição; e restringir a oferta, a promoção comercial e a venda de alimentos ricos em gorduras, sal e açúcar.

Proporcionar uma alimentação saudável na escola é uma contribuição para o desenvolvimento e crescimento pleno do aluno. “Acredito que a alimentação é parte relevante na formação do indivíduo e isso deveria ser melhor trabalhado nas escolas. Além do aluno aprender melhor, fica mais disposto para atividade física, dorme melhor e fica doente com menos frequência”, finaliza Henrique. (RP)

Saiba mais:

Dirceu Junior – dirceu.jr@ig.com.br

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.