junho 14, 2016

Bett Brasil Educar 2016: Inovação, Tecnologia, Criatividade e Engajamento

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Matéria publicada na edição 119 | Junho-Julho/2016 – ver na edição online

Mais de 200 educadores, especialistas e renomados conferencistas brasileiros e internacionais debateram a educação brasileira e mundial, alicerçados por um tema central: “Melhor Educação, Melhor Sociedade”, escolhido pela certeza e percepção de que a educação é a base para a constituição da sociedade moderna e a inserção econômica das nações e das pessoas

Por Rafael Pinheiro / Fotos Divulgação

Instrumento de pesquisa de filósofos, palavra-chave em núcleos acadêmicos, publicações que envolvem o seu universo, campo de desafios, salas de vivências, escola da vida. Ela, a educação, caminha livremente entre áreas políticas, culturais e sociais. É falada diariamente, em diversas línguas. E, dentro de um contexto universal, prepara, discute, empodera e transforma vidas em grande escala.

Na sociedade moderna, a educação compõe um ofício plural, repleto de questionamentos, problemáticas e desdobramentos. Essas questões atuais e emergentes refletem necessidades em reestruturação, organização de novas propostas, compartilhamento de experiências, abertura para alteridade e desconstrução de paradigmas.

Observamos a educação como uma base sólida para um futuro efêmero em constante ebulição. Esta educação, inserida no eixo central de propagações culturais e sociais, que atravessou as décadas com tradicionalismo e métodos estabelecidos, mostra-se despreparada (ou com pequenas rachaduras) no que tange a realidade educacional.

Empoderar, no sentido amplo da palavra e no espaço denso da educação, é a maneira mais clara (e talvez necessária) de reafirmar os papeis e as condições existentes em cada setor interno de uma instituição. Apoderar-se da função educador envolve não só os limites do conhecimento, mas o fomento na construção do cidadão e nas diversas esferas participativas que o aluno atingirá com maestria.

O agente transformador incluído nas atividades diárias transcende métodos, fórmulas, mecanismos e explicita um anseio em interagir, humanizar, criar e experimentar momentos ímpares de relações interpessoais e compartilhamento de ideias que transforma-se em um ambiente saudável, acolhedor, seguro (tanto físico como psíquico) e, com todos estes elementos intactos, o aprendizado nasce fluído e se fortalece da melhor forma possível: com total aproveitamento.

E para estes três aspectos ganharem força, de fato, é necessário um olhar criterioso no interior das salas de aula, nos corredores, nos parques e playgrounds, nos horários de descanso e intervalo da alimentação, na programação pedagógica, no ritmo e nas decisões dos educadores e gestores e, acima de tudo, no compromisso instaurado na comunidade escolar. Refletir e compreender as problematizações que cercam todas essas funções é o ponto de partida para uma educação de qualidade, compatível com requisitos da cidadania e desejos ávidos dos estudantes.

Entre os dias 18 e 21 de maio, o espaço São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, localizado na região sul da capital paulista, abrigou a Bett Brasil Educar. Consolidado como o maior evento educacional e tecnológico da América Latina, chegou à sua 23ª edição pautado pelo tema: “Melhor Educação, Melhor Sociedade”, integrando, em sua base, busca das premissas pedagógicas fundamentais, discussão de novos paradigmas para a aprendizagem, inovações, tecnologias e novas formas de pensar e fazer educação.

Reunindo os principais atores e líderes educacionais em um único espaço, com quase 200 empresas expositoras e mais de 220 conferencistas, o evento posiciona-se como um ponto de encontro, onde foram apresentadas tendências, soluções, formação pedagógica, práticas e transformações necessárias para a educação. Em seu terceiro ano sob o comando da i2i Events Group, superou em 15% o número de visitantes em relação à edição anterior e proporcionou inúmeros negócios em seu espaço de exposições.

“Em um momento tão delicado como este pelo qual passa o Brasil, reunir um grande número de tomadores de decisão, professores, coordenadores, gestores, grandes players do segmento educacional e startups, e ainda ratificar o testemunho de negócios efetivamente acordados, é uma vitória especial, não só para a Bett, mas para a educação brasileira como um todo”, destaca Vera Cabral, curadora e consultora em educação da Bett Brasil Educar.

Para os mentores da Bett Brasil Educar 2016, o sucesso do evento é reflexo de múltiplos fatores, partindo da sua reorganização conceitual e de branding, cada vez mais alinhados como o modelo consagrado aplicado na Bett Londres – evento original inglês realizado há mais de 30 anos –, porém respeitando as características inerentes ao mercado brasileiro.

“Importante destacar também a gradativa renovação da grade de conteúdo do Congresso, bem como a inserção de novos perfis de expositores voltados às soluções de gestão, que propiciou um foco mais direcionado ao desenvolvimento de negócios”, relata Cláudia Valério, diretora da i2i Events Group.

CONGRESSO E FEIRA BETT

A programação do Congresso foi organizada em cinco eixos norteadores:

Profissão e Formação Docente – Temas de ordenação de melhores condições de trabalho docente nas escolas, avaliando as políticas de formação de professores, a questão da identidade e papel do professor diante das novas tecnologias, do material didático, do planejamento, do trabalho coletivo, participativo, entre outros. A qualidade da educação e da escola supõe a qualidade da formação inicial e continuada de professores.

Práticas Escolares Efetivas e Inovadoras – Apresenta a realidade criativa das práticas escolares no Brasil, destacando as inovações e as práticas bem-sucedidas que apontam para a transformação da educação, em consonância com a sociedade contemporânea. As práticas escolares são os termômetros da qualidade pedagógica e social da escola.

Políticas Educacionais e Inovações Curriculares – O Plano Nacional de Educação, as Diretrizes Curriculares da Educação Básica e a Base Nacional Curricular Comum precisam ser bem compreendidos e discutidos pela comunidade de educadores para que possam ser implementados e contribuam efetivamente para a melhoria da educação e da sociedade brasileira. O que se espera como resultado da educação básica? Quais são os constituintes curriculares da escola da diversidade, da escola que humaniza, que valoriza as culturas, a ética; da escola que prepara os nossos jovens para a inserção produtiva no mundo de hoje e do futuro?

Aprendizagem: Ciclos da Vida e Ciclos da Escola – Revisitar as teorias da aprendizagem, a partir de novos conhecimentos e de novas práticas. Quais são as contribuições das neurociências para a educação? Como trabalhar diferentes ritmos e processos de aprendizagem, como incluir a todos, desde a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio? Como se aprende e se ensina hoje, com as tecnologias digitais, na escola e na família?

Gestão e Qualidade Social – Como aliar conhecimentos científicos e habilidades de gestão, domínio técnico e formação cultural e humana para lidar com pessoas, processos de produção e organização de modernas estruturas de serviços, de conveniências pluralistas e de eficácia administrativa? Como gerir uma escola nesse contexto de transformação em que vivemos e como incorporar essas questões na prática do cotidiano da gestão de escolas e de redes eficientes, eficazes e efetivas?

Além das palestras guiadas pelos diversos auditórios espalhados pelo São Paulo Expo, os participantes tiveram acesso à Feira Bett que, a cada nova edição, possibilita maior participação aos visitantes com experiências complementares. Com isso, o evento quer integrar os eixos articuladores do Congresso – conteúdos pedagógicos – com as práticas educacionais, desde a concepção (modelos disruptivos, startups) e implementação (movimento makers), até os resultados e soluções (inovação, tecnologia, habilidades).

“Estamos trazendo conteúdo para dentro da Feira Bett para facilitar o conhecimento e as formas de utilização de produtos e serviços e suas soluções para a melhoria da qualidade da nossa educação”, completa a consultora Vera Cabral.

NEGÓCIOS E STARTUPS

A crise política e econômica afetou o mercado como um todo. Ainda assim, os negócios realizados durante o evento superaram as expectativas dos grandes players educacionais, mas também das startups, que mais uma vez tiveram um espaço dedicado para apresentar suas soluções ao segmento e, principalmente, aos tomadores de decisão.

As empresas expositoras puderam apresentar cenários estratégicos para a educação, com inovações atreladas aos conceitos pedagógicos atuais e conteúdos complementares alinhados com a exposição de produtos e serviços. “A proposta é pensar fora da caixa e criar oportunidades de interação e aprendizagem a todo momento para o público. Este é um novo modelo de negócio, onde é possível e preciso entregar valor às pessoas, mais do que simplesmente gadgets, produtos ou serviços”, ressalta Vera.

APOIOS E PARCERIAS

Além do seu formato estrutural que compreende a realização de um Congresso, com debates e discussão pedagógicas, e da Feira, com exposição de produtos e serviços, a Bett Brasil Educar 2016 reuniu ainda importantes parceiros e apoiadores para a realização de seminários, palestras, cursos e workshops paralelos.

O evento teve a chancela do SIEEESP (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo), debates e reuniões que envolveram os setores público e privado, realizados por entidades como SEMESP (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior), Instituto Singularidades, UNDIME-SP (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) e CONSED (Conselho Nacional de Secretários de Educação), que enriqueceram a prática e o conteúdo para a formação de professores, coordenadores e gestores educacionais. 

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.