outubro 13, 2016

Cobertura Crescer 2016 – 12º Congresso e 3ª Feira Educacional

Publicidade

Convex – Banner de conteudo
Matéria publicada na edição 122 | Outubro /2016 – ver na edição online
Chritian Coelho e Augusto Cury durante o evento

Chritian Coelho e Augusto Cury durante o evento

Por Rafael Pinheiro / Fotos Divulgação

O conceito de gestão escolar nos transporta à um universo amplo, denso e plural que retira de nós qualquer pensamento superficial. Promover uma gestão de qualidade ou uma gestão pautada por competências e habilidades que provoquem e estimulem habilidades em toda a estrutura escolar, assim como articulação, organização administrativa, avanço de processos educacionais, liderança e orientação para obtenção de resultados positivos em todos os espaços que compõem a instituição de ensino, é uma tarefa árdua, que solicita atenção redobrada e dedicação exclusiva.

A educação, inserida em um mecanismo complexo e repleto de métodos e ferramentas, demonstra uma necessidade que transcende a sala de aula, podendo, de maneira geral, afetar rotas administrativas – direta ou indiretamente. Observar e analisar todos esses caminhos, que representam uma pluralidade significativa, destaca uma preocupação crescente em preencher lacunas no sistema ensino-aprendizagem, na relação entre aluno-professor e no acompanhamento estudantil ao longo dos anos.

O crescimento – tanto pessoal como profissional – é revelado (e aguardado) nas instituições escolares como um marco de progresso dos alunos. Mas, para esse progresso ser, de fato, incluso na rotina escolar, é preciso pensar no crescimento dos educandos, gestores e mantenedores. Projetando, dessa forma, uma aliança segura em toda a rede escolar. O crescimento alimenta e transforma, constrói relacionamento interpessoal, garante estratégias administrativas e destaca habilidades e competências para um melhor entendimento e compreensão do educador e do aluno no século XXI.

dsc_9827

Tendo como ponto de partida o estímulo e extensão do repertório de líderes educacionais, seu papel frente à administração, seu relacionamento e convivência com os professores, estratégias pedagógicas e caminhos escolhidos diante de problematizações, ocorreu no Expo Center Norte, situado na região norte da capital paulista, no dia 15 de setembro, o 12º Congresso Crescer e a 3ª Feira Educacional. O evento foi organizado pela Rabbit Partnership, que vem se destacando no mercado por ser uma empresa de comunicação full service que introduz e interage práticas de marketing, pesquisa, vendas, recursos humanos, atendimento e gestão, com objetivo de fomentar o crescimento de seus parceiros através do aumento do número de clientes, fidelização e redução de perda, ampliação de nichos de mercado e institucionalização da marca.

Com uma programação extensa de palestras que ocorreram ao longo do dia, podemos destacar temas interessantes, como: “Considerações sobre a BNCC (Base Nacional Comum Curricular): a visão de uma estrutura confessional”, conduzido por Solano Portela; “Leitura na escola: um desafio de todos”, por Giuliano Tierno; “O ensino da matemática no contexto da educação integral: o papel do gestor escolar”, por Kátia Stocco; “Como lidar com a cobrança e inadimplência para uma gestão eficaz”, por Joana Doin; “A importância de brincar na primeira infância”, por Regina Shudo; “Psicologia e educação: mitos e realidades”, por Marcio Cohen; e “O código da inteligência e a formação de mentes brilhantes”, por Augusto Cury.

PRODUTIVIDADE, QUALIDADE E ADAPTAÇÃO

Christian Coelho, diretor do Grupo Rabbit, que ministrou a palestra “Como aumentar a produtividade e eficiência para reduzir custos e melhorar a qualidade dos serviços educacionais”, começou sua fala citando a teoria da seleção natural de Charles Darwin, à qual a espécie com melhor adaptabilidade tem mais chances de sobreviver às mudanças de grande magnitude, como a alteração do clima ocorrida em nossa pré-história, que ocasionou o desaparecimento dos dinossauros e a ascensão dos mamíferos.

“Precisamos melhorar a produtividade e a performance. Não podemos repetir ações do passado. E quem vai sobreviver agora são as empresas mais adaptáveis, que melhor se adequam à realidade”, disse Christian. A adaptação, citada por Christian, possui uma relação intensa com baixa performance estudantil, gerando, assim, problemas evidentes com inadimplência, custo e captação de clientes.

dsc_9644

Segundo Christian, atualmente passamos por mais uma fase de grandes transformações e a premissa é a mesma. As empresas arcaicas, pesadas, lentas nas tomadas de decisões e apegadas ao passado, correrão mais riscos que as modernas, enxutas e atentas ao seu redor. “Neste cenário em que o cliente está empobrecido e a concorrência mais aguerrida, é imprescindível aumentar a eficiência da prestação de serviço e buscar, de forma contínua, a melhora na produtividade da equipe”.

Nesse panorama, existem algumas etapas do plano de gestão para melhorar a produtividade. A premissa básica, citada pelo palestrante, é criar na liderança a cultura do essencialismo, ou seja, distinguir o vital do trivial – uma abordagem disciplinar e sistemática para determinar o que realmente é imprescindível e precisa ser gerido pela direção. As outras atribuições devem ser delegadas ou eliminadas.

A segunda etapa é definir um responsável por ação/setor – a pessoa encarregada de organizar os processos e enviar as planilhas de checklist para a direção, podendo executar a ação ou delegar para outro colaborador.

A terceira etapa é a gestão de tempo – somos uma cultura de pessoas que aceitam a ideia de que o que vale é a quantidade de horas trabalhadas, não importando o resultado produzido. Assim, o volume de trabalho aumenta na mesma proporção que a sensação de missão não cumprida. Duas estratégias simples podem melhorar, de forma significativa, a gestão de tempo: Aprender a dizer não (organização) e Planilha de gerenciamento de tempo pública (priorizar as atividades importantes e reduzir a chance do líder procrastinar).

A quarta etapa é a motivação – uma das mais completas pesquisas sobre motivação realizadas até hoje é o Projeto Aristóteles, que chegou à conclusão que para se formar um time com alta motivação as pessoas precisam: acreditar que o trabalho é importante; sentir que seu trabalho é pessoalmente significativo; ter metas e objetivos claros; ter funções definidas; poder fazer escolhas, estar no comando dos seus atos (autonomia).

FEIRA EDUCACIONAL

Além do ciclo de 12 palestras, que ocorreram ao longo do dia, esta edição do evento contou com a 3ª Feira Educacional, tendo diversos expositores apresentando soluções e novidades para as escolas. Dentre os diversos estandes espalhados pelo espaço do Expo Center Norte, um leque gigantesco de produtos e serviços inovadores estavam à disposição dos gestores educacionais para aderir e implantar em suas instituições. Destacamos: Metadil, BrinQI, Pais Atentos, ClassApp, Solution, Argus Studio, Porto Seguro, Styllo, Sistema de Ensino Poliedro, Impacto Saúde, Mapfre, Opet, Escola da Inteligência, FTD Educação, Eleva, DSOP Educação Financeira, Positivo Informática, Rabbit Digital, entre outros.

img_6159

Saiba mais:
CRESCER (12º Congresso e 3ª Feira Educacional)
rabbit@rabbitmkt.com.br
http://www.rabbitmkt.com.br

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.