maio 8, 2017

Conversa com o Gestor Educação Continuada: Preparando o Aluno para o Ensino Superior

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Por Rafael Pinheiro/Fotos Divulgação

Transformar. Transcender. Transmutar. O constante processo de construção peculiar e social atravessa edifícios, dilui barreiras e instaura sua fortaleza nas faculdades do conhecimento – e na tríade saber, experiência e formação. Propiciar ferramentas para essa interação, bem como fomentar as linhas discursivas do pensamento, impulsiona o anseio e a curiosidade que invade – e preenche – todos os campos trilhados por cada aluno e aluna, seja no espaço profissional, pessoal ou educacional.

O fenômeno educacional inserido no cerne do crescimento humano está intimamente interligado com questões sociais, humanísticas, de valores, hábitos, disciplinas e uma série de sensações empíricas que o jovem aprendiz recebe e, consequentemente, transmite nos campos que transita. Analisar a engrenagem de aprendizagem é como aproximar os olhos em pequenos mundos que estão em constante mutação – interior e exterior.

Essa transitoriedade que a educação evoca com total maestria, reverbera sentidos que podem incorporar nas múltiplas fases da evolução acadêmica: ultrapassando a alfabetização e lançando um acompanhamento cauteloso quando o término dos estudos, no ensino médio, se aproxima. A base sólida e fundamental descrita na tarefa de todo colégio é estimular o aluno para a fase adulta, incluindo, assim, carreiras profissionais, sucesso em universidades e cidadãos capazes de senso crítico.

Marcos Loturco, professor e diretor do Colégio Integral, acredita que o ensino médio é a forma de acesso ao Ensino Superior em uma universidade forte que ofereça mais recursos na preparação dos jovens para a sua vida profissional. “O ensino médio bom, até hoje, tem sido o conteudista: Aula dada, aula estudada e mais uma infindável quantidade de exercícios a serem resolvidos.  No momento, mudanças estão acontecendo que acenam para um futuro diferente. Estas mudanças que serão cada vez mais comuns nas escolas permitem uma maior flexibilidade na escolha de sua carreira e na forma como vai se preparar para encarar este desafio. Eu vejo que neste processo haverá uma maior abertura dos horizontes e um aumento nas opções de carreira”.

Argumentar caminhos que devem ser percorridos por escolas públicas ou privadas para obtenção de melhor aproveitamento de alunos nos vestibulares e, posteriormente, na vivência acadêmica é uma tarefa árdua e complexa, visto que cada instituição promove missões e valores distintos com programações e ações pedagógicas voltadas às suas convicções e históricos.

O Colégio Integral, localizado na Grande São Paulo, optou por uma mudança radical no seu material didático e, principalmente, na forma como estes conteúdos são abordados, propiciando, assim, uma visão bem mais aberta do mundo. “Tem uma amplidão de caminhos e possibilidades que levam o jovem educando a ter uma percepção de espaço histórico-temporal bem mais intensa. Isso faz com que ele entenda que não está aqui apenas para decorar ‘formulinhas’, mas sim que tem a necessidade de participar intensamente do processo de ensino-aprendizagem. Esta forma de pensar e estudar leva-o a uma autonomia bem maior de sua vida e de suas escolhas”, ressalta Marcos.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.