junho 19, 2017

Qual o Ensino Médio que queremos?

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Por Cinthia Zaniolo Renaux

A polêmica reforma do ensino médio trouxe, em suas proposições, o objetivo principal de tornar esse período mais flexível e atraente para o aluno. Mas, como é possível chamar a atenção dos adolescentes em sala de aula e fazer com que se sintam motivados? O que a juventude atual deseja?

A grande preocupação dos educadores é como motivar, ensinar, interagir com os jovens de hoje em dia. Esses jovens vão para a escola esperando encontrar um mundo como o seu, conectado, aberto, veloz, global. Estão acostumados a passar horas na internet e fazem várias coisas ao mesmo tempo. Eles têm uma abundância de informações e a velocidade com que estão acostumados a recebe-las é muito grande e natural. Mas eles precisam aprender a selecionar discernir estas informações. E é aqui que entra a necessidade de receber auxílio dos pais e educadores para que consigam diminuir a ansiedade pela velocidade, pelas respostas imediatas, pelo tédio de estudar e aprender algo que, muitas vezes, julgam não lhes interessar.

Se formos pensar num sentido mais amplo, em termos de sala de aula, podemos considerar aquele espaço uma micro sociedade. Então, muitas das situações de aprendizagem e de desafios vividos pelos alunos em sala de aula podem ser generalizados posteriormente para um contexto maior. Por isso é importante incitar e estimular os alunos a buscar informações com pesquisas, seminários e debates, proporcionando uma construção coletiva de saberes.  O professor ensina o aluno a aprender e o aprendizado ocorre por meio de ações continuadas.  Aulas de oficinas, laboratórios, produção de texto e oratória, ministradas em salas ambientadas para isso também são importantes. Os alunos vão até os professores de acordo com a matéria que irão ter naquele horário.

Outras práticas na escola, capazes de auxiliar os alunos a refletirem sobre seus erros, trabalham a coordenação, a concentração, entre outros, são muito importantes. Isso os ajuda a interagir positivamente com a sociedade, trabalha aspectos relacionados à frustração, superação de desafios e maturidade.

Sabemos que a vaga na tão sonhada universidade é um alvo. Mas o trabalho deve ser para que essa juventude seja formada por pessoas que fazem a diferença na sociedade, para que sejam pessoas sensíveis, questionadoras, atuantes na vida e na profissão que escolheram, e que trabalham para uma sociedade melhor. O principal objetivo deve fazer o aluno pensar por meio de uma educação ativa, tendo em vista a formação do cidadão consciente.

Acredito que uma sociedade melhor passa por educar a juventude em valores e auxiliar a construir personalidades flexíveis e éticas. Os alunos precisam de uma formação integral.  A ideia é que, além de saber conteúdos, os jovens saibam pensar e sejam críticos, que tomem decisões adequadas. Outra tarefa fundamental que nos compete é proporcionar aos alunos desenvolver suas capacidades e habilidades. Esse é o Ensino Médio que queremos

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.