agosto 10, 2017

Conversa com o Gestor – Ensino Médio: Desafios, habilidades e reformulações

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

Tendo como ponto de partida a formação integral do aluno, o Colégio Vértice promove atividades que transcendem a sala de aula com propostas de ações internas e externas em diversas áreas, como: Palestras promovidas pelo Colégio com atletas de alto rendimento; Palestras para pais e alunos sobre universidades no exterior; Bolsas de intercâmbio cultural, dentro da iniciativa PASCH, em várias cidades da Alemanha; Encontro anual de alunos com ex-alunos para debates e trocas de experiências sobre mercado de trabalho; Participação em competições estudantis globais de esporte (Futsal) e acadêmica (engenharia e aerodinâmica), representando o Brasil; Participação em Ações Comunitárias para a captação de doações para as instituições ajudadas pelo Colégio.

“Acreditamos que o conhecimento não é um fim em si mesmo, mas um meio para preparar o aluno a enfrentar os desafios da vida e formá-lo como cidadão, pronto para o mercado de trabalho, de um mundo global e em constante mudança. Estas iniciativas colaboram com esta proposta”, destaca o diretor.

 

CONTEÚDO, TECNOLOGIA E PROGRAMAÇÃO

A sociedade atual está pautada, de certa forma, pela tecnologia. Assim, o diálogo tecnológico, o trabalho com plataformas e a possibilidade de intercalar novas metodologias explora interesses e amplia repertórios. “Não há como não se pensar em trabalhar tecnologia na educação hoje em dia”, diz Luisa Ferraiuoli, Gerente de Inovações Educacionais do SAS. “Trazer isso para a sala de aula é, além de aproximar o cotidiano escolar do social, fomentar o interesse do aluno em vivenciar essas experiências”.

Segundo Luisa, o aluno do Ensino Médio tem, em geral, uma carga horária maior que as dos demais segmentos. Dessa forma, soluções digitais ajudam esses alunos a potencializarem seus estudos, além de perceber que as ferramentas auxiliam nas áreas com dificuldades. “O que estou querendo dizer: aluno que tem mais aptidão para Biologia, por exemplo, e apresenta dificuldades em entender Filosofia, busca videoaulas, questões ENEM etc. para melhorar seu desempenho, e consegue”.

Além dos aparatos e soluções digitais, instituições escolares expandem o conhecimento no campo tecnológico e fornecem materiais para a produção de aplicativos e softwares, através da linguagem da programação.

Em Curitiba (PR), o Colégio Positivo oferece aulas de linguagem de programação para os alunos de Ensino Médio e Fundamental desde o início de 2016. As turmas têm aulas semanais ou quinzenais e desenvolvem desde aplicativos mobile para o sistema Android, até dispositivos utilizando a plataforma Arduino, que podem ser utilizados em robôs, projetos de automação, projetos de iluminação, entre outras coisas.

O professor de Lógica de Programação do Colégio Positivo, Fernando Dimas Souza, conta que a linguagem aumenta a capacidade cognitiva desses alunos, desenvolvendo, inclusive, a capacidade de solucionar problemas logicamente. “Programar nada mais é que conversar com a máquina e ensiná-la a fazer o que você quer. Quando o aluno desenvolve essa capacidade, ele adquire mais autonomia, raciocínio lógico e confiança”, explica. A intenção, segundo o professor, é que, no futuro, os alunos possam criar os próprios programas e resolver problemas do cotidiano por meio desse conhecimento tecnológico.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.