setembro 10, 2017

Dica – Lousa, EVA, Cortiça: Interação e Comunicação Visual

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

No interior da instituição escolar – seja ela de educação fundamental, média ou superior – amplos debates e intensas reflexões alteraram (e ainda modificam) os processos que garantem a relação ensino-aprendizado. Através dessas reflexões podemos compreender a mudança (não só) dos espaços físicos educacionais, mas também os anseios de alunos e alunas que integram a escola na contemporaneidade.

Se observarmos as salas de aula de nosso espaço de memórias, visualizamos um quadro negro que preenche a parede principal, além de uma caixa de giz que compunham os materiais necessários para cada professor ou professora ministrar sua aula específica. Na atualidade, sobretudo no mercado que atende as escolas, é possível encontrar outras opções de lousas, quadros e acessórios de acordo com o perfil/necessidade de cada instituição.

Carla Brasolin, diretora superintendente de uma empresa que fabrica diversas opções de quadros, indica que a lousa branca porcelana magnética é um dos tipos mais utilizados pelas escolas. E o fator tecnológico, como interatividade/dinamismo também influencia na escolha das lousas. “Toda escola que quer ter um atrativo comercial, opta pela Lousa Interativa por ser um produto inovador e que pode agregar no fator de decisão na escolha da escola”.

Nessa perspectiva, a tecnologia é um dado de realidade em nosso cotidiano e nos beneficia em diversas áreas, principalmente na educação, explorando novos caminhos a seguir, integrando aparatos digitais com o intuito de proporcionar um aprendizado cada vez mais dinâmico e instigante. “A lousa interativa prende a atenção e a curiosidade do aluno. Ideal para trabalho em grupo. A aula se torna dinâmica e o aprendizado acontece normalmente”, ressalta Carla.

Além das lousas, destacamos, também, quadros em cortiça ou EVA que podem ser utilizados para a fixação de aviso, foto, pôster, etc. Em diversas composições e molduras, os quadros – dependendo de sua finalidade e tráfego – podem ser instalados no interior das salas de aula, nos corredores e até nas salas administrativas. “A cortiça além de fixar o alfinete ela não deixa marca de furo. O quadro de EVA é mais colorido. Vai depender do ambiente e do gosto de cada consumidor. Quanto à fixação, os dois tem a mesma função”, diz a diretora.

Com relação a manutenção/limpeza dos quadros e lousas, Carla indica a limpeza com pano úmido com álcool diluído 70% em água, apenas uma vez na semana. “Mas vai depender da superfície. Existem vários tipos de superfície”. Quanto à durabilidade e o período que cada produto deve ser avaliado e trocado, depende também do tipo de superfície. Existe no mercado uma multiplicidade de matéria prima na composição de cada produto. Assim, quadros populares e econômicos podem demonstrar danos em seis meses, enquanto o quadro em porcelana pode ser utilizado por 25 anos – ou mais.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.