novembro 23, 2017

Dica – Móveis: Planejando o Mobiliário

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

A disposição escolar permeia particularidades, normas técnicas, resoluções de segurança e características que envolvam o bem-estar e o cuidado de toda a comunidade escolar – alunos, professores e funcionários da instituição. Através dessa disposição, em especial em salas de aprendizado (teórica, prática ou biblioteca escolar), alguns fatores devem ser observados em sua composição básica, como por exemplo a escolha e adequação dos móveis escolares.

“O mobiliário deve trazer para o usuário segurança, conforto, funcionalidade, mobilidade, acolhimento e prazer em utilizá-lo. Caso esses itens sejam inadequados, haverá com certeza vários prejuízos no decorrer do uso dos mesmos”, afirma Lucila Sarteschi, Vice-Diretora do Colégio Renascença (SP).

Móveis bem projetados de acordo com as normas técnicas e praticidades para atender os perfis de cada faixa etária de estudantes são importantes elementos de apoio no processo de ensino. “Todos os móveis precisam respeitar as dimensões específicas para atender cada faixa etária e deve ser totalmente adaptado às necessidades dos usuários. Estamos falando de alunos de todas as faixas etárias, professores e demais colaboradores”, ressalta Lucila.

O processo de planejamento do mobiliário escolar exige um traçado que envolve cotações financeiras, assessoria pedagógica, auxílio arquitetônico e apoio técnico no que tange às normas específicas. Lucila lista algumas dicas para os gestores que desejam planejar (ou reformular) o mobiliário da escola, como: Dialogar, com todas as pessoas que estão envolvidas no processo educativo, principalmente os alunos (usuários) para diagnosticar quais as necessidades, expectativas e adequações necessárias frente ao planejamento de aquisição do mobiliário; Pesquisar e orçar com diferentes empresas, principalmente as que possuam diferenciais; Visitar diferentes ambientes escolares, para depois, juntamente com a equipe escolar criar um projeto ajustado à sua realidade.

O Colégio Sepam, localizado em Ponta Grossa (PR), realizou a edificação da nova sede para a Educação Infantil em 2013 e priorizou, em sua estrutura, um mobiliário apropriado para cada faixa etária, sendo um modelo para crianças de dois e três anos (Ensino Infantil II e II) e outro para os alunos entre quatro e cinco anos (Ensino Infantil IV e V).

Osni Mongruel Junior, diretor do colégio, conta que, nas salas de aula, o acabamento especial das peças impede a retenção de sujeira e a proliferação de fungos e bactérias, além de possuir os cantos arredondados para evitar acidentes; Nos armários, cada criança conta com uma gaveta para que o aluno guarde adequadamente seus materiais; A lousa branca também segue a altura das crianças. “Depois de estudos arquitetônicos, procuramos no mercado fornecedores de móveis escolares que fossem referência no segmento. Também priorizamos empresas que seguissem as normas da ABNT”, relata Osni. (RP)

Saiba mais:

Lucila Sarteschi – lucila.s@renascenca.br
Osni Mongruel Junior – diretor@sepam.com.br

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.