Fevereiro 7, 2018

O que as escolas podem aprender com os samurais?

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

Ao longo de sua formação os samurais recebiam espada, sacola e arco. A espada para aprender a cortar os vícios de vida e enfrentar seus medos. A sacola para guardar ao longo de sua trajetória as memórias de suas batalhas interiores e exteriores. O arco para atingir numa distancia de 50 a 100 metros seu alvo. Educar um samurai era ensiná-lo a atingir seu alvo, ou melhor seus objetivos.

As escolas precisam disseminar no imaginário dos estudantes, professores, educadores, pais e responsáveis os objetivos de sua ação que é a honra de ser e formar bons cidadãos, em uma sociedade que padece pela falta de caráter e sentido de vida. Os gestores escolares podem aprender com os samurais a animar seus parceiros de caminhada e  mostrar total autocontrole para as pessoas que com eles convivem.

Os professores podem aprender com os samurais que é preciso paciência para atingir resultados satisfatórios com uma juventude multitarefa,  dispersa e com falta de concentração devido ao uso frenético da tecnologia.

Os estudantes necessitam aprender a observar a própria conduta, de modo a reconhecer e compreender alguns aspectos problemáticos e aceitar sua responsabilidade frente as ações e reações de seu comportamento. Os educandos podem aprender com os samurais que a vida é limitada, mas o nome e a honra podem durar para sempre.

 

As famílias precisam aprender com os samurais a respeitar a dor das perdas na educação dos filhos e deixarem que os mesmos convivam com o não, com a derrota e  com aspereza das disputas. A meditação era uma arte na tradição japonesa pois a mesma auxilia na descoberta do caminho que conduz à calma e à harmonia.

Uma questão muito séria para aprender com os samurais é a do autoextermínio. O ritual fazia parte do código de ética dos mesmos, quando cometiam atos desonrosos. Hoje, em muitas escolas, frente às pressões por resultados, crises da adolescência, tensões por relacionamentos conflituosos e eventos de bullying e ciberbullying, muitas crianças e jovens, pensam e executam ações contra sua própria vida. Toda a comunidade educativa deve estar atenta a sintomas como a automutilação que é definida como um comportamento intencional de agressão direta ao próprio corpo.

As escolas precisam a aprender a meditar e agir com a arte dos samurais. Vamos pensar? Não é uma coincidência que o professor (sensei = mestre) é fortemente valorizado no Japão. A missão de educador, não é simplesmente transmitir conteúdos, que sem dúvida são importantes ao educando, mas fomentar no mesmo a busca pelo autocontrole, autodisciplina e capacidade realizadora. Veja os sete princípios dos samurais.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.