abril 12, 2017

Dica – EAD (Ensino a Distância): Conceitos e Efeitos na Educação

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Por Rafael Pinheiro

Interatividade, conectividade, acessibilidade. Essas três definições ganharam (e ainda ganham) uma amplitude imensurável quando lançamos nosso olhar à vivência contemporânea. É possível observar, principalmente nas últimas duas décadas, um aumento considerável de usuários que utilizam aparatos tecnológicos não só com o intuito de entretenimento, mas com objetivos profissionais, educacionais e de conhecimento complementar. Analisar esse fenômeno que encanta essa geração conectada é uma forma de propiciar espaços dinâmicos, com novos recursos e uma gama gigantesca de possibilidades.

Segundo relatório do Fórum Econômico Mundial sobre o Futuro do Software e da Sociedade, muitas tecnologias emergentes de que ouvimos falar nos dias de hoje chegarão a um ponto de mudança extrema até 2025. O mercado de trabalho, inclusive, deve ser bastante afetado. Na Austrália, por exemplo, devido os avanços tecnológicos e automação, muitas carreiras se tornarão obsoletas e 60% dos jovens estão entrando no mercado de trabalho em empregos que serão radicalmente afetados dentro dos próximos 10 a 15 anos. Os dados pertencem ao relatório The New Work Order, divulgado pela Foundation for Young Australians (FYA).

Com relação à educação, uma pesquisa realizada pelo portal Guia de Carreiras, analisou o interesse de seus usuários e descobriu que quase metade deles (46%) deseja cursar uma graduação a distância (EaD). O levantamento foi baseado nas respostas de 650 mil pessoas que informaram suas preferências em ferramenta disponível no portal. O dado confirma a tendência de crescimento da educação a distância no Brasil que, no início de 2015, o total de matriculados já ultrapassava a marca de 3,8 milhões de pessoas, segundo dados Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED).

A pesquisa também investigou a área do conhecimento de escolha dos futuros alunos e cursos de Negócios (tais como Administração, Comércio Exterior e Ciências Contábeis) e de Saúde (como Medicina, Enfermagem e Psicologia) lideram o ranking, somando 49% de interesse dos entrevistados. Em seguida, aparecem áreas como Educação, Engenharia e Tecnologia. Com relação ao perfil dos respondentes, o levantamento aponta um dado curioso: embora 72% tenham o ensino médio completo, outros 19% buscam uma segunda graduação.

DEFINIÇÃO EAD

Conceituada pela Legislação Brasileira no seu artigo 1º, Educação a Distância “é uma forma de ensino que possibilita a autoaprendizagem, com a mediação de recursos didáticos sistematicamente organizados, apresentados em diferentes suportes de informação, utilizados isoladamente ou combinados, e veiculados pelos diversos meios de comunicação” (DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO, decreto nº 2.494, de 10 de fevereiro de 1998).

Usualmente o termo “educação a distância” é empregado para qualquer tipo de sistema que esteja centrado na expansão do acesso ao ensino. “Uma característica da EaD é a utilização de tecnologias para mediar o ensino e a aprendizagem, como: material impresso, material em áudio e vídeo, TV, rádio, internet. De qualquer forma, envolve o papel do professor como mediador da aprendizagem. A educação a distância não é uma educação diferente da presencial, é uma modalidade da educação que se realiza em diferentes espaços, tempos ou ambientes de aprendizagem”, diz Maria da Graça Moreira da Silva, Docente do Programa de Pós-graduação em Educação – linha de pesquisa de Novas Tecnologias da Educação, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.