abril 12, 2017

Qual o motivo de termos tanta dificuldade em implantar algumas práticas mesmo sabendo que são imprescindíveis para o sucesso da nossa empresa?

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

(Segunda parte do artigo)


Para que a coordenadora mude um hábito tão enraizado em seus gânglios basais é necessário atuar da seguinte forma:

 

Gatilhos – Utilizar um calendário de horários fixos no qual todo o staff tem acesso a sua rotina para marcar as reuniões. Saber que está sendo monitorado é um ótimo motivo para não procrastinar.

Começar de forma gradativa com as pessoas mais afáveis e que possua mais afinidade.

Iniciar às sextas-feiras, no primeiro horário, sem passar pela sua sala e tomar um belo café na padaria.

Após assistir a uma aula, sempre programar uma atividade de fácil execução e que lhe cause prazer como, por exemplo, montar o planejamento pedagógico para o próximo ano. Pedir para a equipe e recepção evitar de interrompê-la nestes horários.

Rotina – Empenhar-se nessa tarefa por um tempo, pois em breve os gânglios basais jogarão em seu favor.

Porta de saída – Logo perceberá que as sensações negativas eram supervalorizadas, que o ato de assistir às aulas proporciona mais segurança para suas tomadas de decisão, que o corpo docente também cria o hábito e aceita este tipo de gestão e que o principal objetivo, que é a busca do aprimoramento pedagógico, torna-se uma prática cotidiana.

Após conhecer o funcionamento da construção dos hábitos, é possível criar estratégias para mudá-los. São necessárias quatro etapas para uma mudança de hábito:

1- Autoconhecimento – Todos nós temos qualidades, características que precisamos melhorar e pontos cegos, isto é, virtudes e defeitos que não conseguimos enxergar, mas que são claros aos olhos dos outros.

Quanto maior o autoconhecimento menor é a quantidade de pontos cegos e, consequentemente, a chance de possuirmos hábitos negativos que comprometam nossas relações interpessoais.

 

Exercício: Mudança de hábito no trabalho – Escreva a seguir uma qualidade que você considera um grande ponto forte e que faça a diferença na empresa, uma característica que precisa melhorar no dia a dia do trabalho e pergunte para o colega ao lado, sem mostrar suas considerações, que especifique seu ponto forte e seu ponto fraco. Deixe-o à vontade para falar, anote, dê continuidade ao exercício com mais três pessoas do seu convívio na empresa e verifique se a sua autoimagem condiz com a versão que você passa para as outras pessoas.

 

                                Minha opinião Opinião do colega ao lado Opinião 2 Opinião 3 Opinião 4
Ponto forte          
Ponto fraco          

 

2 – Processo gradativo – Inicie com propositivos (metas) de curto prazo, que não sejam de grande complexidade e, preferencialmente, que não dependam de terceiros.

 

3 – Propósito – Senso comum. As pessoas que conseguiram mudar hábitos sempre tinham um propósito claro, sabiam por que estavam se esforçando e qual a importância que a mudança teria na sua vida.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.