fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Brinquedoteca: Escolha dos brinquedos

A brincadeira tem um papel fundamental no desenvolvimento de toda criança. Atividades lúdicas, jogos pedagógicos e o estímulo pela criatividade são características que, se bem trabalhadas, contribuem diretamente para o desenvolvimento dos aspectos físico, cognitivo e social. “As atividades lúdicas têm a capacidade de auxiliar em diversas habilidades das crianças, dentre elas a criatividade, o estímulo intelectivo, a socialização e o autocontrole”, garante Percila Paloma, Gerente de Marketing e Venda de uma empresa fabricante de brinquedos para escolas e áreas infantis.

Nesse sentido, espaços específicos que podem ser projetados nas instituições de ensino, como por exemplo as brinquedotecas, amplificam os reflexos positivos das brincadeiras, contribuindo não só com o desenvolvimento de habilidades físicas ou no auxílio do aprendizado de maneira lúdica, como também no incentivo do entrosamento, da sociabilidade e das experiências múltiplas entre as crianças para além das salas de aula.

Na estrutura física das brinquedotecas, inclusive, é possível incentivar o lúdico através de ambientes cenográficos temáticos (como postos de gasolina, quiosques, mercadinho, comércio ou até de profissões), propiciando, assim, uma experiência mais imersiva e uma aproximação com a rotina das crianças. Segundo Percila, a faixa etária ideal para frequentar as brinquedotecas varia entre seis meses e sete anos, e os professores podem trabalhar atividades interdisciplinares com as crianças, através de projetos relacionados com a matriz curricular ou por atividades específicas, como contação de estórias por meio de fantoches e artes.

DICAS DE BRINQUEDOS

Algumas sugestões podem ser observadas pelos/as gestores/as escolares no planejamento de brinquedotecas. De acordo com Percila, a indicação de faixa etária e a escolha do equipamento – desde os níveis de obstáculos até componentes que podem agregar na composição do brinquedo – são fatores primordiais que devem ser considerados.

Para os bebês a partir de seis meses, a gerente recomenda mesinhas da linha Toy, um modelo colorido que chama a atenção dos pequenos e auxiliam nas atividades psicomotoras e interativas. Para as crianças de dois a três anos, “sugerimos a Área Baby, um mini kid play com piscina de bolinha, multicolorido, que se destaca por ter um visual atrativo, estimulando brincadeiras coletivas, promovendo interação e sociabilização entre as crianças. Também indicamos mesinhas de massinhas e bloquinho que despertam a criatividade da criançada”, diz.

“Para os maiores sugerimos o Kid Play Brinquedão com obstáculos e as cenografias”, indica Percila. “São diversas opções cenográficas que não podem faltar em um espaço infantil, dentre elas: o camarim, o pet shop, o posto de gasolina, a casinha e o mercadinho. Além de despertarem o lúdico e a criatividade, auxiliam nas aulas das disciplinas de matemática, português, história e geografia”, completa. (RP)

Saiba mais:
Percila Paloma – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados