Guia para Gestores de Escolas

Dica – Dia Mundial da Água: Conscientização e Sustentabilidade

Por Rafael Pinheiro

Sustentar, cuidar, proteger, comprometer, desenvolver, transformar, conscientizar. Todas essas definições podem ser acopladas em diversos espaços sociais – seja ele empresarial, público, privado, cultural, estudantil e tantos outros. Destacar a importância que o conjunto dessas definições implicam no cotidiano urbano denota problematizações amplas que necessitam reflexões densas e ações práticas emergentes.

Nas últimas décadas, a urgência do discurso da sustentabilidade ganhou força em todos os aspectos, envolvendo a relação e interferência do homem no meio ambiente, seu desenvolvimento social e a promoção de uma educação pautada pela sustentabilidade – ou para um futuro sustentável.

Os debates sustentáveis anunciam (não só) uma preocupação intensa com o futuro que nos aguarda, como a conscientização educativa, critérios de equilíbrio ecológico, construção de um pensamento socioambiental e o cuidado plural que deve existir do ser humano com o espaço que ele habita e transita.

Diante da importância do recurso hídrico para a vida humana, foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), através da resolução A/RES/47/193, de 21 de fevereiro de 1993, declarando o dia 22 de março como uma data oficial para realizar ações e atividades com o intuito de reflexão e mobilização social sobre o significado e a utilização da água em nosso planeta.

Além do Dia Mundial da Água, a ONU também divulgou, na mesma data, a Declaração Universal dos Direitos da Água, um documento sobre as sugestões, medidas e informações necessárias para a solução dos problemas do uso da água, considerando-a um bem perecível. Contendo 10 artigos, o documento ressalta, entre outras normas: A água faz parte do patrimônio do planeta; Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia; A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

A interagência da Organização das Nações Unidas que trata de recursos hídricos e saneamento (ONU Água), orienta, a cada ano, um tema específico para celebrar, discutir e refletir no dia 22 de março. Em 2016, o tema escolhido pela ONU foi “Água e Empregos: Investir em Água é Investir em Empregos (Water and Jobs – Investing in water is investing in jobs)”. Para este ano, o tema central será sobre “Água Residual”, aquela resultante de algum processo, como o industrial, e que geralmente pode ser reutilizada para fins que demandem menos qualidade. E, para 2018, o tema será “Soluções Naturais para a Água”.

No ambiente educacional, base de construções e desenvolvimentos, ações começam a ganhar força para a conscientização e divulgação de práticas com o intuito de promover o pensamento sustentável. A preocupação em ressaltar a importância da economia tanto hidráulica como elétrica em debates/aulas com o objetivo de sanar dúvidas e promover a conscientização ambiental deve ser uma prática recorrente que garante efeitos satisfatórios no desenvolvimento do aluno e, consequentemente, em sua participação social.

CERTIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL

O Colégio Positivo Internacional, inaugurado em 2013 e localizado no Paraná, conquistou a certificação internacional LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), na categoria Schools. O selo de ouro, concedido pelo Green Building Council Brasil, membro do World Building Council, conselho mundial que incentiva e regula operações sustentáveis na construção civil, é o segundo mais significativo em uma escala que contempla também os níveis bronze, prata e platina.

No Brasil, cerca de mil empreendimentos buscam a certificação LEED, entre os quais apenas 180 conquistaram-na. Desses, dois são escolas: o Colégio Positivo Internacional, com nível ouro e o Colégio Estadual Erich Walter Heime, de Santa Cruz (RJ), com nível prata.

Projetado e construído de acordo com os critérios de green building, o colégio – unidade própria de Educação Básica do Grupo Positivo – prevê a redução de 45% do consumo de água potável e de 74% do consumo de energia elétrica em comparação com escolas do mesmo porte que não seguem padrões de construção verde. “Os benefícios da obra dividem-se em duas vertentes: economia de recursos e conforto, por meio, por exemplo, da otimização da qualidade do ar no interior da edificação, o que reduz a ocorrência de doenças respiratórias”, afirma Guido Petinelli, que orientou e acompanhou todo o processo de construção da escola.

Para a professora Audry Castello Branco, diretora do Colégio Positivo Internacional, a conquista corresponde às práticas de ensino da instituição, que privilegia a educação pelo exemplo. “A certificação em nível ouro mostra que, além de proporcionarmos um espaço que valoriza a sustentabilidade e estimula em nossos alunos a prática do consumo consciente, somos também exemplo para outras instituições de ensino e contribuímos para o progresso sustentável da sociedade”, considera.

Segundo a professora, ao implantar práticas verdes em sua lógica de funcionamento, a instituição promove benefícios físicos, mentais e cognitivos para os estudantes, assim como respeita o meio ambiente e a comunidade em que a escola está inserida.

ISO 14.001 DE GESTÃO AMBIENTAL

O colégio conta ainda, desde dezembro de 2013, com a certificação ISO 14.001, um atestado internacional de eficiência em gestão ambiental. Para o diretor-geral do Colégio Positivo, professor Celso Hartmann, a preocupação ambiental vai muito além dos muros das unidades da instituição. “Como educadores, temos o compromisso de ensinar pelo exemplo. Não apenas estamos avaliando, gerindo e reduzindo os impactos ambientais de nossas ações, como também estamos formando cidadãos comprometidos com o mundo em que vivem e que multiplicam o respeito à conservação do meio ambiente em suas casas e demais lugares de convivência e, futuramente, também em seus locais de trabalho”, afirma.

As quatro unidades do Colégio Positivo, além de outras nove unidades do Grupo Positivo, são certificadas com a ISO 14.001. Essa norma estabelece os requisitos para o funcionamento de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) consistente. Implantado em 2012 e certificado no fim de 2013, o SGA garante o monitoramento dos recursos naturais e a correta gestão de resíduos, além de sensibilizar colaboradores, fornecedores e prestadores de serviço acerca de ações que impactam positivamente o meio ambiente. (RP)

 

Saiba mais:
Nações Unidas no Brasil (ONU BR) – https://nacoesunidas.org/

Receba nossas matérias no seu e-mail

Relacionados
Fale conosco!