Guia para Gestores de Escolas

ENEM: Controle emocional é essencial para a realização da prova, aponta especialista

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que ocorrerá nos dias 4 e 11 de novembro de 2018, promete mobilizar milhares de estudantes com o intuito de avaliar o desempenho escolar/acadêmico ao final do Ensino Médio, além de auxiliar no acesso do Ensino Superior. Dessa forma, a extensa avaliação (que compreende Linguagens, Códigos e suas Tecnologias / Redação / Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias / Matemática e suas Tecnologias) deve ser guiada por uma intensa preparação – tanto física e intelectual, como também psíquica.

Para Celso Lopes de Souza, psiquiatra e fundador do Programa Semente – metodologia que desenvolve a aprendizagem socioemocional em escolas brasileiras – o furacão de emoções que invade os vestibulandos nessa época do ano pode ser melhor administrado quando algumas habilidades socioemocionais são colocadas em prática. Por exemplo, reconhecer e nomear as emoções, identificar os pensamentos que estão estruturando essas emoções e reformular esses pensamentos quando eles estão distorcendo a realidade são estratégias sólidas para desenvolver o autocontrole na hora da prova. “Chamamos isso de flexibilização cognitiva”, afirma.

Celso explica que, mesmo capacitados em termos de conhecimento, muitos estudantes “derrapam” no momento da prova e comprometem o resultado. “A ansiedade na sua forma improdutiva faz com que esses alunos fiquem tão nervosos a ponto de não conseguirem reverter em pontos o que sabem – têm brancos e sensações físicas como: taquicardia, suor excessivo e tremores”. Numa aula sobre autoconhecimento e autocontrole do Programa Semente, por exemplo, o aluno é incentivado a refletir sobre suas emoções e se conhecer melhor.

ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO

O professor de Matemática do Colégio Farias Brito, Jorge Júnior, recomenda que os candidatos estejam atentos ao nível de dificuldade das questões. “A dica é que o candidato procure ler a prova e já resolver as questões mais fáceis e rápidas, aquelas que não precisam de cálculo algum, como as que envolvem projeções ortogonais, análise de gráficos e tabelas, por exemplo. Os itens mais complexos, com grande quantidade de números devem ser deixados para o final”, aconselha.

Para calcular melhor o tempo de prova, Tom Dantas, professor de Linguagens do Farias Brito, orienta que os alunos estabeleçam a marca de uma hora e trinta minutos como parâmetro para resolver as provas. “É fundamental que o candidato saiba dividir o tempo. Deve-se pensar a seguinte divisão: 1h30min para Linguagens, 1h30min para Ciências Humanas e 1h30min para Redação. A última hora fica de reserva, para usar nas questões mais complexas de cada uma dessas áreas. Essa divisão é muito importante porque se o aluno passa duas horas na redação e outras duas horas em outra prova, não sobrará tempo para responder as demais questões”, explica.

DICAS DE PREPARAÇÃO

Vinicius de Carvalho Haidar, coordenador do Curso Poliedro, preparou uma lista com cinco dicas valiosas para os candidatos neste período. Confira:

1) Faça simulados

Permanecer horas focado e concentrado na resolução de questões não é uma tarefa simples. Por isso, o treino é essencial. “Ao realizar simulados no estilo ENEM, o candidato utiliza uma excelente ferramenta diagnóstica, que auxilia na definição de quais matérias precisam de mais dedicação nos estudos e que o ajuda a se ambientar em dois aspectos importantes: a preparação física/emocional e o bom gerenciamento do tempo de prova”, descreve.

 

2) Crie um bom planejamento de estudos

Elabore um planejamento de estudos com metas semanais. Assim fica mais difícil de perder-se ao longo das semanas em meio ao conteúdo denso. Inclua todas as matérias e frentes que precisa estudar para o ENEM, priorizando tópicos que mais pesam nesta prova e que você tem mais dificuldade. É preciso ter um domínio sólido dos conteúdos do Ensino Médio para conseguir uma nota satisfatória.

 

3) Comece pelos exercícios mais simples

Não inicie os estudos pelos exercícios mais complicados, porque é importante construir uma boa base antes de avançar para os problemas mais difíceis. A melhor maneira de estudar é se focar na teoria e na resolução dos exercícios, em nível crescente de dificuldade.

 

4) Tire suas dúvidas e atualize-se

Embora o ENEM tenha uma grande contextualização das questões e alta exigência de raciocínio e compreensão dos enunciados, equivoca-se quem considera que é possível obter um ótimo desempenho só por ter uma boa habilidade de interpretação de textos e gráficos.

É preciso assimilar o conteúdo das aulas, prestando atenção e copiando a matéria. Tome cuidado com as distrações, principalmente o celular. Utilize as aulas e a presença do professor para sanar todas as suas dúvidas. “A leitura de jornais, revistas e conteúdo da internet é indispensável para o candidato se preparar e ter conhecimento para a produção da redação do ENEM”, aponta o coordenador do Poliedro.

 

5) Cuide da saúde

De acordo com Vinicius, a saúde física e mental pode afetar diretamente a qualidade dos estudos. Por isso, é preciso dormir bem (entre seis e oito horas diárias) e cuidar da alimentação, sem cometer exageros. Antes das provas procure ingerir alimentos com baixo índice glicêmico, como os alimentos integrais, que irão reduzir o seu apetite durante a realização do exame.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
Fale conosco!