fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Lousas digitais: Interação e dinamismo nas salas de aula

A tecnologia tornou-se, com o tempo, uma das ferramentas indispensáveis em nosso cotidiano. Diversos setores sociais acompanharam as inserções digitais com o intuito principal de facilitar e modernizar as demandas contemporâneas. No processo educacional, por exemplo, as novas ferramentas e serviços tecnológicos, bem como plataformas digitais e inovações para o processo de aprendizagem, adentram, cada vez mais, nas instituições de ensino.

“Sabemos que as crianças e adolescentes estão em constante contato com computadores, tablets e smartphones. O uso da tecnologia é real. É extremante vantajoso para o desenvolvimento de habilidades e competências inserir as soluções digitais no contexto escolar”, afirma Gisele Presoto, Head Sales de uma empresa de soluções educacionais.

Nas salas de aula percebemos uma geração de alunos completamente conectados, com um grande volume de informação, além de um interesse explícito por atividades em meios digitais. Os tradicionais panoramas da educação e seus programas pedagógicos entram, então, em um processo de reestruturação, a fim de acompanhar esses alunos e deixar o ensino mais instigante. Como um dos exemplos dessas mudanças, temos as lousas digitais, que alteram o impacto visual e promovem maior interação com o ensino.

“As aulas tornam-se mais dinâmicas e também mais rápidas, possibilitando ao professor transmitir um número maior de conteúdo num mundo completo e cheio de possibilidades. Não se anula o uso da lousa tradicional, no entanto, a solução integrada é sempre a melhor opção”, garante Presoto.

Em um panorama comparativo entre pontos positivos e possíveis desvantagens na utilização de lousas digitais nas salas de aulas, Gisele Presoto é enfática ao afirmar que não há desvantagens. Nos pontos positivos, ela destaca: “contribui ativamente para a melhora de interpretação das informações; possibilita de forma positiva a discussão dos temas das aulas; dinamiza e facilita o aprendizado organizando as informações, além de reduzir a evasão; e inclui a diversidade de alunos, fazendo valer, de fato, a educação inclusiva”.

Para os/as gestores/as que desejam incluir lousas digitais nas instituições, algumas dicas são primordiais antes de adquirir o equipamento, como: busque uma empresa que se destaque neste setor, tendo, inclusive, um compromisso com a educação; e priorize empresas com fabricação própria, com tecnologia avançada, instalação, configuração e capacitação pedagógica.

Segundo Presoto, a capacitação pedagógica é primordial para que a tecnologia, de fato, seja efetiva em sala de aula. “O próprio Ministério da Educação (MEC) reconhece essa necessidade de capacitar os professores em novas tecnologias. O objetivo deve ser sempre preparar melhor os profissionais, fornecendo domínio das tecnologias digitais, ajudando-os a desenvolverem metodologias inovadoras e eficazes”. As lousas digitais, com a sua estrutura visual combinada com interfaces tecnológicas e dinâmicas, despontam no cenário educacional como uma nova forma de interação entre o aluno e o aprendizado. E quanto ao desempenho na utilização, “já é comprovado o quanto o aluno passa a ser o ator de sua própria aprendizagem, tendo o professor como mediador”, finaliza Presoto. (RP)

Saiba mais:
Gisele Presoto – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!