Guia para Gestores de Escolas

Recursos Humanos: Gestão de Pessoas

Projetos, planejamentos, estratégias, resoluções, atendimentos, melhorias. Essas palavras-chave ganham uma notoriedade imensurável quando o assunto é gestão administrativa. Dessa forma, compreender uma instituição de ensino com alto nível de administração não é tarefa fácil, já que existem, hoje, um conjunto diversificado de setores internos no campo educacional. Observando os processos que compõem (e entrecruzam) a gestão escolar, localizamos uma área de suma importância para a rotina de uma instituição: os recursos humanos.

“A área de RH tem como missão apoiar a direção da instituição de ensino na condução da gestão de pessoas, visando, por esse meio, contribuir para a realização da missão, prática dos valores e o fortalecimento da cultura organizacional, além da execução da estratégia e a superação dos resultados almejados, com um clima de confiança, respeito, iniciativa e inovação”, afirma Luiz Edmundo Rosa, diretor de Desenvolvimento de Pessoas da ABRH-Brasil (Associação Brasileira de Recursos Humanos).

Segundo o diretor, o desempenho do departamento de Recursos Humanos pode refletir diretamente na gestão/direção da instituição de ensino. “Há incontáveis estudos e exemplos que demonstram como a gestão de pessoas agrega valor à efetividade e qualidade do serviço oferecido, bem como aos resultados. Pessoas capacitadas e engajadas são muito mais produtivas e inovadoras, sendo um diferencial competitivo para a instituição”.

Esther Cristina Pereira, psicopedagoga e diretora da Escola Atuação – instituição localizada em Curitiba (PR) – acredita que a área do RH precisa estar alinhada com a missão e valores da instituição, além de promover, sempre que possível, capacitações e aperfeiçoamentos para os funcionários responsáveis pela gestão do RH.

“Em relação às atribuições e responsabilidades do RH, ser responsável e cuidar de todo o controle da documentação dos funcionários e, principalmente, cuidar dos funcionários. O RH de escola é muito diferente de um RH de outro espaço de trabalho. Na escola lidamos só com gente: professor, pai, aluno, mãe. Esse funcionário precisa ser muito cuidadoso e estar fortalecido para exercer a tarefa”, destaca a diretora.

No que tange a terceirização dessa área, o diretor da ABRH-Brasil defende que o RH tem uma dimensão estratégica quando cuida dos valores, da cultura, dos talentos, da sucessão e da produtividade. Assim, é essencial compreender as particularidades da instituição através de um olhar interno da organização “para responder com políticas, processos e programas de gestão de pessoas sintonizados com as necessidades do presente e do futuro. No entanto, quando falamos de processos operacionais, tais como folha de pagamento, administração de benefícios, recrutamento, pesquisa de clima, entre outros, sua execução pode ser delegada a empresas terceirizadas”. (RP)

Saiba mais:

ABRH Brasil – www.abrhbrasil.org.br

Esther Cristina Pereira – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
Fale conosco!