Fevereiro 7, 2018

O que as escolas podem aprender com os samurais?

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

“Tenha compaixão, ajude os seus companheiros em qualquer oportunidade. Se a oportunidade não surge, saia do seu caminho para   encontrá-la”. Código Samurai

 No Japão na era pré-industrial existiam um sujeito nomeado Samurai ( 侍 ) era muito influente por pertencer a nobreza militar. Esses guerreiros tinham a função de defender os  senhores feudais ou daymios. O termo samurai é derivado do japonês arcaico, do verbo “samorau”, alterado para “saburau”, que significa “servir” ou “aquele que serve”.

O serviço dos samurais era alicerçado em seu código de ética chamado Bushido (caminho do guerreiro) que determinava sua conduta no cumprimento de sua missão, visão e valores. Afinal: “quem não sabe para onde vai qualquer lugar serve”.

Em muitas escolas seria preciso um código de ética e conduta para evitar e resolver tensões no clima e micro climas organizacionais. Aliado ao PPP – Projeto Político Pedagógico esse documento deveria dar a todos da comunidade educativa a visão real de seus limites e possibilidades.

Quando digo todos, são todos mesmos, até para pais e responsáveis que querem ingerir e “mandar” na escola, sem entender de processos pedagógicos e rotinas educacionais. Uma escola que quer agradar a todos os pais (clientes) tende a falir. Meus sentimentos!

Os estudantes e familiares deveriam respeitar os professores e educadores pela sua experiência docente e pelo acumulo de formação continuada, no lugar de esperar funcionários submissos, deveriam esperar seres autônomos e sujeitos sociais revestidos da capacidade de facilitar as bases e estruturas para formar caráter e personalidade.

De cada samurai era exigida a autodisciplina capaz de fomentar ao individuo a clareza nas decisões e coerência e coesão que permite a habilidade e estratégia para resolver situações problemas. A autodisciplina exige a disciplina e a humildade para o treinamento até atingir resultados de excelência. Treinar exige memória efetiva e afetiva e foco na missão e na visão. Falta a muitos estudantes a clareza de seu projeto de vida e a verdadeira razão de estudarem. O Bushido ensina que é extremamente necessário: “acreditar na justiça, mas não a que emana dos demais e sim na tua própria”. Cada estudante matriculado em escola púlica ou particular quando reprovado, perde, financeiramente um carro usado pelo ano, além de autoestima e tempo.

Neste momento em que se discute BNCC – Base Nacional Curricular, Reforma do Ensino Médio com itinerários formativos é vital que gestores e professores discutam a importância da disciplina, organização, resistência, resiliência, lealdade e coragem (características do caminho dos guerreiros). Os professores tem sido guerreiros da paz, para lidar com a crescente indisciplina dos alunos, por vários motivos. É um desafio informar, formar e gerar pensadores em tempos de respostas fáceis e pouca ação efetiva.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.