Guia para Gestores de Escolas

Administração: As competências e habilidades exigidas do Gestor Escolar na atualidade

Entrevista por Rafael Pinheiro / Foto Divulgação

Educação é sinônimo de movimento e, na contemporaneidade, todas as áreas que compõem uma instituição de ensino precisam repensar estratégias e mecanismos para se adequar a realidade de novos e novas estudantes que entram no sistema de ensino. Dessa forma, para compreender as necessidades atuais que emergem na administração escolar, conversamos com Adriano Guimarães, especialista em educação. Confira abaixo a entrevista na íntegra.

Direcional Escolas: Quais as principais competências e habilidades que o gestor escolar deve ter na atualidade?

Adriano Guimarães: O gestor deve buscar competências e habilidades que muitas vezes não estavam dentro da sua característica principal como gestor escolar. Normalmente, os gestores nascem como professores da instituição de ensino, com um perfil focado na questão acadêmica, pedagógica e de ser o gerador de conteúdo e de aprendizagem.

Esse gestor-professor, atualmente, tem que ser mais do que um gerador de conteúdo. Ele deve ser um moderador e colocar a escola dele nessa nova educação, a chamada Educação 4.0, providenciando habilidades e competências também para os professores e todos aqueles que atuam na escola e na gestão de aprendizagem, por meio de estudos dessas novas tecnologias e metodologias de ensino para manter a convivência com esse novo aluno. Com isso, consegue manter o estudante engajado na escola. Além de estender sua aprendizagem para os indicadores de gerenciamento administrativos e financeiros de uma escola.

Direcional Escolas: A adoção de tecnologia deve estar no foco da gestão na atualidade?

Adriano Guimarães: O gestor precisa estar antenado e isso significa implantar cada vez mais tecnologias na sua instituição, para tornar as aulas atrativas. O aluno tem acesso instantâneo a qualquer tipo de informação e ele não sabe mais conviver com um ambiente analógico. Portanto, a adoção de tecnologias tem que ser prioritária do ponto de vista da sobrevivência de uma escola.

Nós estamos no século XXI, mas o modelo de aula permanece o mesmo há três séculos. Os alunos entram e sentam em uma cadeira, enquanto o professor fala sobre algum conteúdo. Esse modelo está ultrapassado para um aluno que precisa ter contato com o mundo e com a informação cada vez mais rápida. A aula também tem que ser assim.

Direcional Escolas: Como é possível mensurar o desempenho da instituição de ensino?

Adriano Guimarães: A partir do momento que o governo brasileiro passou a medir os estudantes para acesso ao ensino superior, estão cada vez mais frequentes as avaliações de desempenho na escola, para verificar como o estudante está perante ao conteúdo que precisa saber para entrar na faculdade.

Além disso, o desempenho é medido pelo Prova Brasil, que tem o objetivo de avaliar a qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro, para saber como está o desempenho dos alunos diante da alfabetização e também o desempenho das instituições com o Enade. Mensurar o desempenho de uma instituição de ensino é uma questão de sobrevivência e não pode ser relegada para segundo plano.

Direcional Escolas: Esse profissional deve ser um agente transformador da realidade escolar?

Adriano Guimarães: Com as mudanças e os avanços tecnológicos no mundo, automaticamente a educação e os alunos também mudaram e tudo o que diz respeito a uma boa aprendizagem teve que se transformar para essa realidade.

O gestor escolar tem que ser o líder que estuda, aprende e verifica tudo que está acontecendo no mundo para aplicar na vida do professor e da escola, trazendo conhecimento, recursos e cursos para que possam aperfeiçoar o gestor nesta nova realidade de educação das escolas. E a maior transformação que um gestor escolar pode ter é ser esse elo de ligação com o professor diante dessa nova realidade digital.

Direcional Escolas: De que forma ele deve ser estratégico?

Adriano Guimarães: O gestor escolar deve ser a figura mais estratégica para a qualidade do ensino e perenidade da escola. Nessa realidade digital, o gestor precisa ser a base da escola, buscando recursos, conhecimento e inovação, para manter a instituição nivelada com a nova era e poder proporcionar ensino qualificado para seus alunos.

O principal ponto de atenção que um gestor escolar tem que ter é o de mudar o tempo inteiro. Podemos perceber que o mundo vem mudando, mas a educação em alguns aspectos ainda não mudaram.

Saiba mais:
Adriano Guimarães – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!