fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Alimentação: Cardápio saudável

Cada instituição de ensino congrega, em suas múltiplas ações, aspectos e características primorosas para o desenvolvimento de cada estudante. Na rotina escolar – e a partir dela – observamos não só a evolução da aprendizagem, como também o crescimento físico de cada aluno ou aluna e, nesse sentido, a atenção com a saúde, o bem-estar e o estímulo por uma alimentação saudável, no contexto escolar, reflete de maneira direta e positiva na vida pessoal de cada estudante.

No Brasil, de acordo com uma pesquisa divulgada no início do segundo semestre de 2019, revelou que mais da metade da população brasileira (55,7%) estava acima do peso. Neste mesmo estudo, realizado pelo Ministério da Saúde, apontou que uma a cada cinco pessoas sofre com obesidade no país, problema que atinge principalmente adultos nas faixas de 25 a 34 anos e 35 a 44 anos. E cerca de 13% dos meninos e 10% das meninas – entre 5 e 19 anos – sofrem com obesidade ou sobrepeso. Segundo informações do Ministério da Saúde, estima-se que 6,4 milhões de crianças tenham excesso de peso no Brasil e 3,1 milhões já evoluíram para o quadro de obesidade.

Para a pediatra e nutróloga Dra. Karla Cristina Malta Vilanova, do Hospital Infantil Lucidio Portela e membra da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), um dos principais desafios de se manter uma alimentação saudável na rotina escolar é a lacuna no estímulo do hábito alimentar saudável no contexto familiar. “Quando a criança tem um hábito alimentar saudável desde o nascimento, com uma introdução alimentar bem feita, com menos produtos industrializados e com uma variedade de alimentos, fica mais fácil manter essa alimentação na escola”.

Como uma das ações práticas, conta a nutróloga, ter uma cantina escolar com produtos naturais e variados, evitando alimentos mais adocicados, industrializados e processados, promove diariamente um estímulo pela criação de hábitos alimentares saudáveis dos estudantes. “É importante ter, na escola, uma nutricionista para auxiliar no cardápio da cantina escolar. Um cardápio saudável, diversificado, com frutas, carboidratos e proteínas, promoverá uma dieta mais saudável para a criança, saboreando alimentos diferentes e mantendo, assim, um padrão saudável na cantina escolar”, diz Vilanova.

Ana Paula Yazbek, diretora pedagógica do espaço ekoa, acredita que “o momento da alimentação é permeado por afeto e pelo desejo de garantir uma boa nutrição para as crianças”. E, com culturas familiares tão diversas, em que “determinados alimentos são considerados saudáveis por algumas e perigosos por outras”, a escola pode servir como um espaço propício para ampliar a variedade de sabores e experiências com os alimentos.

“É comum que as crianças rejeitem alguns alimentos, como saladas, legumes e verduras e, no espaço escolar, ocorre o oferecimento frequente desses alimentos e isso acaba incentivando-as a prová-los. Além disso, o cardápio deve ser planejado pensando na rotina alimentar de um dia da criança. É fundamental que seja elaborado por um(a) nutricionista e que ele(a) faça o acompanhamento semanal da equipe de cozinha para garantir a qualidade do preparo”, completa Yazbek. (RP)

Saiba mais:
Ana Paula Yazbek – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados