fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Branding* educacional

Matéria publicada na edição 114 | Dezembro/Janeiro 2016 – ver na edição online

Na maioria das vezes confundimos o significado da MARCA com o LOGOTIPO. O logotipo faz parte da marca por ser uma representação visual.

Marca é a percepção que as pessoas têm da escola. Apesar de não conseguirmos controlar este processo, podemos influenciá-las divulgando as qualidades e os diferenciais da instituição.

Quando uma grande quantidade de pessoas tem a mesma percepção da marca da escola, este sentimento poderá ser considerado o valor da marca. Portanto, o valor da marca de uma instituição de ensino não é o que os seus mantenedores, diretores e coordenadores acham, na verdade é o que o professores, alunos, familiares e o mercado regional dizem a respeito dela.

Exemplo – Toda vez que ouvimos a palavra “coelho”, visualizamos uma criatura fofa, meiga, branquinha e de olhos expressivos. A imagem mental de um coelho pode variar de pessoa para pessoa, mas todos reconhecem as suas caraterísticas comuns. A marca é a percepção aproximada que a grande maioria das pessoas tem do coelho e que não as deixa confundi-lo com um porco, gato ou sapo.

A marca é construída diariamente quando a recepcionista atende um telefonema, um professor recebe um aluno, um coordenador assiste a uma aula, um mantenedor atende um pai.

Quando as ações externas (discurso, propaganda, venda) estão alinhadas com a cultura interna, as expectativas das pessoas serão atendidas e a marca transmitirá confiança e segurança, aumentado a lealdade entre a escola e seus clientes.

 Como deixar a marca da escola mais forte – Para que as pessoas valorizem e divulguem a marca da escola é preciso conhecê-la. Aproveite a semana de instrução para alinhar a percepção que todos os colaboradores têm em relação à marca da instituição. Para isso, faz-se necessário conhecer o seu propósito, valores e a proposta pedagógica.

 Exercício 1 – Definição de propósito – Estruturação do pensamento – Divida os colaboradores em grupos, entregue folhas em branco e canetas. Peça para cada integrante responder às perguntas individualmente:

  • Por que eu trabalho nessa escola?
  • Qual é o aspecto mais distintivo da escola?
  • O que o mundo perderia caso a escola que eu trabalho desaparecesse?

Peça para que todos leiam as respostas em voz alta e, em grupo, respondam à pergunta:

  • Para que a nossa escola existe?

Anote todas as respostas na lousa e através da dinâmica brainstorming chegue a um consenso.

Exercício 2 – Definição de valores – Estruturação do pensamento – Leia a definição de valores e peça para cada grupo definir quais os cinco valores que norteiam a cultura da instituição.

Valores são princípios e normas que servem de critério para comportamentos, atitudes e decisões de todas e quaisquer pessoas no exercício das suas responsabilidades e na busca dos seus objetivos.

Peça para que todos os grupos se pronunciem, anotem as respostas na lousa e através da dinâmica do brainstorming** chegue a um consenso.

Exercício 3 – Proposta pedagógica – Estruturação do pensamento –           A identidade da escola, isto é, sua proposta pedagógica, é única e geralmente é o seu grande diferencial. Por ser construída coletivamente, desenvolvida ao longo dos tempos e embasada nos princípios da direção e coordenação, não existe uma proposta pedagógica igual à outra.

Entregue uma folha de registro para cada grupo. Peça para definirem os principais aspectos que compõem uma proposta pedagógica (filosofia – metodologia – ferramentas de apoio). Anote na lousa as colocações de cada grupo e através da dinâmica do brainstorming defina uma proposta única para a instituição. Finalize a texto com os benefícios que a proposta pedagógica trará para cada aluno.

Christian Rocha Coelho

Diretor do Grupo Rabbit

*Branding – Contudo, o verdadeiro significado efetuar a diferenciação de um produto ou serviço e ajudar a definir um determinado posicionamento junto do consumidor através da atribuição de uma marca.

** Brainstorming – Esta técnica propõe que o grupo se reúna e utilize a diversidade de pensamentos e experiências para gerar soluções inovadoras, sugerindo qualquer pensamento ou ideia que vier à mente a respeito do tema tratado. Com isso, espera-se reunir o maior número possível de ideias, visões, propostas e possibilidades que levem a um denominador comum e eficaz para solucionar problemas e entraves que impedem um projeto de seguir adiante.

Referência: The Brand Gap: O Abismo da Marca – Marty Neumeier – Edição            2 – Editora       Bookman, 2008

Agradecimento especial ao Patrick Tosta Moledo Coelho

 
christian-rocha-coelhos
Christian Rocha Coelho é especialista em andragogia e diretor de planejamento da maior empresa de gestão, pesquisa e comunicação pedagógica do Brasil, a Rabbit Partnership.
Mais informações: (11) 3862.2905 / www.rabbitmkt.com.br / [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!