fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Como ser um excelente coordenador

Em meu livro “Diário de um professor”, onde abordo o dia a dia de uma rotina escolar, relatando e refletindo sobre várias ações feitas por profissionais da Educação, falo sobre a Coordenação e Direção de uma escola. Saiba que são áreas importantíssimas na engrenagem de uma Educação de Qualidade. Mas, nem todos que estão nestes cargos têm a consciência de sua importância, fazendo do cargo uma arma contra professores e contra a aprendizagem de seus alunos.

Tenho experiência na função, pois já fui coordenador de escolas multidisciplinares e já fui professor de escolas públicas e privadas, tendo e observando vários tipos de coordenadores. E digo uma coisa, tem cada um na função, que só Deus na causa!

Já vi professores reclamarem das medidas feitas pela equipe gestora, isso quer dizer de ações tomadas pela direção e coordenação, e depois virou coordenador e “esqueceu” de tudo, fazendo o mesmo procedimento do antecessor e esquecendo que já reclamou de tais atitudes. Isso é fato!

Agora, como ser um bom coordenador? Antes de tudo, é necessário saber qual é a real função atribuída ao cargo, pois vários estão e poucos sabem o que realmente tem de fazer. Fazem tudo o que é mandado, por um único motivo: medo de voltar à sala de aula. Então, coordenadores, vejam qual é a real atribuição para o seu cargo:

-Garantir a realização semanal do horário de trabalho pedagógico coletivo;
-Organizar encontros de docentes por área e por série;
-Dar atendimento individual aos professores;
-Fornecer base teórica para nortear a reflexão sobre as práticas;
-Conhecer o desempenho da escola em avaliações externas!

            Deu para se ter um norteio da real função. Percebemos que tudo se está relacionado às questões pedagógicas e se o coordenador não tiver “tato” para lidar com professores, à ideia é não ser um, pois isso pode afetar a relação de objetivos e partir para uma relação pessoal de rancores e perseguições. Acham que isto não existe? Mas confirmo que sim! Já vi vários professores sendo “massacrados” por coordenadores que não respeitam o profissional ou que se acham superiores a eles. Coordenador, o nome já nos diz, é coordenar e não mandar. Outro fato confirmado é que o coordenador é o espelho do diretor, se o mesmo é estúpido e sem visão educacional, o coordenador passa a ser igual por um motivo óbvio: direção nenhuma ficará com uma coordenação que não tem a mesma visão dela. Isso é um grande problema!

            Em algumas escolas de São Paulo, há diretores que estão para se aposentar, então deixam nas mãos de seus vices a instituição, que também são cargos de confiança, e a coordenação começa a tomar atitudes pavorosas, fazendo com que a escola vire um conjunto de “panelas” de profissionais e rompendo uma integração que se faz necessária para um grande avanço de seus alunos.

            Mas também já vi coordenadores desistindo, porque sabem da real função e a direção exige além, entram em atritos e o profissional, pede para sair.

            É realmente alarmante a quantidade de “problemas” interpessoais em escolas, entre professores e coordenadores. Sabemos que onde exista ser humano, pode existir confrontos de opiniões, mas para amenizar isso, o coordenador pode se “armar” ou “desarmar” outro profissional agindo da seguinte forma:

            – Em primeiro lugar, o coordenador precisa saber quem são seus professores. A ideia aqui é saber sua formação e se o profissional faz cursos de formação continuada. Os profissionais que fizerem, são mais propensos a se modelarem ou aceitarem uma nova visão pedagógica.

            – Após, o próprio coordenador precisa ser acima do profissional, quero dizer que, somos seres humanos e estamos propensos a não gostar de outros seres, mas precisa existir o respeito ao cargo um do outro. Não faça nada para prejudicar o profissional, se tem “um pé atrás” com ele, acompanhe o mais, assim você pode mudar a visão.

            – Acompanhe os professores diariamente. Evite comentar de um professor para outro. Isto pode agravar uma situação mais à frente. Seja discreto e preciso.

            – Após acompanhar o professor em sala, porque você tem a licença para isso, faça um feedback ao professor. Comece falando do que achou interessante na sala de aula ou na aula dele e após leve sugestão para que o mesmo possa aumentar seu procedimento de ensino.

            – Em reuniões pedagógicas, leve artigos e situações pedagógicas para que a equipe opine e faça com você um plano de ação para melhorar o ensino na escola.

            Diretor é como se fosse o motorista de um ônibus, se mal dirigido, não se pode ter certeza de que chegarão ao objetivo do trajeto. E o coordenador é como um cobrador de um ônibus: cobra de seus passageiros para que consigam chegar até o final do trajeto, juntos e unidos.

miniatura-alex-de-frança Alex de França Aleluia é formado em Letras. Escritor de obras sobre Educação, as quais já foram elogiadas por especialistas na área. Foi coordenador pedagógico de franquias de multidisciplinaridades. Já trabalhou como Coordenador do Programa Escola da Família. Trabalhou em cursinhos e Faculdades. Hoje faz palestras voltadas à motivação educacional. Capacitação para professores e articulistas de portais voltados à Educação. É membro da Academia de Letras do Brasil. Acesse seu site: www.professoralexdefranca.wordpress.com Facebook: Prof. E Escritor Alex de França Aleluia Twitter: @escritoralexf

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!