Guia para Gestores de Escolas

Contabilidade: Assessoria especializada

A atualidade nos mostra, de maneira transparente, uma expansão de facilidades, bem como uma multiplicidade de serviços especializados que refletem em diversas camadas sociais. Observando essas alterações que despontam na contemporaneidade, a estrutura escolar e sua organização, incorpora em seu cotidiano serviços especializados, consultorias (administrativa, financeira e pedagógica) e assessorias contábeis com o intuito de atingir resultados positivos para a instituição.

“É cada vez maior a procura no ambiente escolar pela terceirização dos serviços, como limpeza, alimentação, nutrição e inclusive de atividades administrativas e contábeis”, diz o contabilista Rogerio Massami Kita.

Dessa forma, conta Rogerio, no escopo de serviços contábil, fiscal e trabalhista, atividades como elaboração do balanço patrimonial, apuração tributária e consultas de legislação fiscal, apuração de folha de pagamento, admissão e demissão de empregados, cálculo de pró-labore, entre outras ações são realizadas pela assessoria especializada.

“O principal benefício é ter a delegação destes serviços para uma empresa especializada focada somente neste serviço, e que através de um contrato de prestação de serviços, deverá cumprir mensalmente com suas atividades, podendo inclusive ser responsabilizada por qualquer erro causado. No caso de serviços de contabilidade, é garantir que todas as atividades sejam executadas de forma a atender as demandas internas e principalmente as externas, exigidas pelos fiscal e órgãos reguladores”, completa o contabilista.

Para os(as) gestores(as) que desejam contratar assessorias contábeis, Sérvulo Mendonça, especialista nas áreas contábil, fiscal, tributária e compliance, acredita que buscar por empresas certificadas em Compliance Contábil é um bom começo. Verificar se a empresa contratada possui mecanismos de RH e educação continuada também devem ser pré-requisitos para uma escolha mais segura e inteligente.

Segundo Sérvulo, o processo de desenvolvimento e implementação do serviço no colégio compreende três etapas: primeiramente, o diagnóstico da situação atual da instituição, elencando fraquezas e forças; depois é necessário elaborar corretamente o mapa de transição e a matriz de comunicação e responsabilidades; por fim, especificar os elementos de gestão e relatórios de gestão que farão com que o trabalho conjunto gere frutos.

Não existe, porém, um período ideal para mudança, início do processo de terceirização ou até mesmo a troca do profissional, como salienta o contabilista Rogerio. “O importante é dar tempo para que a transição ocorra da melhor forma e garantir que todas as informações e documentos estejam à disposição para que o serviço não seja interrompido. Fazer este planejamento de forma antecipada, evitará maiores perdas de controles, processos e informações importantes”, completa. (RP)

Saiba mais:

Rogerio Massami Kita – [email protected]

Sérvulo Mendonça ­– [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!