Guia para Gestores de Escolas

Conversão: Como transformar uma instituição regular em uma escola bilíngue?

Nos últimos cinco anos, o mercado de educação particular cresceu 2% ao ano, em média, no país. Já o das bilíngues expandiu a índices entre 6% e 10%, segundo a Associação Brasileira do Ensino Bilíngue (Abebi). Além disso, 98,5% das escolas privadas não têm ensino bilíngue, o que representa 48 milhões de alunos precisando dessa inovação. “O segmento de Serviços Educacionais cresceu 8,1% no primeiro semestre, faturando R$ 2,8 bilhões”, afirma Sidney Eduardo Kalaes, sócio da marca Brasil Canadá – Educação Bilíngue.

Um dos principais diferenciais de um colégio bilíngue é a exposição frequente ao segundo idioma em todas as matérias, como matemática, história, geografia e até educação física. De acordo com a Organização das Escolas Bilíngues de São Paulo (Oebi), três quartos do tempo da grade escolar (75%) é voltado ao idioma estrangeiro no ensino infantil, um terço (33,3%) no ensino fundamental e um quarto (25%) no ensino médio. As matérias são lecionadas em inglês por professores fluentes e capacitados para esse tipo de ensino.

O colégio Brasil Canadá foi fundado em 2000, em São Paulo, pelo empresário Beto Silveira, mas só entrou no processo de expansão no início de 2018. A rede oferece dois modelos de negócios: um para as escolas do ensino privado que desejem se tornar parceiras, implementando um conjunto de soluções e a proposta bilíngue; e outro para quem busca inaugurar uma unidade desde o início. Em ambos os casos há um suporte pedagógico e comercial total da rede Brasil Canadá – Educação Bilíngue. De acordo com Kalaes, para este ano o foco é abrir 20 novas franquias, aproveitando o bom momento do setor, que faturou quase R$ 175 bilhões em 2018, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Para saber mais sobre os processos de conversão de uma escola regular em uma escola bilíngue, conversamos com Vinnie Rodrigues, gerente de operações da rede Brasil Canadá – Educação Bilíngue. Confira abaixo a entrevista completa:

Direcional Escolas: Como funciona e quais são as etapas do processo de conversão/inovação? Explique.

Vinnie Rodrigues: O processo consiste em transmitir o conhecimento e experiência de 19 anos da Brasil Canadá – Educação Bilíngue, trabalhando com o ensino verdadeiramente bilíngue para as escolas particulares convencionais que tenham a vontade, ou necessidade, de aumentar a exposição dos seus alunos ao idioma inglês. As etapas vão desde uma primeira reunião com as diretorias e coordenadorias das instituições, até o completo suporte para implantação da proposta Brasil Canadá – Educação Bilíngue, passando por formações do corpo docente, reuniões com os pais, observações de aulas para garantir um completo funcionamento do material.

Direcional Escolas: Quanto tempo demora para uma escola ser considerada, de fato, bilíngue?

Vinnie Rodrigues: Sugerimos que a escola parceira só pode se intitular bilíngue após um período mínimo de quatro anos.

Direcional Escolas: Como funciona o processo de formação de professores e o que envolve?

Vinnie Rodrigues: Os professores recebem formações continuadas da equipe pedagógica para a utilização completa de todos os recursos do nosso material didático próprio e exclusivo. Essas formações são dadas de formas presencial e online.

Direcional Escolas: Qual o papel do diretor da escola nesse contexto?

Vinnie Rodrigues: Acreditamos que o diretor tem o papel fundamental de decidir, junto ao corpo pedagógico e aos pais, sobre os rumos que a instituição deve tomar, no que se diz respeito ao aprendizado de outro idioma.

Direcional Escolas: E quanto aos outros funcionários, como o atendente da cantina e a faxineira: eles também precisam ser treinados? Explique.

Vinnie Rodrigues: Não há necessidade de uma formação. É muito interessante quando o staff se percebe dentro do processo e toma a iniciativa de aprender alguns comandos e frases em inglês para participar da mudança.

Direcional Escolas: Quais os principais desafios de inovar uma escola convencional para o bilinguismo?

Vinnie Rodrigues: Criar uma cultura bilíngue que transponha os muros da escola e atinja toda a comunidade escolar. O inglês não pode ser somente o produto final, mas o meio para todas as outras aprendizagens.

Direcional Escolas: Como funciona o suporte da Brasil Canadá – Educação Bilíngue?

Vinnie Rodrigues: O suporte é completo, nos transformamos em uma parte da rotina da escola. Os coordenadores regionais fazem praticamente parte do corpo docente da escola. As visitas às instituições são periódicas e acordadas com a direção. Formamos os professores para a utilização integral do nosso material didático próprio e exclusivo e práticas de sala de aula.

Direcional Escolas: A marca utiliza alguma tecnologia para colaborar nesse processo?

Vinnie Rodrigues: As atividades do material do Ensino Fundamental, principalmente, estão conectadas com as tecnologias atuais, seja pelos seus temas, como a possibilidade de extrapolar o livro com vídeos na internet, seja pelos projetos interdisciplinares, utilizando da tecnologia para ajudar na sua produção e apresentação.

Direcional Escolas: Como explicar esse processo para os pais dos alunos, sabendo que a mensalidade terá um curto aumento durante a inovação?

Vinnie Rodrigues: A ideia é mostrar para os pais os benefícios que seus filhos terão com a proposta Brasil Canadá – Educação Bilíngue e também mostrar que não se trata de um custo a mais e sim de um investimento no futuro das crianças.

Direcional Escolas: Para fazer a conversão/inovação a escola precisa fazer alguma reforma? Se sim, em quais casos?

Vinnie Rodrigues: Não. Preservamos ao máximo a identidade da escola e respeitamos toda a tradição e experiência que ela tem no mercado.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!