fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Dica – Berçários

Matéria publicada na edição 109 | Junho-Julho 2015- ver na edição online

Berçários: Sinônimo de tranquilidade, aprendizado e segurança

Por Rafael Pinheiro

Quando observamos a educação e todos os seus extensos processos de evolução e aprendizagem, logo notamos, estimulamos e nos preocupamos com a educação de base e suas fases posteriores. A preocupação é necessária, assim como o acompanhamento diário e efetivo do progresso de ensino. Mas, antes de ocupar carteiras especializadas, um número significativo de crianças frequentam os berçários e necessitam de uma atenção especial.

O berçário, além de ser o primeiro contato social dos bebês e de proporcionar dados de formação e capacitação sensorial, psicomotora, cognitiva e afetiva, fortalece estímulos, movimentos, brincadeiras e incentivo seu raciocínio de maneira fluída, respeitando a maturidade e a necessidade do movimento. Hoje, com os reflexos do cotidiano e a exigência cada vez maior do ambiente empresarial, poucos pais conseguem acompanhar o crescimento dos filhos sem o auxílio externo.

Para escolher um ambiente confortável e agradável aos bebês, certos pré-requisitos devem ser analisados criteriosamente. Magda Casarotti, Diretora da Scuola Materna Fundação Torino, afirma que primeiramente “é necessário que exista um espaço físico agradável, bem conservado, equipado, seguro e acolhedor. O ambiente deve ser limpo, convidativo e lúdico. É fundamental que as crianças se identifiquem com este espaço, para que sintam prazer em pertencê-lo e tranquilidade para cumprir com qualidade a rotina de atividades da escola”.

Em relação à estrutura, o mais importante, segundo Magda, é a segurança das crianças. Tudo tem que ser adaptado para que elas tenham autonomia sem riscos de acidentes. “Por exemplo, é preciso que seja observada a altura das mesas, a iluminação, a circulação de ar. O ambiente deve ser arejado e de fácil limpeza. A sala de aula deve ter muito espaço para o desenvolvimento das atividades de maneira prazerosa e que ofereça condições para que as crianças, de fato, aprendam”, conta.

Além da segurança, do ponto de vista físico, conter ambientes distintos para os momentos da recreação, da alimentação, da higienização e do sono possibilita a estruturação e o planejamento de rotina – tanto para os bebês como para os profissionais que o cercam. O espaço para alimentação, diz Magda, é um dos principais assuntos como se fala em educação para crianças, é de fundamental importância também na formação desse público, pois possibilita que sejam cultivados os bons hábitos alimentares e as boas maneiras à mesa, além de ser um momento onde a criança é convidada a experimentar novos sabores e vivenciar trocas com os colegas.

“É fundamental o acompanhamento de uma nutricionista, que elabore um cardápio variado e saudável, garantindo assim os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento adequado das crianças. Além disso, a cozinheira deve estar consoante a isto, dedicando o seu tempo exclusivamente a este espaço”, explica.

DESENVOLVIMENTO

Através das brincadeiras, o desenvolvimento em sua totalidade se faz presente. A imaginação, o reconhecimento, o conhecimento do ambiente ao seu redor, habilidades visuais e motoras brotam em recreações lúdicas. A brincadeira é considerada uma das atividades que as crianças mais aprendem. Por isso, o espaço dedicado a recreação deve ser respeitado para que elas possam brincar livremente e através disso exercitar a criatividade, a comunicação e aprender a compartilhar.

Cada atividade proposta no ambiente escolar estimula um objetivo especifico. “Na Fundação Torino, durante os primeiros anos da infância, a intensa experimentação com objetos, imagens, símbolos, outros indivíduos e, finalmente, com os pensamentos leva a criança a construir a base que lhe possibilitará raciocinar logicamente e organizar o pensamento em estruturas coerentes”, afirma Magda Casarotti.

Segundo a Diretora da Scuola Materna, o desenvolvimento linguístico das crianças é trabalhado de forma dinâmica com músicas, jogos, dramatizações, culinária, vídeos e muito mais. Tudo isso contribui para que outros idiomas façam parte da vida do aluno com naturalidade. Os alunos da Scuola Materna, da Fundação Torino, começam a aprender desde pequenos os três idiomas: português, inglês e italiano. Técnicas especiais são utilizadas para as crianças, que têm entre 2 e 5 anos, aprenderem a alfabetização, com cores, números e formatos.

ATIVIDADES

As crianças de 0-2 anos de idade possuem uma capacidade que não pode ser ignorada, mas lapidada e aproveitada em trabalhos pedagógicos com intervenções positivas. Este trabalho, inserido no cotidiano do berçário, é complexo, deve ser bem direcionado com um olhar cuidadoso, afinal, o contato com o berçário é o ponto de partida da aprendizagem. Algumas ações pedagógicas podem ser realizadas nos berçários, como:

04 meses – Colocar um brinquedo que o bebê possa morder; Não deixar o bebê permanentemente no mesmo lugar; Durante o banho, permitir brincar, mover-se, fazer ruído com a água, mover as perninhas e os braços; Deixar cair um objeto em frente dos seus olhos para que veja onde caiu;

05 meses – Oferecer a possibilidade de descobrir novos objetos: recipientes, uma garrafa plástica bem fechada com um objeto dentro, uma colher de madeira, brinquedos com música, etc; Tentar que se agarre nos seus dedos para sentar-se; Enquanto estiver de barriga para baixo, colocar algum objeto vistoso diante dele e ver se ele levanta os braços e a cabeça para agarrá-lo.

06 meses – Pendurar chaves e outros objetos em um fio e movê-los. Nesta altura a criança já pode seguir com o olhar os objetos que se movimentam rapidamente; Segurar a mão do bebê na mamadeira para que ele acostume a segurá-la; Começar a ensiná-lo a segurar uma escova de dentes. Deixar brincar com ela.

07 meses – Cantar, rir e fazer cócegas, pegar no colo e dançar com ele; Deixar manusear um livro; Levar para passear; Esconder um objeto que ele gosta perto de onde possa descobri-lo e esperar a sua reação. Se não o descobrir, faça-o por ele; Fazer massagem com algodão, esponja ou escovinha para noção corporal.

08 meses a 1 ano e meio – Brincar com marionetes. Contar histórias e cantar. Explorar a imaginação; Mostrá-lo fotos grandes e vistosas de animais, carros e pessoas. Explicar o que são e o que fazem; Brincar de pega-pega engatinhado; Música com gestos; Trabalhar com os sentidos: Tato (textura, peso, temperatura); Trabalhar com os sentidos: olfato; Trabalhar partes do corpo; Desenvolver memória musical; Dançar ao tocar uma música;

“A alfabetização é um processo que começa desde cedo, por isso a importância do educador oferecer experiências estimuladoras que possibilitem a criança construir seu próprio conhecimento, considerando sempre as suas características e as respeitando como pessoas singulares”, finaliza.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!