Guia para Gestores de Escolas

Dica – Contabilidade como ferramenta de gestão escolar

Matéria publicada na edição 106 | Março de 2015- ver na edição online

Gestão Financeira:
Caminhos para a Eficiência

Por Rafael Pinheiro

Os mecanismos administrativos que ocorrem em todo o processo estudantil, em menor ou grande escala, são fatores relevantes e devem ser obervados para ampliar visões, detectar possíveis erros e reparar danos para adotar uma gestão escolar plena e livre de complicações.

Garantir uma gestão financeira eficiente demanda uma preocupação em projetos, planejamentos, organização, transparência e uma minuciosa administração do orçamento. E algumas etapas podem facilitar o cotidiano do gestor, como definição de prioridades, cálculo correto dos gastos, elaboração do orçamento geral, prestação de contas e comprovação dos gastos.

Moisés Gama, consultor de uma empresa especializada em contabilidade para escolas, afirma que em muitas escolas, o proprietário coloca a administração financeira em segundo plano, dando prioridade às operações diárias do pedagógico e do RH (Recursos Humanos). “É comum encontrar escolas que não conhecem os valores exatos a receber na semana. Para obter essa informação com precisão, perde-se muito tempo buscando informações anotadas em diversos lugares, quando não em lugar nenhum”.

Moisés complementa dizendo que, em outros casos, “a escola não tem controle de caixa que permita apurar se todos os recebimentos e pagamentos estão corretos e se o saldo em caixa confere com as entradas e saídas de recursos”.

Organizar essas informações são primordiais para o aproveitamento coletivo, além de um sadio funcionamento na instituição escolar. Inserir uma contabilidade estruturada, por exemplo, é uma forma de acompanhar e avaliar reais condições para um modelo de gestão adequado, contribuindo positivamente ao cotidiano da gestão.

Segundo o especialista, os principais instrumentos de análise e planejamento financeiro das empresas são: Fluxo de caixa – indica os recebimentos e os pagamentos a serem realizados e apura o saldo disponível de caixa na data efetiva de recebimento ou pagamento; Demonstrativo de resultados – indica o volume de recebimentos, o custo dos serviços e das operações de venda que a escola promove, as despesas variáveis, fixas e apura o lucro líquido por meio do regime de competência no momento em que esses eventos ocorrem, independentemente de seu recebimento ou pagamento; Balanço patrimonial – indica os valores do ativo, do passivo e apura o valor do patrimônio líquido da empresa.

DICAS BÁSICAS

– Seja rigoroso na atualização dos dados financeiros. Evite fazer as coisas pela metade. Cobre do funcionário eventuais erros e discordâncias dos valores encontrados;

– Diariamente, escolha um dos controles (por exemplo, contas a pagar) e confira se todos os lançamentos estão de acordo com os documentos (por exemplo, notas fiscais/faturas/boletos) que os geraram;

– Estime um valor mensal de lucro, considerado bom para a remuneração do capital no curto e médio prazo;

– É importante observar que o planejamento pode ser feito com metas para outros prazos – como para o trimestre ou semestre – e que, para que o planejamento financeiro funcione, é preciso estabelecer metas realistas, que possam ser alcançadas; (RP)

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!