Guia para Gestores de Escolas

Educação financeira é habilidade obrigatória entre os componentes curriculares

A educação financeira e a educação para o consumo foram estabelecidas como habilidades obrigatórias entre os componentes curriculares pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

A BNCC é referência para os currículos escolares no País nos próximos anos. Ao reconhecer a educação financeira como habilidade obrigatória indica a importância de saber lidar com o dinheiro se forma sustentável na sociedade atual.

É crescente a consciência de que quando o tema é abordado na infância, os resultados são levados para a vida e até mesmo as famílias dos alunos são beneficiadas.

Há anos produzo materiais didáticos e centenas de escolas em todo o país são pioneiras na adoção: já cumprem a nova norma. Apenas no ano passado, cerca de 100 mil crianças e jovens aprenderam educação financeira em sala de aula com o Programa DSOP de Educação Financeira nas Escolas.

O tema é abordado de forma lúdica, de acordo com a idade, com foco em sonhos, hábitos e comportamentos. Os resultados são notados em casa: 7 em cada 10 das crianças que têm aulas pelo programa reagem bem a um revés financeiro, enquanto apenas 1 em cada 10 das que não têm tais aulas reage bem, segundo a 1ª Pesquisa de Educação Financeira nas Escolas.

A BNCC orienta a abordagem de conceitos básicos de economia e finanças, como taxas de juros, inflação, aplicações financeiras e impostos, além do uso consiente de recursos naturais, como a energia elétrica, entre outros conceitos.

A educação financeira deixou de ser apenas um diferencial para a escola, agora é uma obrigatoriedade, que não pode ser ignorada ou negada. Com ela estaremos formando cidadãos autônomos, com visão crítica e capazes conquistar sonhos individuais e coletivos.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
Fale conosco!