Guia para Gestores de Escolas

Engajamento: Estudantes realizam uma das maiores simulações da ONU no Brasil

Mais de 500 estudantes de diversas regiões do País se concentraram em São José dos Campos (SP) durante quatro dias neste mês com o objetivo de debater e propor soluções para os principais problemas econômicos, políticos, climáticos e sociais da humanidade. Trata-se do PoliONU, uma das maiores simulações estudantis da Organização das Nações Unidas realizada por alunos do Ensino Médio no Brasil. O evento aconteceu de 20 a 23 de junho, no Colégio Poliedro. O PoliONU chega a sua 14ª edição ampliando cada vez mais a qualidade dos debates.

A extensa agenda de reuniões é rigorosamente cumprida por jovens paramentados com trajes típicos como verdadeiros representantes de seus países. Dividem entre si os papéis de diplomatas, delegados, juízes, congressistas e jornalistas. A simulação é tão realista que existem comitês discutidos em inglês.

Cada detalhe do evento é pensado por alunos, desde o conteúdo de palestras até a organização. “Um dos grandes diferenciais deste evento é que o aluno é o protagonista. Ele é responsável por pensar, organizar, pesquisar e coordenar um evento desta dimensão. O PoliONU completa 14 anos em 2019 e conta com o reconhecimento internacional da Unesco”, afirma Frederico Blumenhagen, professor do Colégio Poliedro e coordenador do PoliONU.

“O PoliONU é extremamente importante para o desenvolvimento de empatia. Nos mostra como problemas de outros países podem afetar, direta ou indiretamente, a todos. É um espaço de discussão com o objetivo de trazer ideias que prezem pelo apoio mútuo e bem-estar comum”, diz a aluna da 2ª série do Ensino Médio, Lara Godoy, de 16 anos, Secretária-Geral Administrativa desta edição.

Assim como nos anos anteriores, o PoliONU recebeu alunos das unidades-sede de São José dos Campos, São Paulo e Campinas e das escolas parceiras do Sistema de Ensino Poliedro distribuídas por todo o Brasil.

No início de cada evento forma-se uma mesa composta por alunos do comitê organizador, o mantenedor do Colégio Poliedro e do Sistema de Ensino, professor Nicolau Arbex Sarkis, os gestores do Colégio e por convidados externos que fazem palestras de abertura focadas em temas relacionados às questões que serão trabalhadas nas discussões ao longo do evento.

Representações

O PoliONU 2019 contou com a representação de 19 ONGs, 4 multinacionais, 20 veículos de imprensa, 107 países e 15 comitês: Organização Mundial da Saúde, Organização Internacional do Trabalho, Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, Tribunal Penal Internacional, Corte Internacional de Justiça, entre outros. Durante os quatro dias serão abordados temas como “A Questão do Trabalho no Futuro dos Países”, “Os Impactos Socioeconômicos da Copa do Mundo”, “Violação dos Direitos Humanos na Indústria do Sexo”, “Violações aos Direitos Humanos na Guerra Civil da Iugoslávia”, “Guerra Nuclear: Proteção aos Direitos Humanos”, “Conflitos no Sudão do Sul”, Conflitos por Terra na América”, entre outros.

“A escola tem o papel de ensinar, educar e formar cidadãos, sendo esta última uma das tarefas mais difíceis. Nesse sentido, o PoliONU oferece uma experiência direta para o aluno, o coloca em contato com os temas mais importantes da atualidade e o leva a refletir sobre o mundo a sua volta”, conclui Blumenhagen.

A 14ª edição do PoliONU contou com o patrocínio das empresas Huesker, Experimento Intercâmbio, ICBEU e do Goethe Institut. Esta edição também conta com o apoio das empresas F3E, Promover e do jornal Le Monde Diplomatique Brasil.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!