Guia para Gestores de Escolas

Escola cria salas de aulas 100% conectadas

O Colégio Poliedro, em parceria com Microsoft e Apple, inova mais uma vez sua metodologia de aprendizagem em sala de aula. Com o Sistema Interativo de Aprendizagem (SIA), alunos, professores e pais se conectam via iPad, lousa digital e smartphone, em tempo real

O caderno, definitivamente, saiu do papel e foi para o mundo digital, possibilitando uma nova e rica experiência de aprendizado. Pensando em prover soluções educacionais que maximizem as potencialidades de alunos e professores, o Colégio Poliedro, em sua unidade de São José dos Campos (SP), tem a tecnologia como aliada do ensino. Por isso, a partir de 2020, a escola pretende revolucionar o aprendizado com a implantação do Sistema Interativo de Aprendizagem (SIA), que torna as salas de aulas 100% conectadas via iPads e lousas digitais. Inicialmente, o Sistema já é realidadepara 80 alunos da 6ª série do Ensino Fundamental e, no próximo ano, será implantado também nas 7ªs e 8ªs séries.

Com a solução – viabilizada por meio de uma parceria com as grandes provedoras mundiais Microsoft e Apple –, de forma inovadora, o estudante tem acesso à lousa com as explicações e anotações do professor, por meio de seu tablet de última geração com caneta. O educador, por sua vez, pode visualizar em tempo real o caderno digital do aluno, corrigir as lições e acompanhar as anotações, assim como pais e familiares conseguem verificar a evolução nos estudos. A coordenação da escola, por sua vez, também acompanha o desenvolvimento das aulas, de forma eficiente.

A tecnologia está, de fato, contribuindo para a melhoria do processo pedagógico, segundo o coordenador do Ensino Fundamental do Colégio Poliedro, Carlos Eduardo Barreira Lambert (Kadu). “As soluções tecnológicas ganham cada vez mais importância, possibilitando novas estratégias de aula e contemplando a diversificação das formas de aprender”, afirma.

O funcionamento do SIA é simples, uma vez que o iPad de última geração do estudante já contém o material didático digital do Sistema Poliedro, além de programas de acesso à Web, o Office 365, da Microsoft, e aplicativos do ecossistema educacional da Apple, adequados às necessidades de cada série escolar. “O caderno digital é uma ferramenta flexível, que permite tanto manter o formato da aula tradicional, quanto vivenciar propostas pedagógicas disruptivas”, analisa Kadu.

Aula digital

Em uma sala de aula da 6ª série do Ensino Fundamental do Colégio Poliedro, lousas e cadernos convencionais foram, absolutamente, deixados de lado. O SIA é utilizado no ambiente de diferentes maneiras, otimizando o processo de ensino-aprendizagem. A professora de História, Adriana Orselli Wurm, por exemplo, aproveita um leque variado de recursos tecnológicos para tornar a aprendizagem mais atrativa e divertida.

Em uma aula sobre o Antigo Egito, ela utilizou o aplicativo Expedições, que permitiu aos alunos a realização de uma espécie de tour virtual. “O app educacional possibilitou a eles explorar cenários dessa civilização em 360 graus, possibilitando a abordagem de temas como a importância do Rio Nilo, a economia, a política, a construção das pirâmides, a religiosidade, entre outros, de forma mais visual”, conta.

Para ela, o SIA permite abordagens metodológicas, como uma aula invertida e/ou expositiva muito bem ambientada. “Não tem como os alunos não se envolverem e vibrarem com aulas que façam mais sentido”, afirma a professora.

Acompanhamento em tempo real

Nas aulas de Geometria e Desenho Geométrico, a professora Petala Augusto, por sua vez, realiza o gerenciamento dos cadernos digitais dos alunos, por meio do SIA. “Direciono os iPads dos alunos para o conteúdo que pretendo trabalhar e monitoro todas as telas ao mesmo tempo. Isso me permite gerenciar o conteúdo e a produtividade de cada um dos estudantes, individualmente”, exemplifica.

Com o recurso, a educadora também divide as estratégias de resolução de problemas elaboradas por alunos de forma mais eficiente com os demais estudantes. “De maneira muito fácil, consigo compartilhar a tela com a sala inteira, o que traz ganho de tempo na resolução de exercícios e faz com que o aluno esteja mais envolvido na aula”, conta Petala.

De acordo com a professora, a possibilidade de direcionamento da aula, o ganho de tempo no compartilhamento de estratégias, entre outros benefícios, permitem auxiliar o aluno de forma individualizada, desenvolvendo métodos de estudo mais eficientes.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!