Guia para Gestores de Escolas

Especial ENEM 2018: Dicas e preparações para auxiliar estudantes na realização da prova

O primeiro dia de avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, será neste domingo (04/11) e a Orientadora Educacional do Colégio Batista de Porto Alegre, Cristiane Fontoura Zart traz dicas de preparação para este momento de grande tensão para os estudantes. Referindo-se a questão da pressão sofrida pelos estudantes com a proximidade do fim do Ensino Médio, Cristiane explica que uma série de fatores ao longo da vida escolar acarretam no êxito final. “Primeiramente é preciso alertar que a preparação para qualquer prova de vestibular deve ser feita com muita dedicação, este é um processo que acontece durante toda a vida escolar do estudante”, afirma.

Lidar com as emoções, saber que concorrentes de vagas não são seus rivais, trabalhar com a frustração de não atingir o resultado esperado e, principalmente, saber lidar com a pressão da vida universitária são conceitos que podem e devem ser discutidos no Ensino Médio. Além disso, os aspectos mais tradicionais como manter uma rotina de estudos, detectar e trabalhar com as dificuldades e adversidades, pensar e questionar o conteúdo de forma multidisciplinar são dicas válidas para quem está se preparando para o Enem.

Por fim, a orientadora educacional cita as técnicas que trazem confiança e tranquilidade para este momento de grande tensão, como aproximar família e adolescentes. “Para muitos, o Enem é o primeiro grande desafio da vida. Por isso, temos que estar atentos às exigências e cobranças. Os pais têm o dever de cobrar bons resultados dos filhos, mas sempre confiando nas suas capacidades. Priorizar momentos em família e incentivar o descanso e o lazer dos estudantes é primordial neste momento”, enfatiza. No Colégio Batista são promovidos encontros mensais entre pais e equipe pedagógica para que se estreitem as relações entre família e Escola.

QUESTÕES COMENTADAS

Para auxiliar os alunos, a FTD Educação desenvolveu o FTD Resolve, uma plataforma gratuita que mostra o gabarito e todas as questões comentadas por especialistas das diversas áreas do conhecimento que compõem a prova. Com o objetivo de também oferecer subsídios para que os professores possam debater as questões do Enem em sala de aula no momento preparatório, o FTD Resolve, ao longo da semana posterior ao exame, trará ainda vídeos com os conteúdos do exame comentados por especialistas. O link pode ser acessado por alunos e educadores de qualquer instituição gratuitamente: http://resolve.ftd.com.br

“Nossa intenção é que a ferramenta seja utilizada e consultada não só no momento posterior à prova, mas ao longo de todo ano, por alunos que prestarão o Enem e para os educadores, somando-se às nossas soluções e materiais de estudo preparatórios”, diz Júlio Ibrahim, gerente de Sistemas de Ensino da FTD Educação.

REDAÇÃO NOTA 1000

O Professor Rubão, Coordenador do Curso Vetor Vestibulares e especialista em língua portuguesa, lista aqui ao que o estudante deve estar atento ao realizar uma das partes mais temidas da prova: a redação.

Leia sobre temas da atualidade: Tradicionalmente, as redações do ENEM trazem como tema algum assunto recorrente da atualidade. Portanto, é importante “abrir o leque” e dedicar tempo à leitura de assuntos variados. Dica, em ano de eleição, importante estar atento ao que está em pauta sobre política, economia, emprego e segurança.

Faça um rascunho com os principais tópicos: “Muitos estudantes travam porque não sabem por onde começar. Para evitar isso, basta fazer uma relação prévia dos tópicos que pretende abordar no texto e seguir a ordem lógica de fatos, sempre com um bom encadeamento de ideias”, diz Rubão.

Estilo: Rubão frisa que é importante evitar a primeira pessoa porque não se trata de um texto literário, em que é possível fazer esta opção, mas sim de uma dissertação que exige impessoalidade. “Vale lembrar que textos em primeira pessoa são zerados, mas aconselho a também evitar a voz passiva para que não fique cansativo. A voz ativa torna a compreensão mais clara”, destaca.

Gramática: A gramática incorreta desconta pontos, bem como caligrafia ilegível. O melhor é ter praticado durante o ano para que a maior parte dos erros gramaticais já esteja sanada, mas ainda dá para praticar mais um pouco nestes momentos finais.

Primeiro parágrafo: Importante tomar atenção ao primeiro parágrafo porque ele vai definir o estilo e a linha de discurso. O melhor é já causar uma boa “primeira impressão”.

Desenvolvimento: Os avaliadores querem checar se o estudante possui conhecimento, portanto, nos parágrafos que se seguem, deve-se apontar fatos históricos, estatísticas e conectar fatos para explicitar a ideia principal.

Polêmica: Se o tema for polêmico, cabe colocar a visão contrária para que o leitor/avaliador entenda que o autor da dissertação entende o panorama completo.

Coesão de ideias/Conclusão: Não dá para ficar em cima do muro! O texto deve ter uma conclusão clara e, embora seja possível listar outros pontos de vista na redação, não deve haver dúvida sobre a mensagem que o autor do texto pretende passar — ela deve ser clara, não contraditória.

LÍNGUA ESTRANGEIRA

Alberto Costa, senior assessment manager de Cambridge Assessment English, departamento da Universidade de Cambridge dedicado à avaliação internacional de proficiência em inglês, listou algumas dicas fundamentais para ter um bom resultado no exame. Confira:

Mantenha-se atualizado: Uma dica valiosa é investir tempo de estudo em ampliar o repertório de atualidades e de conhecimentos gerais. Estar familiarizado com os assuntos torna o entendimento dos enunciados mais fácil e mais breve a interpretação dos textos utilizados para embasar as questões. Isso confere uma dose extra de calma e segurança para responder aquilo que está mais óbvio e mais tempo para aplicar nas perguntas que concentram as maiores dificuldades.

Cuidado com as pegadinhas!: As palavras cognatas podem nos ajudar muito durante as provas de inglês, em função da origem semelhante com as que usamos em português. A grafia aproximada nos leva ao significado similar ou idêntico ao do idioma nativo.

Tudo em inglês: Mais simples que as dicas anteriores, mas também extremamente eficiente para que o nosso cérebro comece a se familiarizar com o idioma, submergir no inglês, mudando o idioma de todos os aparelhos eletrônicos, e-mail e redes sociais, por exemplo, pode ajudar e muito! “Nós passamos grande parte do nosso dia conectados e, ao adotarmos essa simples postura, estaremos expostos por mais tempo à língua e em situações cotidianas, que nos ajudam a relacionar as ações ao vocabulário. Com isso, crescem as chances de gravar na memória  palavras que se tem dificuldade já atreladas às situações em que elas se apresentam”, afirma Alberto Costa.

A prática leva à perfeição: É importante entender que deixar o estudo de inglês para última hora é uma péssima ideia. Nenhuma língua é aprendida em meses, mas sim em anos. É só pegarmos o exemplo do português. Mas, às vésperas do exame, uma boa dica é buscar se familiarizar com o estilo da prova por meio de simulados específicos do Enem ou até refazendo os testes dos anos anteriores. Isso ajuda a compreender o raciocínio usado para a elaboração das perguntas e o peso de cada uma das habilidades testadas e, consequentemente, diminui o nervosismo na hora H.

Otimize seu tempo!: Apesar de esse ano as provas durarem mais tempo do que nas anteriores, essa ainda é uma questão que assusta os alunos. Vai dar tempo de fazer a prova inteira? Quantos minutos devo usar para cada pergunta? Aqui, a dica é simples: leia a questão antes do texto que se precisa interpretar. Ao ler o conteúdo já sabendo quais informações precisa coletar, o entendimento fica mais fácil e você consegue focar apenas no necessário para respondê-la.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!