Guia para Gestores de Escolas

Estratégias de contingência para Escolas

Todas as empresas sentirão os efeitos da situação atual. No caso das instituições de ensino, os efeitos poderão ser atenuados, pois a prestação de serviços poderá ser realizada a distância, mesmo para os alunos da Educação Infantil.

A situação atual segmentou as empresas, especialmente as escolas, em dois grupos: as que possuem a competência de lidar com situações adversas com calma, celeridade, responsabilidade e estratégias criativas; e as que simplesmente não conseguem se posicionar, agir ou se comunicar adequadamente.

O impacto negativo da imagem das que ficarem “em cima do muro” será imenso. A falta de confiança na instituição que não sabe se posicionar em um momento de crise pode não ter volta.

É importante que a escola mantenha a prestação dos serviços e a proximidade com as famílias. Para isso, sugiro algumas ações:

– Usar a plataforma dos seus sistemas didáticos;

– Efetuar aulas por meio das plataformas de comunicação disponíveis no mercado, como Hangouts, WebEx, Zoom… (a sua GR pode auxiliar na implantação);

– Educação Infantil: Enviar atividades pedagógicas diariamente (caso a sua editora não possua uma plataforma a distância, utilize como base o seu material didático ou apostila);

– Criar um calendário para os professores se comunicarem com os alunos menores;

– Evitar ao máximo fechar totalmente a escola;

– Linha Direta: Divulgar um canal de comunicação com a coordenação, direção e/ou representante da escola;

– Plantão para tirar dúvidas.

A escola também tem como função auxiliar na manutenção do equilíbrio emocional das famílias e, principalmente, dos alunos. Além do foco informativo e educacional, é preciso uma grande dose de afeto e comunicabilidade com canais diretos para escutar os pais.

Por isso, cuidado com a propagação de fake news e conteúdos com tom apocalíptico. Deixe a psicóloga e/ou psicopedagoga da escola à disposição das famílias, caso os pais percebam algum comportamento diferente do filho.

Dicas para minimizar os sintomas do confinamento
– Gravar recados dos professores para os alunos.
– Videoconferências entre as classes para matar a saudade.
– Banco de fotos e vídeos nas redes sociais com os alunos estudando.

Não será fácil para as famílias balancear a atenção, os estudos com seus filhos e o trabalho home office. Assim que a epidemia passar, as famílias retornarão rapidamente para as escolas. Neste momento poderão ocorrer transferências de alunos para as escolas que estiverem mais próximas.

Dessa forma, todas as ações de comunicação possíveis deverão ser replicadas para os prospects e para o mercado entorno, por meio do envio da comunicação para o cadastro dos prospects, permutar mailing com outras empresas da região e divulgação nos grupos de Facebook e WhatsApp.

Dicas de gestão home office

– Iniciar e terminar o dia com reuniões gerais utilizando plataformas como Hangouts, WebEx, Zoom, etc.

– Assim como ocorre em aulas presenciais, criar uma rotina e uma frequência. Estamos em isolamento e não em férias. Este sentimento precisa estar claro.

– Os líderes deverão acompanhar e ficar à disposição full time.

– Manter as reuniões com horários fixos.

– Se possível, utilizar ponto eletrônico.

– Pense simples: não adianta inventar projetos mirabolantes, integrações e segmentações.

– Proporcionar conteúdo reduzido.

– Manter as reuniões de pais – webinar.

– Utilizar os recursos das plataformas ou montar a sua. Para isso, o professor precisa de um celular e uma plataforma de comunicação. O professor aponta o celular para o livro e os pais e/ou alunos acompanham a explicação em casa.

– Plantão de dúvidas. – Registro de atividades: é fundamental que todas as atividades, independente da plataforma, sejam registradas, gravadas e organizadas.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!