fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Fique de Olho — Alimentos

Matéria publicada na edição 64 | Dezembro 2010/ Janeiro 2011 – ver na edição online

O compromisso com o hábito alimentar saudável 

Por Rosali Figueiredo

As iniciativas de alguns estados brasileiros em prol da regulamentação do comércio de alimentos e bebidas nas escolas, visando à preservação da saúde das crianças e adolescentes, obrigam as mantenedoras a ficaram muito atentas aos negócios que estabelecem com parceiros ou fornecedores de seus produtos. Para as Cantinas do Tio Julio, essas normas vêm de encontro à sua proposta de oferecer alimentos saudáveis, com variedade e qualidade, preço acessível e serviços adicionais, a mais de 100 mil estudantes em várias cidades brasileiras.

Criada em 1984 no Rio de Janeiro e tendo chegado a São Paulo em 2007, a empresa representa hoje a maior rede de cantinas escolares do País, atendendo a cerca de 100 pontos espalhados em ambos os estados, Interior e Capital, e no Distrito Federal. “Em 2011, estaremos presentes ainda em Porto Alegre, Juiz de Fora, Fortaleza e Recife”, afirma o empresário Júlio César Salles, sócio-gerente da rede. Júlio aposta no grande diferencial da empresa, que reside em conciliar os interesses de gestão das instituições, proporcionando-lhes um serviço e uma fonte de renda extra, à preocupação com a qualidade da alimentação.

As Cantinas do Tio Julio dispõem de uma equipe de nutricionistas, responsáveis pela elaboração do cardápio, produção dos alimentos e supervisão da operação das unidades. “Nosso trabalho visa à adequação do local perante a Vigilância Sanitária e às normas das prefeituras, e também a adequação dos cardápios e lanches conforme o que foi instituído pelo Conselho Regional de Nutricionistas (CRN)”, aponta Cynthia Papa, uma das profissionais da rede. Segundo a nutricionista, as Cantinas do Tio Julio adotam o Manual de Boas Práticas para Manipulação dos Alimentos, um conjunto de orientações elaborado pelo CRN em relação à limpeza, treinamento dos funcionários, além de compra, preparo, conservação e venda dos alimentos.

Uma das preocupações das Cantinas do Tio Julio é dar orientações sobre o hábito alimentar saudável, contribuindo para combater a obesidade infanto-juvenil, “sério problema de saúde pública da sociedade moderna”, explica Julio César. Por outro lado, o cardápio de suas unidades oferece salgados de forno, sucos naturais, bebidas lácteas, doces e refeições executivas ou por quilo.

O empresário destaca, portanto, como benefícios da rede, a padronização da cantina, um cardápio saudável elaborado por nutricionista, a eliminação das frituras, além da agilidade no atendimento e a administração em sistema de parceira (criando-se a figura de “sócios operacionais”). A empresa costuma estabelecer negócios com microempresários locais para a exploração dos serviços da cantina, locando o espaço físico junto à mantenedora, pelo prazo de cinco anos. O formato permite que sempre haja um dos sócios no ambiente escolar, acompanhando diariamente a operação dos serviços, observa Julio.

A rede atua ainda como fiadora do sócio que irá explorar os serviços. A rede exige do parceiro o uso de uniformes e equipamentos de segurança no trabalho (EPI’s) pelos funcionários. Os alimentos são fornecidos pela Central de Produção das Cantinas do Tio Julio, “mantendo-se, assim, a padronização e qualidade oferecida em sua proposta inicial”. Outro serviço oferecido é o Lanche Electron, um cartão de alimentação que os pais ou responsáveis dos estudantes carregam com créditos para serem utilizados nas cantinas.  E para fidelizar a clientela, a rede lançou uma campanha promocional e irá sortear viagens a Cancun (México) ou  Bariloche (Argentina).

7º Fórum nacional de alimentação escolar 

A rede de ensino terá uma boa oportunidade para conhecer o mercado de alimentação institucional entre os dias 19 e 20 de maio de 2011, quando a Federação Nacional das Empresas de Refeições Coletivas (Fernec) promoverá seu 7º Fórum Nacional de Alimentação Escolar. Muitos dos associados da Federação são especializados em alimentação e nutrição de crianças e adolescentes e estão habilitados a atender a esse segmento, observa o presidente da entidade, Rogério da Costa Vieira. Não apenas como provedor do serviço, mas também “no desenvolvimento de culturas e hábitos alimentares saudáveis”. Com o tema “Socializando experiências eficazes em alimentação escolar”, o encontro promete mostrar aos gestores que as empresas do ramo têm expertise hoje para oferecer refeições completas, superando o conceito da “merenda” escolar, observa Rogério.

“Nossa indústria reúne características de produção e de distribuição de refeições bastante especificas, uma vez que o público de uma escola pode compreender crianças de dois anos aos adolescentes de 18 anos. Por isso as vantagens são inúmeras, desde o gerenciamento das compras ao monitoramento da relação peso versus idade, visando combater as taxas de obesidade e orientar sobre melhores hábitos alimentares para cada indivíduo.” Com ampla programação de palestras e acesso livre à área dos expositores, o 7º Fórum Nacional acontecerá no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, Capital.

Saiba mais:

DAMARIS GOMES MARANHÃO
[email protected]

GISELA WAJSKOP
[email protected]

MARGARET PIRES
[email protected]

REGINA ELIA
[email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados