fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Fique de Olho — Excursões, Estudos do Meio e Transportes

Matéria publicada na edição 54 | Dezembro 2009 / Janeiro 2010 –ver na edição online 

Serviços especializados dão bom suporte à área pedagógica.

Por Rosali Figueiredo

 

A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) irá celebrar em 2010 o Ano Internacional da Biodiversidade, com o propósito de ampliar a conscientização sobre a importância do tema para a qualidade de vida e a sobrevivência humana. Nesse contexto, as escolas terão um forte gancho para desenvolver os conteúdos pedagógicos e poderão encontrar nos prestadores de serviços especializados boas alternativas de atividades relacionadas à questão.

É o caso da Educar Turismo Pedagógico, que oferece excursões de um a sete dias para lugares como o Petar (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, localizado no sul do Estado de São Paulo, entre Iporanga e Apiaí), Cananéia (também na região), Paraty (no Rio de Janeiro) e o Pantanal (em Mato Grosso do Sul). A empresa incrementará ainda em 2010 o projeto Salto do Tietê, para que os estudantes conheçam a história, a importância e as condições do principal rio de São Paulo. “Levamos os alunos para conhecerem in loco os conceitos ministrados em sala de aula”, diz o empresário Laércio Fermino Toledo Júnior, ex-professor de Física e Matemática.

Laércio Fermino criou a Educar há quase oito anos e, além da temática ecológica, trabalha as cidades históricas mineiras e outras localidades, sempre com uma programação paradidática, como a realização de gincanas de conhecimentos junto aos estudantes. “Dependendo do projeto, levamos pesquisadores das áreas afins, além da equipe de recreação”, diz. Segundo Laércio Fermino, a empresa desenvolve os pacotes de acordo com as necessidades dos professores da Educação Infantil à universidade, atendendo a escolas da cidade de São Paulo, região metropolitana, Sorocaba, Jundiaí, Piracicaba e Limeira. Entre seus diferenciais, destaca o empresário, estão aspectos como “qualidade, flexibilidade, pontualidade e o carinho que temos com os estudantes”.

Na J. Trilhas Viagens e Turismo as atividades de estudo do meio também contemplam o patrimônio ecológico do sul do Estado, como as cavernas do Petar, o Complexo Lagamar (em Cananéia e Ilha do Cardoso) e a Estação Ecológica da Juréia (em Peruíbe). Outras regiões, como o Parque Estadual de Campos do Jordão (São Paulo) e Parque Nacional da Serra da Canastra (Minas Gerais) compõem o seu portifólio de serviços, assim como viagens tradicionais de formaturas e atividades no próprio ambiente escolar (gincanas de aventura e desafios de neutralização do carbono, em um programa denominado “Jotinha Carbono”). Há cinco anos no mercado, a J. Trilhas é comandada pelo ex-professor de Biologia José Antônio Correa. “No estudo do meio promovemos trilhas interpretativas sobre a fauna, flora e o ecossistema”, diz.

Segundo ele, a J. Trilhas atua em São Paulo, região metropolitana e Interior do Estado. Junto às escolas públicas, o empresário desenvolve trabalho voluntário de estudo do meio e de integração. Seu grande diferencial reside na “pontualidade, cumprimento integral dos itens acordados e na melhor relação custo-benefício”, destaca.

Outras prestadoras ajudam a dar qualidade a esses serviços, como a Paluana Transportes, que atua com fretamentos. Seus veículos executivos, dotados de ar condicionado, e motoristas permanentemente treinados garantem segurança aos usuários, afirma o empresário Luís Fernando Miguel, há dez anos à frente dos negócios. “Eles passam por um processo rigoroso de seleção, com entrevista, testes práticos e teóricos, além dos exames físicos e psicológicos.” A Paluana dispõe de 34 veículos com idade média de apenas cinco anos, destaca.

Luís Miguel lamenta, porém, a Portaria 58/2009, baixada pela Prefeitura de São Paulo, criando uma Zona Máxima de Restrição de Fretamento de 70 quilômetros quadrados, nos quais os veículos estão impedidos de circular. A  portaria regulamenta a Lei nº 14.933/2009, que instituiu a Política de Mudança do Clima no Município de São Paulo. Segundo o empresário, a restrição tem prejudicado as empresas, que precisam de autorização especial para atender às escolas localizadas neste perímetro. Mas o documento não isenta os prestadores de multas, apenas permite que se recorra contra elas. Para evitar problemas, Luís Miguel cancelou os serviços na área, até que a Prefeitura e o segmento encontrem outra solução.

Na outra ponta da linha do segmento transportes, estão os fabricantes e revendedores de veículos, como a Via São Paulo, que desde 2007 vem trabalhando como uma concessionária exclusiva das marcas Volare (divisão da Marcopolo) e Agrale. Ambas produzem microônibus com tecnologia 100% nacional e detém cerca de 60% do mercado no Brasil, diz o empresário Fabio Binatti Valeira. A empresa se prepara para inaugurar uma segunda unidade, em São Vicente, litoral paulista, trazendo todo um know-how desenvolvido em 21 anos de comercialização de veículos destinados ao fretamento, turismo e escolas. “Nosso diferencial está em toda a parte comercial, desde a facilidade no negócio, pois aceitamos veículos usados na troca, ao pós-venda e assistência técnica”, ressalta o empresário, que observa um crescimento de 5% nas vendas desde julho passado, tendência que, segundo ele, deverá se manter em 2010.

Serviço:

Educar Turismo Pedagógico
11 – 2807-6607; 15 – 3237-6342
www.educarturismo.com.br
[email protected]

J. Trilhas Viagens e Turismo
11 –  2959-0405
www.jtrilhas.com.br
[email protected]

Paluana Transportes
11 – 3616-0055
www.paluana.com.br/
[email protected]

Via São Paulo
11 – 2091.7551 / 2091.7559
www.viasaopaulo.com.br/empresa.php

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados