fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Fique de Olho — Laboratórios

Matéria publicada na edição 28 | Maio 2007 – ver na edição online 

Empresas especializadas em produtos e equipamentos para laboratórios oferecem variedade e orientação para as escolas.

Os laboratórios permitem que os alunos saiam da sala de aula e vivenciem, na prática, conhecimentos de química, biologia e física. Bem equipados, esses espaços tornam-se importantes ferramentas de ensino para os professores. Na opinião de Vicente Catapano, químico e gerente de vendas da Analista, que há 20 anos atua na montagem de laboratórios, cada vez mais cresce o interesse das escolas por manter espaços montados adequadamente para o ensino das ciências. “As escolas, tanto privadas quanto públicas, estão se aprimorando nesse sentido”, aponta.

Mais do que vender produtos, Vicente afirma que a Analista presta serviços na área de laboratórios. “Com base no que o professor quer, orientamos a escola em relação ao que ela precisa comprar. Se o professor pede, por exemplo, um balão volumétrico, analisamos qual a necessidade da escola, a faixa etária dos alunos e a verba disponível. Não adianta oferecermos uma lista enorme de equipamentos, que pode levar o diretor a desistir da compra. Nossa idéia é incentivar a escola a ter o laboratório”, conta.

Produtos para laboratórios de química estão em primeiro lugar nas vendas, afirma o gerente da Analista. A escola repõe frequentemente vidrarias e reagentes. “Indico que a escola não compre reagentes concentrados mas as soluções prontas, que exigem cuidados menores. É preciso estar atento a data de validade, manter os produtos em temperatura fresca e ao abrigo da luz, além de tomar cuidados com contaminação. Por exemplo, usar uma pipeta limpa ao retirar o produto do frasco”, orienta. Muitos dos materiais prontos têm venda controlada: o ácido clorídrico é controlado pela Polícia Federal e o ácido nítrico pelo Ministério do Exército, por exemplo. Para garantir a segurança de professores e alunos, é prudente equipar o laboratório com equipamentos como capela, chuveiros de emergência e lava-olhos.

Já para os laboratórios de física são vendidos especialmente kits que medem velocidade, dinamômetros e balanças. Para os de biologia, não podem faltar microscópios. A Analista dispõe de modelos monoculares, binoculares e trinoculares (que permite transmitir a imagem do microscópio ao computador ou TV).

A ABC-LAB também é especializada na montagem de laboratórios e atua no segmento desde 1990. “Buscamos ser verdadeiros parceiros de nossos clientes, fornecendo toda instrumentação, reagentes e acessórios necessários para criar ou ampliar a capacidade técnica dos laboratórios de escolas e universidades”, sustenta Luiz Almeida, diretor da empresa que já foi educador e conta com uma equipe de vendas especializada. Luiz complementa que os fornecimentos incluem pós-vendas com orientações sobre os instrumentos, alternativas viáveis e seguras e planejamento de laboratórios em conjunto com o responsável técnico do cliente.

“Nossa busca é contínua pelo  aprimoramento das relações com clientes, colaboradores e a comunidade com a qual interagimos. É comum sugerirmos produtos que garantam a segurança dos alunos durante o uso de nossos produtos, além de alternativas por vezes mais econômicas e modernas”, reforça. O proprietário da ABC-LAB enumera alguns dos equipamentos considerados indispensáveis para laboratórios escolares: modelos anatômicos, kits de laboratórios químicos, físicos ou biológicos, reagentes analíticos, estufas, vidrarias em geral, chuveiros com lava-olhos de emergência, agitadores e microscópio com monitor que permita a transmissão da imagem para uma tela, eliminando a necessidade de um microscópio por aluno e facilitando a didática da aula, além de acessórios em geral.

A Roster, que em agosto completa 10 anos de atuação no setor, distribui equipamentos para laboratórios e modelos anatômicos em geral, para laboratórios de química, física e biologia, de escolas da educação básica, faculdades e cursos técnicos. Entre os equipamentos, estão microscópios, estufas, centrífugas, autoclaves, entre outros.

A empresa trabalha com uma grande diversidade de modelos anatômicos, fabricados em PVC ou PVC emborrachado, como torsos, esqueletos e órgãos do corpo humano. Segundo Amanda Gerda, gerente de vendas da Roster, a boca é muito procurada para demonstrar às crianças a higiene bucal. “É importante que as escolas saibam que o MEC exige, para escolas da educação básica, que o laboratório tenha pelo menos um torso, um esqueleto e um microscópio”, orienta. Um pacote básico pode incluir, conforme Amanda, um esqueleto de 85 centímetros, um torso de 45 centímetros e um microscópio básico, eletrônico, com aumento de 600 vezes, informa a gerente da Roster.

Para escolas que podem investir mais no laboratório, Amanda recomenda o microscópio com sistema de vídeo. “Ele pode ser acoplado numa TV ou num projetor multimídia e a sala inteira visualiza a demonstração do professor”, diz. Uma das novidades que tem agradado as escolas são as vidrarias em plástico. Fabricados em polipropileno, os acessórios não oferecem riscos aos alunos, suportam até 121oC, e podem ser levados à autoclave para esterilização. “Além disso, evitam danos aos equipamentos. Se um vidro quebra em cima de uma balança, conforme o reagente pode estragar a balança”, exemplifica Amanda.

Um jeito simples de detectar patologias

Além de microscópios binoculares, a Analitic, há 18 anos no mercado, dispõe de fitas de testes. Através da técnica da imunocromatografia, reagentes fixados nas tiras detectam diferentes patologias, através do sangue ou da urina. Há fitas que detectam a presença de drogas (como maconha, cocaína e opiáceos) na urina. A empresa também fabrica testes para gravidez, fertilidade, glicose e doenças infecciosas, como clamídia, streptococos do grupo A e rotavírus. Carolina Ynterian, bioquímica especializada em biologia molecular e diretora da Analitic, acredita que há um mercado potencial nas escolas para o uso das fitas de testes, especialmente entre alunos do Ensino Médio. As fitas podem ser utilizadas em aulas onde o tema trabalhado pelo professor seja doenças sexualmente transmissíveis, prevenção ao uso de drogas ou diabetes,  por exemplo.

Serviço:

ABC-LAB
11-4368-7822
www.abc-lab.com.br | [email protected]

Analista
11-4341-4155
www.analista.com.br | [email protected]

Analitic
11-5564-9500
www.confirme.net

Roster
11-4224-3824
www.roster.com.br | [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados