Guia para Gestores de Escolas

Games: Novas interações com a aprendizagem

O desenvolvimento do aprendizado, nos últimos anos, ganhou novas/outras perspectivas – o crescimento da utilização de ferramentas digitais e a expansão das funcionalidades tecnológicas é uma das características que modificaram todos os aspectos e vivências sociais, inclusive no espaço educacional. Assim, avistamos o aparecimento de metodologias, dinâmicas, desenvolvimentos, (re)formulações e novos processos de aprendizagem que abarcam as gerações nativas digitais.

Recentemente, a Pesquisa Game Brasil 2019 ­– realizada pelo Sioux Group, Blend New Research, ESPM através do Gamelab e Go Gamers – demonstrou que 66% dos entrevistados (de um total de 3.251 respondentes) utilizam jogos eletrônicos. Na relação de gênero dos jogadores, 53% são mulheres e 47% são homens. Com relação a plataforma, 83,0% utilizam smartphone e 42,6% preferem notebook. No que tange os hábitos de consumo, na categoria “Educativo”, 14,3% responderam que “Jogam muito”; 19,3% “Nem pouco, nem muito”; e 29,9% afirmaram que “Jogam pouco”.

Já um estudo realizado pela startup israelense Matific, com 60 mil alunos das escolas públicas e privadas, mostrou que 91% dos estudantes aprendem mais quando utilizam recursos tecnológicos, como jogos virtuais, por exemplo. Observando estes dados, e tendo a contemporaneidade como referência, concluímos que os jogos eletrônicos fazem parte de uma parcela expressiva de usuários e, através dos desafios propostos pelos games, diversas áreas podem ser trabalhadas – inclusive a educacional.

“A gamificação gera um maior interesse e participação dos alunos. Os games auxiliam as crianças a lidar com a vitória e a derrota, a frustração e o êxito, a existência de regras, o compartilhamento de espaços e atribuições quando jogado com parceiros, a necessidade de criar estratégias e resolver problemas, e é por meio dessas situações virtuais que eles compreendem e lidam com momentos da vida presencial”, explica o Coordenador de Tecnologia Educacional da Sphere International School, João Luís Machado.

A metodologia pautada pela gamificação (do inglês gamification) aparece para atender as necessidades de uma nova geração que adentra as salas de aula e demonstra interesse por uma educação moderna. Dessa forma, utilizando a estratégia dos jogos virtuais, aliando interatividade e ludicidade, os games conseguem atrair a atenção e desenvolver habilidades e conhecimentos em sinergia com diversas disciplinas. É possível que os estudantes aprendam álgebra, história, e até mesmo um novo idioma com várias atividades, como criação de avatares, quiz, entre outros.

“A fórmula de sucesso das escolas do século XXI certamente envolve proporcionar mais autonomia e independência às crianças que, orientados por um professor ciente de seu novo papel, conduz os estudantes por um caminho em que, a cada descoberta, novas perguntas surgem, em um processo incessante de aprimoramento e busca por novos horizontes”, completa Machado. (RP)

 

Saiba mais:

Sphere International School – [email protected]

Conheça a Pesquisa Game Brasil 2019 através do portal: pesquisagamebrasil.com.br

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!