Guia para Gestores de Escolas

Manutenção Predial: Cuidado e Preservação

A infraestrutura escolar, contemplando uma listagem de exigências de segurança, conforto e bem-estar, é caracterizada como um dos pilares para uma boa relação entre ensino-aprendizagem. Assim, os ambientes e as funcionalidades de diversos espaços de uma escola garantem conforto físico e psicológico, além de influenciar, de certa forma, no rendimento de cada estudante.

Observando a escola como um patrimônio – repleta de valores intangíveis e imateriais, bem como aspectos físicos, estruturados e projetados para cada ambiente, armazenando disposição e funcionalidade primordial – toda e qualquer intervenção deve ser feita através de uma programação específica e apreciação técnica.

“Antes de começar a planejar uma manutenção predial, é importante contratar uma inspeção predial. Através do Relatório de Inspeção Predial, o gestor terá conhecimento de todas as falhas/anomalias existentes e o grau de urgência de cada uma”, afirma Rejane Saute Berezovsky, Engenheira Civil do Ibape/SP.

Para garantir um convívio tranquilo e seguro para alunos e funcionários, a visitação técnica periódica, bem como a observação de áreas ou instalações que merecem reparos e consertos, deve existir com frequência. “Prevenir e realizar manutenções antes dos problemas surgirem é sempre menos custoso e mais seguro. Calcula-se que o custo com manutenções seja equivalente à 20% dos custos com reparos emergenciais”, ressalta a arquiteta Bruna de Lucca.

De acordo com a arquiteta, o planejamento eficaz de manutenção que pode ser adotado por um(a) gestor(a) escolar deve contemplar a união de times de facilities, manutenção e administração, em um calendário anual de manutenções segmentadas por trimestre. Nesse planejamento, algumas manutenções ocorrem mensalmente (que podem apresentar falha ao longo do ano) e outras são pré-programadas – como sistemas de câmeras e segurança, sistemas de informática e equipamentos, limpeza de fachada, calçada e pátios, manutenção de telhados e reservatórios de água, pintura de paredes e fachadas.

“Recomendamos que as áreas diretamente ligadas à prevenção de acidentes e segurança sejam colocadas em primeiro lugar no planejamento de manutenção periódica. A manutenção de mobiliário, de equipamentos esportivos e de playground e de calçadas, por exemplo, estão diretamente ligadas à segurança das crianças e famílias”, destaca a arquiteta.

Segundo Bruna de Lucca, é interessante que funcionários, pais e docentes estejam engajados em comunicar a gestão sempre que notarem a possibilidade de melhorias e/ou entenderem que algum item oferece risco a segurança das crianças. “Aconselhamos um canal direto online que indique as sugestões e alertas de melhorias físicas diretamente ao departamento de manutenção e patrimônio”, completa. (RP)

 

Saiba mais:

Bruna de Lucca – [email protected]

Rejane Saute Berezovsky – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!