Guia para Gestores de Escolas

O enriquecedor desafio de ensinar as mentes jovens

Por: Pe. Javier García Martínez

Compreender as mentes jovens nunca foi uma tarefa simples para nós, educadores. Educar é lapidar e polir um diamante bruto, até que cada um encontre o seu próprio brilho e transparência. E adquiriam, assim, a capacidade de compreender o contexto em que vivem e possam refletir sobre ele. Se esta incumbência já era considerada complexa no passado, ensinar crianças e jovens de forma eficiente na atualidade, onde eles se encontram multiconectados, recebendo informações de todos os lados, é um trabalho ainda mais desafiador.

O desafio aparece, em primeiro lugar, na compreensão das novas dinâmicas de interações sociais. Influenciada principalmente pelas redes sociais, a sociedade atual exige com maior veemência uma geração de indivíduos com valores éticos e morais, para lidar com novos costumes – muitos importados, por conta da Internet, que transpõe as fronteiras geográficas globais –, rechaçando todo e qualquer tipo de posicionamento retrógrado. Por isso, as instituições educacionais têm um peso considerável na formação dessas pessoas, com um olhar mais voltado para a cidadania e sobre qual o seu lugar no mundo.

Com o objetivo de atrair a atenção das mentes jovens e tornar o ambiente escolar propício para tais discussões e reflexões, as instituições de ensino têm dois caminhos, ambos na mesma direção. O primeiro é questionar se o conteúdo ensinado e os métodos adotados são relevantes suficientemente para os dias de hoje. Os estudantes precisam tomar gosto e se sentirem aptos a compreender melhor o mundo com o apoio de seus ambientes de aprendizado.

O segundo caminho é o da interação com o aluno. O mundo atual requer trocas. Troca de ideias e de conhecimentos, em especial. As escolas não precisam sentir nenhum tipo de vergonha ou receio de perguntar aos seus próprios estudantes o que eles gostariam de estudar e qual o melhor formato para alcançar esse aprendizado. Assim, é bem provável que o ambiente acadêmico se torne um lugar muito mais interativo, tão ao gosto das novas gerações.

Essas são as etapas para entender melhor as crianças e os jovens e fazer das instituições acadêmicas ambientes para trocas de conhecimentos e experiências onde o aprendizado possa ser uma via de mão dupla, em que os estudantes estão presentes integralmente, de corpo e alma, trocando conhecimentos com seus educadores e formando um espaço socialmente responsável, com incentivo de práticas ecológicas e sustentáveis para formação de uma sociedade mais justa para todos.

 

*Padre Javier García Martínez é diretor do Colégio Agostiniano São José

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!