fbpx
Guia para Gestores de Escolas

O papel da tecnologia na educação

Muito já se falava em transformação digital na educação, mas caminhamos a passos lentos ao longo dos anos, e pouca coisa mudou na forma como ensinamos e aprendemos. Praticamente em todos os setores da economia, é visível o quanto a tecnologia vem ajudando no desenvolvimento das sociedades. Porém, no Brasil, tiramos pouco – ou quase – nenhum proveito do poder da tecnologia, como instrumento no processo ensino-aprendizado.

Com a pandemia estamos vivenciando uma nova forma, sem precedentes, de ver o mundo e, consequentemente, alterando nossos hábitos. A economia está passando por mudanças profundas, na forma como nos relacionamos e como consumimos. O impacto na educação, talvez, tenha sido ainda mais profundo com o fechamento das escolas, expondo o quão temos um sistema carente de inovação e mudanças.

Gosto de dividir esse impacto na educação em duas fases: a primeira, logo no começo, com tamanha necessidade de se criar, urgente, um senso de normalidade para pais, professores e alunos. E então vieram as chamadas “aulas on-line”, que, por si só, em muitos casos, expôs ainda mais os problemas. Basta perguntar para a grande maioria dos pais qual a experiência da “aula on-line” que a escola do seu filho proporciona, ou para alguns professores que tiveram que se reinventar da noite para o dia sem suporte algum.

Agora, passado esse período, estamos na segunda fase, onde abraçar as mudanças e repensar a educação é fundamental. Um novo paradigma está sendo construído na educação, onde o caminho é sem volta. E é, exatamente neste ponto, que devemos refletir sobre o papel da tecnologia na educação e olhar para fora da caixa. Aprender como, nós mesmos, em outros setores, colaboramos uns com os outros e produzimos muito mais.

A visão digital para a educação

Criar uma cultura digital e desenvolver um plano de curto, médio e longo prazo, para um mundo tecnologicamente conectado, é fundamental. A capacitação de professores, o uso da tecnologia correta na hora certa, bem como a adoção de ferramentas educacionais integradas, precisam obrigatoriamente fazer parte deste plano. Com novas formas de aprendizado, colaboração e maiores experiências educacionais podemos ajudar professores e alunos a alcançarem muito mais. É o momento de educadores, gestores de escolas e especialistas em tecnologias educacionais repensarem a educação de forma mais ampla e holística.

Vamos imaginar se…

Os alunos pudessem colaborar de forma dinâmica, participar mais ativamente nas aulas, e ainda contribuir para o sucesso de todos?

Os professores pudessem economizar quase 30% do seu tempo, ao preparar e disponibilizar uma aula ou quadro, antecipadamente para cada aluno para melhor aproveitamento do tempo em sala?

As escolas pudessem melhorar a eficiência operacional com processos automatizados e, também, melhorar o desempenho com a utilização de ferramentas inteligentes como sistemas analíticos?

O conteúdo para os alunos estivesse disponível para acesso a qualquer hora e em qualquer lugar?

A tecnologia é o meio e não o fim. Possui um papel fundamental e precisa ser vista como ferramenta pedagógica e parte do processo de ensino-aprendizado. Com custos cada vez mais baixos, a tecnologia nos permite construir pontes do saber, habilita o professor a promover experiências de aprendizado mais personalizadas, e ainda ajuda os alunos com melhores resultados e desenvolvimento de habilidades para o futuro. Um grande exemplo é o uso da “gameficação”, como importante ferramenta neste processo. Em sua versão de educação, o Minecraft da Microsoft, um dos jogos de maior sucesso ao redor do mundo, com mais 90 milhões de usuários, utiliza método de ensino a encorajar crianças entre 6 e 10 anos através do “aprender fazendo”. Com ele, é possível transformar disciplinas tradicionais, como matemática e física, em momentos atrativos e interessantes. Além de desenvolver habilidades e conhecimentos essenciais para o futuro, como programação, colaboração e sustentabilidade.

O sucesso para futuro da educação passa, obrigatoriamente, pela tecnologia…

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!