Guia para Gestores de Escolas

Pais e Escola avaliam qual o melhor momento para a criança deixar de usar fralda

O Colégio AB Sabin, unidade extensiva do Albert Sabin destinada somente à Educação Infantil, desenvolve junto com os pais de seus alunos técnicas e conversas que ajudam as crianças em um dos momentos mais difíceis: o desfralde. Assunto antes discutido somente em casa, no âmbito familiar, hoje o desfralde já é assunto recorrente na escola e parte do sucesso deste momento se deve à forma como o ambiente escolar em parceria com a família lida com o tema.

Apesar de não existir uma idade exata para o desfralde (de 2 a 3 anos), o Colégio AB Sabin acredita que o momento ideal se torna evidente quando a criança já é capaz de perceber e avisar sobre suas próprias manifestações fisiológicas, quando manifesta vontade de utilizar o vaso sanitário ou quando apresenta a fralda seca em suas trocas. Desta forma, a professora, no período escolar, ajuda e orienta as crianças, tornando este momento algo simples e sem constrangimentos, diz a Profª Karina Catellani Nunciaroni, do Maternal I. “Essa aprendizagem não ocorre do dia para a noite e é produto de todo tempo educativo, no qual, como em outras situações de crescimento e desenvolvimento, as crianças passam de uma dependência total do adulto a uma participação progressiva até sua total autonomia. O controle dos esfíncteres se adquire de maneira natural como se conquista o andar e o falar”, explica.
Além do papel da família e dos professores no período de desfralde, o Colégio Albert Sabin conta com a atuação das babás que auxiliam os alunos no ambiente escolar e apresentam um papel fundamental na rotina do aluno. “Quando a criança passa o período que está na escola com a fralda seca e avisa que irá fazer suas necessidades percebo que são alguns sinais que alertam o momento do desfralde. Nos primeiros dias eu levo o aluno num intervalo de 15 minutos e vou aumentando ou diminuindo esse espaço de tempo de acordo com as necessidades da criança. Costumo convidar um colega da criança, do mesmo sexo, para perceber como isso acontece e estimulo-o a fazer o mesmo. Neste momento é importante o meu papel como acompanhante do processo, fazendo-os relaxar quanto a essa prática e tendo o maior carinho e atenção sempre”, comenta a babá do Colégio, Maria Aparecida Fernandes da Silva
Para a diretora do colégio AB Sabin, Mônica Mazzo, cada criança tem seu ritmo e momento, e esta tarefa não pode ser forçada pelos pais. “O desfralde acontece naturalmente! Com a orientação da escola é possível ajudarmos os pais nessa tarefa e conseguimos monitorar a evolução de cada aluno, em um tratamento individualizado, como acreditamos que de ser. É importante esperar que a criança mostre sinais de maturidade para que a retirada das fraldas seja realizada sem ansiedade e sem pressão”, explica.
Algumas questões devem ser avaliadas pelos professores e pelos pais na hora de dar início ao desfralde em seus filhos. Dentre elas, estação do ano, acompanhamento diário das ações e atividades da criança na escola e, claro, a evolução individual. “O ideal é que o desfralde ocorra no verão, quando a criança usa uma quantidade menor de roupas”, explica a diretora. Segundo ela, o desfralde não deve se tornar um momento traumático para a criança, nem para os pais, é momento de viver a evolução de cada pequeno e o papel do adulto é fundamental para estimular a criança a realizar uma passagem por conta própria adquirindo cada vez mais confiança em si.
Sobre o Colégio AB Sabin
Fundado em 2009, o AB Sabin foi criado para atender a uma crescente demanda do Colégio Albert Sabin, reconhecido por educadores, pais e alunos como uma instituição de ensino de qualidade. Localizado na zona oeste de São Paulo, o AB Sabin é totalmente adaptado para receber crianças da Educação Infantil. Além da estrutura, a escola tem como proposta pedagógica a condução dos ‘pequenos cidadãos’ à formação de valores que os direcionarão para a vida, com uma filosofia focada em distinções humanistas que desenvolvem a autonomia, o respeito e a ética desde cedo.
Com espaços destinados à convivência humana e rodeado por áreas verdes, segurança e tranquilidade, integrando atividades de cultura e lazer às disciplinas escolares, o Colégio conta com 9 salas de aula, sala de leitura e ateliê de Arte, cozinha experimental, brinquedoteca, piscina aquecida, quadra poliesportiva e um minibosque de 437m². Estes espaços permitem aos alunos momentos de sociabilização adequados à faixa etária e ao principal ideal da escola: o de criar descobertas.
Fonte: Marqueterie Assessoria de Comunicação

Receba nossas matérias no seu e-mail

Relacionados
Fale conosco!