Guia para Gestores de Escolas

Planejando 2012 / Etapa 3 – A intervenção cirúrgica: trabalho em equipe

A visão de mundo das pessoas envolvidas em uma organização ajuda a integrar os pontos coletivamente, as tendências são desenvolvidas no contexto do trabalho, cujas mudanças serão associadas a uma nova abordagem. Um alerta para o trabalho coletivo é que se não poderá prevalecer a visão de um membro, porque se  ele for conservador, este assim ficará. Será inovador, se o criador for. Portanto, os responsáveis pela gestão devem ter um olhar contínuo nas ações, superação de obstáculos a fim de que a flexibilidade, o elevado espírito de participação e a criatividade estejam presentes na RENOVAÇÃO.

Os elementos pessoais, sociais, contextuais e funcionais entram em jogo. O conjunto das ações de ser e fazer intencionados para o avanço da aprendizagem dos alunos se dá através de itens ajustados com em uma máquina: forte liderança educacional, padrões de qualidade elevados, perspectivas de desenvolvimento cultural, alinhado ao clima organizacional pelo respeito, ética e confiança entre os participantes do desafio, onde cada um contribuirá com a sua parte. Para exemplificar o processo, observa-se em um dos principais trechos do filme Tempos Modernos(1936), que Carlitos, personagem interpretado por Charles Chaplin (1889-1977), passeia entre as engrenagens de uma máquina industrial, ajustando parafusos e porcas para que ela não pare de funcionar.

Cabe ao gestor, no momento do plano de ação monitorar os integrantes para ajustar as situações, mas não as improvisadas. Dentro do que foi planejado, corrigir as distorções, aperfeiçoar os resultados alcançados, desafiar novos compromissos para manter a equipe com entusiasmo.

No momento em que identificar a necessidade de novas adaptações, o gestor deverá comunicar a quem for de interesse, pois o processo poderá se concretizar em longo prazo. E sem a informação, ele não garantirá a permanência desses alunos na instituição. Um informativo apresentando as novas medidas, benefícios ao enriquecimento curricular e uma estimativa do prazo de conclusão, poderá ser um passo estratégico de renovação para a escola. Nesse contexto, comprova-se o diferencial através da comunicação, porque aquele que não compartilha suas ideias, permanece isolado.

Ao concluir esta etapa, as medidas estabelecidas devem ser seguidas para que não se ponha as etapas anteriores a perder. A missão, as metas e os valores precisam estar previstos e conscientes para o próximo processo, o acompanhamento do processo cirúrgico. O resultado será gradativo, as diferenças serão apontadas no boca a boca e na divulgação da escola, que são os gastos em marketing publicitário e educacional. Chegou a hora de gritar, colocar todo o diferencial em evidência, para que desperte o interesse de novos alunos e fidelize com a maioria.

Por Márcia Regina do Carmo Claro Oliveira*

 
marcia
Graduada em Pedagogia e Letras, possui MBA em Gestão Escolar pela Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo. É mantenedora e diretora do Colégio Ômega, de Ensino Infantil, Fundamental e Médio, localizado em Santos e no Guarujá (Baixada Santista, São Paulo).

Para mais informações:
www.colegioomega.com.br
[email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!