fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Plataforma em nuvem vai controlar a vacinação de alunos

Solução da White Tents vai facilitar a vida de gestores de escolas ajudando promover políticas de vacinação proativas, ou a reagir rapidamente a eventuais surtos de doenças infecciosas

A vacinação de COVID da população brasileira já está se tornando um processo digital, com o aplicativo do SUS. Mas para fazer com que as escolas organizem e controlem a vacinação de seus alunos garantindo a tranquilidade de pais e professores, a startup de saúde White Tents está lançando uma plataforma digital que reúne dados de vacinação de uma quantidade maior de pessoas, como os alunos de uma instituição.

O objetivo da plataforma é dar aos gestores das escolas um olhar mais abrangente do grupo sob seu cuidado, a fim de promover políticas de vacinação proativas, ou rapidamente reagir a eventuais surtos de doenças infecciosas. A solução envolve o aplicativo Imune, que está disponível para Android e IOS, uma carteira digital de saúde, que tem a missão de facilitar o acesso e o compartilhamento voluntário desses dados de forma segura, com privacidade e de forma prática. 

“Nos próximos anos será essencial que as escolas e universidades gerenciem mais ativamente a saúde e imunização dos seus alunos e professores, para cuidar das suas comunidades e garantir a abertura presencial continua. Porém, também vemos uma oportunidade maior de mudar como as pessoas pensam na sua saúde, trazendo o que hoje é um processo físico e captivo, e levando-o para o mundo digital onde pessoas têm maior liberdade e controle sobre sua própria informação”, exemplifica Martin Hoberman, CEO e co-fundador da White Tents.

Martin provoca: “Quem é que sabe quando tomou a última dose de vacina contra tétano? Ou em que gaveta foi parar a carteirinha com esse dado?” Segundo ele, a gestão de vacinas é um desafio tanto em família quanto em comunidade. 

“Vamos além da praticidade do app. Queremos apoiar a sociedade na sua volta ao trabalho e à escola, dando uma ferramenta para que diretores de escolas e gestores de empresas possam proativamente adotar políticas de saúde e campanhas de vacinação baseadas nos seus dados”, explica ele. Segundo o empreendedor, escolas e algumas organizações já pedem informações sobre as vacinas tomadas. E essa será uma tendência a partir da pandemia. “Estamos entregando um meio seguro para que organizações possam captar esses dados com facilidade e permitindo-os a acionar esses dados com maior utilidade caso seja necessario”, resume.

Privacidade e segurança

Matheus Couto, CTO e co-fundador, admite que os dados de saúde abrangem informações confidenciais e particularmente sensíveis. “Por isso, demos uma atenção especial a esse quesito”. A solução traz várias camadas de segurança, que vão desde a criptografia dos dados na nossa data base à criptografia na transferência dos dados (SSL), token de acesso e está em conformidade com a Lei de Proteção à Privacidade dos Dados (LGPD).

A solução possui um importante parceiro. A White Tents é uma startup do ecossistema de inovação Eretz.bio, apoiada pelo Hospital Israelita Albert Einstein. “Temos o orgulho de dizer que nossa solução recebeu valiosos inputs do departamento técnico do hospital sobre como a tornar mais robusta e segura. O hospital também fez um teste piloto com o Imune para campanhas internas de vacinação e deve adotá-lo em projetos com terceiros”, afirma ele.

Segundo Hoberman, a startup pretende captar inicialmente mais de 100 mil usuários finais para o Imune até o final do ano e mais de 3 milhões até o final de 2022. Potencialmente o app tem aproximadamente 45  milhões de usuários finais – principalmente jovens economicamente ativos, começando a ter filhos e abertos ao uso da tecnologia para facilitar o seu dia a dia.

O App Imune está disponível em IOS – https://apps.apple.com/br/app/imune/id1559060978

ou Android – https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.whitetents.imune19

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados