Guia para Gestores de Escolas

Professores são mais valorizados durante pandemia

Pesquisa revela que valorização dos profissionais da Educação é um dos legados deste período

O Brasil é um dos países que menos valorizam o trabalho do professor. No estudo coordenado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e publicado em 2018 junto ao Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), o país ficou em último lugar entre as 35 nações avaliadas nesse quesito. No entanto, desde que a pandemia do novo coronavírus começou, muitos olhares se voltaram para a importância que esses profissionais têm na construção da sociedade. Em uma pesquisa realizada pelo Instituto Península, 72% dos professores afirmaram que um dos legados deixados pela pandemia será a valorização da carreira docente pela sociedade. 

Para Alexandre Schneider, ex-secretário da Educação da cidade de São Paulo e atual presidente do Instituto Singularidades, uma das iniciativas do Instituto Península, é possível verificar essa valorização a partir da própria imagem que a sociedade tem dos profissionais da Educação. “Talvez, hoje, eles estejam equiparados aos profissionais da saúde – e isso se dá porque, com as crianças em casa, os pais conseguem enxergar quão difícil é o processo de ensinar”, justifica.

Segundo o especialista, uma das consequências deste período de aulas não presenciais será a necessidade de que a escola e os gestores escolares saibam acolher os professores e suas questões emocionais. Afinal, os impactos da Covid-19 vão muito além da saúde. Muitos desses profissionais perderam amigos e familiares, outros precisaram lidar com pessoas próximas perdendo seus empregos e sua renda, entre outras dificuldades. Isso significa que, em um primeiro momento, será preciso reconstruir os laços e o espírito de equipe que faz toda escola funcionar.

Ao mesmo tempo, ele acredita que os educadores voltarão às salas de aula com muito mais conhecimentos e habilidades do que tinham antes da pandemia. E, com a perspectiva de que as aulas retornem antes de haver uma vacina, o professor vai ter que estar pronto para saber escolher a melhor tecnologia, mas também para entender qual o melhor uso do momento presencial. “Antes da pandemia, a maior parte das aulas tinha um caráter expositivo e, agora, teremos a necessidade do uso de um ensino híbrido. Então, o professor terá que estar pronto para fazer as melhores escolhas das plataformas e para decidir o que trabalhar nessas plataformas”, aponta Schneider.

O presidente do Instituto Singularidades acredita que, neste momento, a sociedade está olhando com carinho e reconhecimento para o trabalho dos educadores. “Cada um de nós pode fazer a diferença na vida de uma criança ou de um adolescente. Espero que isso permaneça após a pandemia porque não há nada mais importante que a Educação e não há profissão mais relevante que a do professor”, completa. Em homenagem ao Dia dos Professores, Alexandre Schneider fala sobre a relevância desses profissionais no 12º episódio do podcast PodAprender, cujo tema é “Dia dos Professores – Valorização dos profissionais será herança da pandemia“. O programa pode ser ouvido no site http://sistemaaprendebrasil.com.br/podaprender/, nas plataformas Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e nos principais agregadores de podcasts disponíveis.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!