Guia para Gestores de Escolas

Seguros: Seguro Educacional e Respaldo Financeiro

A preocupação com a segurança representa um atributo fundamental em nosso cotidiano. De forma geral, a ideia de segurança está atrelada a fatores de conforto e confiança e, consequentemente, promover as sensações de tranquilidade, amparo e cuidado destaca um elo de apoio preciso no âmbito educacional. Quando pensamos no funcionamento de uma escola, agregar uma proteção extra, sobretudo no que diz respeito à área financeira, é uma proposta relevante – e que vale ser discutida.

Atualmente existem diversos tipos de seguros – educacional, estudantil, estudos ou proteção escolar. Todos eles com características específicas e objetivos diferenciados, como: auxílio no pagamento das mensalidades escolares em caso de dificuldades dos pais ou responsáveis, seguro de vida, acidentes pessoais, respaldo financeiro através de bolsas de estudo, entre outros.

O Seguro Educacional, em especial, “tem como objetivo principal auxiliar nas despesas com educação, principalmente as mensalidades escolares, em caso de desemprego, invalidez ou morte do responsável pelo aluno. Dessa forma garante o estudo de crianças e adolescentes, do maternal até a conclusão do curso superior”, diz Vanessa Alves, Diretora Comercial de uma empresa de seguros.

Geralmente, colégios e universidades, conta Vanessa, em convênio com seguradoras, oferecem planos coletivos, no ato da matrícula, como alternativa à redução da inadimplência. Já os pais costumam aderir ao plano para garantir o estudo e o futuro profissional dos filhos.

“O seguro pode ser contratado de acordo com o ciclo de estudo dos filhos, ou desde o início da vida escolar ao término do ensino médio ou até a universidade. Também são oferecidas diversas coberturas adicionais, para outras despesas, desde o transporte do aluno para o colégio, quando estiver com dificuldades de se locomover por problemas de saúde, até assistência médica 24h”, explica a Diretora Comercial.

Para o gestor/a que busca contratar esse tipo de seguro deve ficar atento a idade do aluno, como mínimo de 16 anos a máxima de 65 a 70 anos, conforme a seguradora contratada. O valor também varia conforme o ciclo de estudo. O contratante tem a opção, ainda, de optar pelas coberturas adicionais, com um pequeno acréscimo do valor.

“É como uma bolsa de estudos que em alguns casos, dependendo da cobertura contratada, pode garantir o pagamento das mensalidades até o final do curso, e assim, a instituição escolar garante o recebimento evitando o número de inadimplentes”, afirma Henrique Mol, Diretor Executivo de uma franquia de Corretora de Seguros.

O executivo pontua que a dica é ler muito bem o contrato antes de assinar com qualquer seguradora e, assim, entender todos os detalhes que envolvem esse tipo de seguro, principalmente quando o assunto está ligado ao desemprego dos pais e/ou responsáveis. (RP)

 

Saiba mais:

Henrique Mol – [email protected]

Vanessa Alves – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!