Guia para Gestores de Escolas

“Um currículo integrado flexível garante o protagonismo do aluno”, diz gerente de desenvolvimento do Senac São Paulo

Entrevista por Rafael Pinheiro / Foto Divulgação

A atualidade é permeada pela tecnologia – e, cada vez mais, utilizamos ferramentas digitais em nosso cotidiano. No âmbito educacional, em especial, as transformações sociais da contemporaneidade devem ser refletidas nas estruturas dos colégios de ensino regulares, principalmente através de uma cultura digital. Para Melina Sanjar, gerente de desenvolvimento e responsável pelo Ensino Médio Técnico do Senac São Paulo, com o advento da tecnologia, é preciso repensar o desenvolvimento da aprendizagem e construir um currículo integrado, que garanta o protagonismo para que os estudantes possam trilhar seus itinerários próprios.

“Acreditamos que a concepção de um currículo integrado flexível garante o protagonismo do aluno na busca do que, de fato, lhe faz sentido, podendo correlacionar, pela transversalidade do mundo do trabalho, seu projeto de vida”, diz. Confira abaixo a entrevista completa que fizemos com Melina Sanjar.

Direcional Escolas: Qual a importância, na atualidade, de inserir a cultura digital na aprendizagem?

Melina Sanjar: Com o advento da cultura digital e suas tecnologias, todos nós passamos a ter necessidade de um pensamento mais randômico e associativo, para que as inúmeras informações a que se tem acesso possam fazer sentido. Para atingir esse nível de complexidade cognitiva, é preciso que as pessoas sejam preparadas para trilhar itinerários próprios, concebidos dentro das suas esferas de interesse. O que se vê hoje na educação básica do Brasil, ainda disciplinar em sua maioria, é uma concepção fragmentada, calcada no ensino e não na aprendizagem, que atende muito mais aos modelos de uma era mecânica da industrialização do que propriamente a era digital sob a qual estamos vivendo.

Já no Senac, a proposta do Ensino Médio Técnico possibilita o desenvolvimento de competências abrangentes aliadas à concretude necessária para a construção dos saberes dessa juventude. Acreditamos que a concepção de um currículo integrado flexível garante o protagonismo do aluno na busca do que, de fato, lhe faz sentido, podendo correlacionar, pela transversalidade do mundo do trabalho, seu projeto de vida.

Direcional Escolas: Você acha que a cultura digital é uma necessidade para os estudantes nativos digitais que entram no sistema educacional?

Melina Sanjar: Sim, pois nas últimas décadas, em especial com a difusão da internet, o uso da tecnologia se expandiu de tal forma, influenciando em nossa maneira de trabalhar, de viver e de se comunicar. Esse cenário tem demandado um crescente contingente de pessoas aptas a atuar na área de tecnologia da informação e que possuam, além do domínio técnico, visão sistêmica, capacidade de atuar em equipe, propor soluções e resolver problemas, dentre outras habilidades. O desafio, portanto, está em formar profissionais que sejam capazes de responder com competência suficiente às múltiplas e complexas demandas da sociedade cada vez mais conectada.

Direcional Escolas: Como integrar, de forma prática, o conteúdo da cultura digital à grade curricular?

Melina Sanjar: O Ensino Médio Técnico em Informática do Senac São Paulo conta com um currículo que integra, em proposta formativa, a formação profissional técnica e as áreas de conhecimento do Ensino Médio, de modo que as competências da formação profissional técnica são desenvolvidas no âmbito das áreas de conhecimento. Além disso, o currículo é organizado pelos projetos do ano letivo em articulação com o projeto profissional e projeto de vida. A integração é, portanto, uma premissa, promovendo a articulação entre trabalho, Ciência, Cultura e Tecnologia, integrando os objetivos de aprendizagem relativos às práticas sociais – autodesenvolvimento, relação interpessoal, vida em sociedade – aos saberes relativos à formação para o trabalho, bem como a formação para inserção crítica e atuante na sociedade.

O currículo integrado do Ensino Médio Técnico do Senac São Paulo pressupõe uma nova organização que supera a centralidade das disciplinas, que dificulta o estabelecimento de relações e inter-relações entre os campos/áreas do saber. Neste sentido, as áreas de conhecimento e a formação técnica profissional devem coexistir, sem a predominância de saberes e de forma complementar. A composição das práticas pedagógicas se configura, portanto, a partir do desenvolvimento de projetos e de competências, que por sua vez, se estrutura com o apoio de estratégias de ensino-aprendizagem compatíveis com os princípios e pressupostos educacionais que buscam a emancipação e autonomia do aluno na construção do conhecimento.

Direcional Escolas: Você acredita que todo o corpo docente está preparado para trabalhar a cultura digital nas escolas?

Melina Sanjar: Para atender todas as especificidades do seu Ensino Médio Técnico, o Senac São Paulo busca contratar professores com experiência multidisciplinar em trabalhos com jovens, mediação de grupos ou projetos sociais, postura democrática, visão de mundo diversa, includente e crítica, e que tenha familiaridade com tecnologia da informação e comunicação. Os professores contratados passam por uma formação consistente sobre os recursos tecnológicos disponibilizados pelo Senac São Paulo aos alunos como ferramenta de suporte à prática pedagógica presencial.

Com a suspensão das atividades educacionais presenciais, como forma de conter o contágio pelo COVID-19, o Senac São Paulo complementou essa formação com mais de 40 horas de plantão aos professores e coordenadores de curso para atendimento das principais dúvidas, apresentação de novos recursos e reflexões sobre como as estratégias de aprendizagem poderiam ser adaptadas como atividades remotas.

Direcional Escolas: Como é a recepção dos alunos diante das novas formas de aprendizado, sobretudo com essas novas interfaces digitais?

Melina Sanjar: A maior parte dos alunos do Ensino Médio Técnico do Senac São Paulo possuem entre 14 e 17 anos e muitos são, portanto, nativos digitais, pois nasceram em meio ao crescimento progressivo do uso da tecnologia nos seus computadores, celulares, videogames. Percebemos que eles possuem facilidade no manuseio dos dispositivos, rápida compreensão sobre o funcionamento dos sistemas digitais e facilidade em realizar tarefas utilizando os recursos digitais. Todos também já discutem como a tecnologia pode solucionar demandas sociais existentes, e por isso desenvolvem projetos ao longo do curso que buscam transformar a realidade local por meio de recursos digitais que promovem a construção de um mundo mais sustentável, diverso e justo.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!