agosto 10, 2017

Conversa com o Gestor – Ensino Médio: Desafios, habilidades e reformulações

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

Por Rafael Pinheiro / Fotos Divulgação

O principal desafio do Ensino Médio é ir além do conteúdo, que no Brasil é extenso. Proporcionamos uma formação integral para que os alunos sejam capazes de desenvolver habilidades cognitivas e socioemocionais​, além do conteúdo. É essa preparação que faz​ a​ diferença para​​ enfrentar ​a rotina de estudos, o vestibular, a universidade, o mercado de trabalho e os desafios da vida”, destaca Adilson Garcia, Diretor do Ensino Fundamental II e Médio do Colégio Vértice (SP)

O Colégio Vértice, em São Paulo, trabalha a formação integral do aluno.

Ensinar, dizia o pensador Paulo Freire em “Pedagogia da Autonomia”, não é transferir conhecimento, “mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção”. Nessa perspectiva é possível estender este trecho a toda esfera social, inclusive aos processos intrínsecos que envolvem e convivem com cada estudante durante longos anos.

Se observarmos, de maneira precisa, as propostas e engrenagens que constituem os meandros da educação, encontraremos um denominador comum: todos e todas que atravessam os muros das escolas fazem parte de uma agência social, ou seja, de formação peculiar e complexa a cada estudante que é, de certa forma, movimentado pelas engrenagens pedagógicas.

Na contemporaneidade, questionamentos e desdobramentos evocam transformações, mudanças, análises e discussões que cercam os ideais da educação – e esta noção transcende planilhas de desenvolvimento, mensurações de qualidade, mas destaca, também, os caminhos e desafios enfrentados cotidianamente, nas amplas formas de ensino e nas relações produzidas entre a comunidade escolar. Nessa ótica, novas reformulações são propostas, bem como a aproximação do núcleo escolar aos jovens e a inserção tecnológica em rotinas do aprendizado.

O Novo Ensino Médio, por exemplo, é uma mudança do sistema atual de ensino. Com a flexibilização da grade curricular, o novo modelo permitirá que o estudante escolha uma área de conhecimento para aprofundar seus estudos.

Os alunos do Colégio do Carmo são expostos a todo tipo de atividade

De acordo com o MEC, a nova estrutura conta com uma parte comum e obrigatória a todas as escolas, como prevê a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e outra com os itinerários formativos. Dessa forma, espera-se que o ensino médio esteja mais afinado com a realidade dos estudantes diante das novas demandas profissionais do mercado, de forma que esses jovens sigam o caminho de suas vocações, seja para continuar os estudos no nível superior, seja para entrar no mundo do trabalho.

No centro das mudanças propostas pelo Novo Ensino Médio está o currículo mais flexível. O modelo deixa de ter 13 disciplinas mandatórias e passa a contar com apenas 3. Os estudantes poderão optar por áreas do conhecimento e itinerários formativos, um dos quais é o de educação profissional e técnica. Além disso, o ensino médio passa a contar com maior carga horária, passando de quatro para cinco horas de aula por dia, em cinco anos, e para sete horas progressivamente. O objetivo é fazer com que o estudante conclua o ensino médio na idade adequada, com aprendizado de qualidade.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.